Os pica-paus estão há anos numa guerra secreta entre fações

Um grupo de investigadores que está a monitorizar pica-paus com etiquetas de radiofrequência fez uma descoberta surpreendente: estes pássaros estão em constante guerra uns com os outros.

De acordo com os dados obtidos pelos investigadores, os pássaros mantêm guerras que podem durar dias seguidos com batalhas que podem demorar até 10 horas, de forma a conseguirem definir o seu espaço territorial.

Em alguns casos, os pica-paus levam anos a construir uma “aliança de combate” com outros pássaros da mesma espécie, antes de invadirem uma árvore e colocarem bolotas nos buracos feitos com os seus bicos na casca dos carvalhos.

Embora os pica-paus normalmente se reproduzam recorrendo sempre ao mesmo parceiro, alguns estudos mostraram que os pássaros também o fazem com múltiplos parceiros. Estes núcleos de reprodução são geralmente compostos por três machos e duas fêmeas e são conhecidos como alianças – relata a Sky News.

De acordo com o estudo publicado a 7 de setembro na revista Science Direct, essas alianças são a causa das batalhas entre as pequenas aves.

Sahas Barve, autor principal do estudo, explica que “quando alguém se aproxima de uma  árvore que é disputada é provável que ouça muitos pica-paus a chamar, à sua maneira, outros pássaros que respondem ao alerta voando como loucos”.

Normalmente, essas guerras entre os pássaros começam quando os pica-paus que habitavam num território de melhor qualidade morrem, e os seus rivais tentam invadir o local que ficou vazio.

Barve explica que “perto das árvores pode-se ver que há muitas alianças de três ou quatro pássaros que lutam para se posicionar nos galhos. Um grupo tem que vencer a batalha para adquirir um lugar no território e construir o seu espaço, o que muito raro em animais”.

Observar estas batalhas diretamente pode ser um desafio quase impossível, por isso Barve e a sua equipa optaram por outro método de análise. Os investigadores usam uma nova tecnologia de telemetria de RFID para identificar a localização das aves, através do uso de etiquetas que prendem nas costas dos pica-paus.

Assim a equipa monitoriza todos os movimentos dos pica-paus e percebe quanto tempo foi gasto a lutar, bem como de onde os “combatentes” provinham.

Algumas aves voltam todos os dias e lutam durante dez horas seguidas. “Nunca pensamos que poderiam demorar tanto tempo porque as aves têm que estar longe do seu território para conseguirem lutar”, disse Barve, que questiona “quando é que comem?”. Os investigadores ainda não sabem responder.

O investigador percebeu que “as aves muitas vezes esperam anos e, quando chega o momento certo, já têm a aliança ideal com outros pássaros. Nessa altura vão lutam para conquistar um território bom”.

Segundo os cientistas os pica-paus estabelecem ligações sociais muito estreitas. “Provavelmente têm muitos inimigos”, acrescentou Barve.

O próximo passo dos investigadores é tentar entender como é que as redes de relações dos animais são moldadas, e como é que variam ao longo do ano.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mexidas no IRS Jovem dão mais um mês de salário em cinco anos

O IRS Jovem vai ser aumentado para cinco anos. Ao longo desse período, os beneficiários vão poupar o equivalente a um mês de salário. O alargamento do IRS Jovem anunciado por António Costa, aumentando de três …

Barcelona sofre derrota pesada frente ao Bayern (e direção reúne-se de madrugada)

O Barcelona sofreu, esta terça-feira, uma derrota pesada frente ao Bayern Munique, a contar para a 1.ª jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões. O Bayern vinha de uma série de 18 jogos — …

"Fizemos as coisas bem porque fizemo-las à maneira europeia", diz Ursula von der Leyen

"Fizemos as coisas bem porque fizemo-las à maneira europeia", disse esta quarta-feira a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, na abertura do discurso do Estado da União, em Estrasburgo, referindo-se às conquistas no …

Marcelo pede discurso claro, "sem drama e com serenidade" sobre regresso às aulas

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, deixou esta terça-feira um recado para os participantes da reunião do Infarmed: que tenham um discurso claro para que os portugueses saibam como vai ser a condução …

Young Boys foram "bad boys" e nem Ronaldo salvou o United

Cristiano Ronaldo marcou, mas o Manchester United deixou-se surpreender pelo Young Boys. Os ingleses ficaram reduzidos a dez unidades ainda na primeira parte. Nos últimos tempos, Manchester United é sinónimo de Cristiano Ronaldo. Por isso, o …

Médicos aderem cada vez menos aos incentivos para trabalhar em zonas mais carenciadas

Os médicos têm aderido cada vez menos ao regime criado para os incentivar a aceitar vagas em hospitais e centros de saúde com carência de profissionais. Segundo o Jornal de Notícias, até julho deste ano 263 …

Moreira não é D. Sancho e vestiu o kevlar para levar com balas do Selminho e da regionalização

O caso Selminho e a regionalização marcaram o debate desta terça-feira entre os candidatos à Câmara do Porto. Rui Moreira absorveu o impacto e saiu por cima. O debate dos 11 candidatos autárquicos à Câmara Municipal …

Neandertais transmitiram estirpe mortal do papilomavírus humano ao Homo sapiens

Investigadores descobriram que Neandertais se reproduziram com humanos modernos e lhes transmitiram uma estirpe mortal do papilomavírus humano. O papilomavírus humano (HPV) é responsável por um elevado número de infeções, que na maioria das vezes são …

Coreia do Norte disparou dois mísseis balísticos no Mar do Japão

A Coreia do Norte disparou dois mísseis balísticos não identificados no Mar do Japão, informou o Chefe do Estado-Maior Conjunto da Coreia do Sul (JCS). A Coreia do Norte disparou esta quarta-feira dois mísseis balísticos não …

“Socialismo nocivo para os lisboetas”. Moedas atira-se a Medina (e garante que é um político diferente)

Naquela que foi a sua primeira ação no período oficial de campanha, Carlos Moedas encheu o Teatro Trindade, em Lisboa, para o último esforço de derrotar Fernando Medina. O candidato da coligação Novos Tempos à Câmara …