Obama apela ao voto em Macron (e Le Pen leva com ovos em ação de campanha)

Joe Crimmings / Flickr

O Presidente norte-americano, Barack Obama

O Presidente norte-americano, Barack Obama

O ex-presidente dos Estados Unidos anunciou o seu apoio a Emmanuel Macron na segunda volta das presidenciais francesas, num vídeo divulgado esta quinta-feira pela campanha do candidato.

“Quero que saibam que apoio Emmanuel Macron”, afirma Barack Obama em inglês.

Na mensagem, de um minuto e dez segundos, o ex-presidente dos EUA elogia a defesa dos “valores liberais” pelo candidato centrista e sublinha a importância desta eleição “para o futuro de França e dos valores” que defende.

Macron, diz, “apela à esperança das pessoas, não aos seus medos”.

O ex-chefe de Estado termina a mensagem em francês, com as frases “En Marche!”, o slogan da campanha de Macron, e “Vive la France!”.

O candidato às presidenciais francesas também divulgou hoje um vídeo de apelo ao voto, em que aponta as vitórias de Donald Trump nos Estados Unidos e do referendo do Brexit no Reino Unido como exemplos de que “o pior não é impossível”.

O vídeo colocado no Twitter, quando faltam apenas três dias para a segunda volta, recolhe testemunhos de eleitores norte-americanos e britânicos que entretanto se arrependeram.

Em cima da imagem, lê-se “A História lembrar-se-á do 7 de maio de 2017. Mas em que sentido? Para não se arrepender a 8 de maio, vote!“.

Entretanto, Marine Le Pen decidiu fazer uma visita surpresa a Dol-de-Bretagne e foi recebida com insultos e ovos. A candidata da extrema-direita foi insultada por manifestantes que gritaram frases como “fora com os fachos”.

Esta não é a primeira vez que um candidato leva com ovos. Na verdade, o mesmo já aconteceu com Emmanuel Macron durante as suas ações de campanha.

Esta quarta-feira, os dois candidatos enfrentaram-se no último debate televisivo antes das eleições, naquele que foi considerado o mais áspero e violento de sempre em França.

Macron, que obteve o melhor resultado na primeira volta, é ainda apontado pelas sondagens como o vencedor a 7 de maio, com cerca de 60% das intenções de voto, mas a margem de avanço em relação a Le Pen está a diminuir.

Os seus programas eleitorais estão nos antípodas: Emmanuel Macron é liberal e pró-europeu, Marine Le Pen é anti-imigração, anti-Europa e antissistema.

O primeiro agrada sobretudo aos jovens urbanos, à classe média e ao meio empresarial; a segunda seduz as classes populares, a população rural e uma fatia do eleitorado francês vítima de desemprego endémico.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Maior queda do mês no preço dos combustíveis. Gasóleo atinge mínimos de 4 meses

A partir de hoje os preços dos combustíveis irão baixar, e esta será a maior queda do mês. No que diz respeito ao preço da gasolina, esta deverá cair um cêntimo para 1,387€ por litro. …

Mais de 500 detidos nos protestos contra Lukashenko. Segue-se a greve geral

A greve geral anunciada pela líder da oposição bielorrussa no exílio para exigir a saída do Presidente começou, esta segunda-feira, com protestos tímidos e detenções em todo o país. "O prazo para cumprir as exigências do …

Polacos protestam contra acórdão que torna o aborto quase impossível

Milhares de polacos têm-se manifestado, nos últimos dias, contra a proibição quase total do aborto, quando as leis do país estavam já entre as mais restritivas da União Europeia. Na última quinta-feira, o Tribunal Constitucional polaco …

Japão promete "uma sociedade neutra em termos de carbono" até 2050

O Japão quer alcançar a neutralidade de carbono até 2050, disse hoje o primeiro-ministro japonês Yoshihide Suga, um caminho que se afigura complicado, devido à dependência do país do carvão. Numa altura em que cada vez …

"Nada nos vai fazer recuar". Macron desperta a raiva do mundo muçulmano (e enfurece Erdogan)

Emmanuel Macron, presidente de França, assumiu posições muito claras na defesa da liberdade de exibir as caricaturas de Maomé, no âmbito da homenagem ao professor decapitado na semana passada, suscitando protestos em vários países muçulmanos. "Nada …

Merkel avisa Alemanha que os próximos meses vão ser “muito difíceis”

A chanceler alemã, Angela Merkel, avisou a Alemanha de que os próximos meses vão ser "muito difíceis", já que o número de infeções por covid-19 continua a crescer diariamente, tendo-se registado 8.685 nas últimas …

Portugal acusado de bloquear lei europeia contra evasão fiscal pelas multinacionais

Os governos português e sueco estão a ser acusados de bloquear, no Conselho da União Europeia (UE), a deliberação de uma lei contra a evasão fiscal por parte de grandes empresas multinacionais digitais. Segundo anunciou esta …

Consumo de antibióticos desce 22% durante a pandemia. Menos 1,1 milhões de embalagens vendidas

O consumo de antibióticos registou uma descida na ordem dos 22% nos primeiros oito meses deste ano. Venderam-se menos 1,1 milhões de embalagens, quando comparado com igual período do ano passado. Entre janeiro e agosto deste …

Portugal regista mais 2.447 casos e 27 mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais 2.447 casos positivos e 27 mortes por covid-19. A informação foi divulgada, esta segunda-feira, no boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). O boletim epidemiológico divulgado hoje revela que …

Testes rápidos devem ser aplicados em surtos em escolas ou lares

A Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, hoje publicada, determina que em situações de surto em escolas, lares ou outras instituições devem ser utilizados preferencialmente testes rápidos no sentido de aplicar "rapidamente as medidas adequadas …