Novo Banco vendeu sucursal francesa com 68% de desconto. Há suspeita de conflito de interesses

António Pedro Santos / Lusa

O presidente do Novo Banco, António Ramalho, intervém durante a sua audição na comissão de Orçamento e Finanças.

Uma queixa foi apresentada junto das autoridades europeias por suspeita de conflito de interesses na venda do BES Vénétie ao fundo Cerberus, com um desconto de 68,2%.

A auditoria da Deloitte ao Novo Banco revelou que, no final de 2018, a subsidiária francesa do Novo Banco foi vendida com um desconto de 68,2% face ao preço de balanço. Foi apresentada uma queixa junto das autoridades europeias por suspeita de conflito de interesses.

Isto porque o ativo BES Vénétie foi vendido ao fundo Cerberus. O atual chairman da instituição, Byron Haynes, exerceu até julho de 2017 o cargo de presidente-executivo de um banco detido por este fundo norte-americano.

De acordo com o Público, a auditoria sugere a gestão de António Ramalho não analisou os potenciais conflitos de interesse associados à transação.

Agora, a queixa apresentada no dia 13 de agosto à ESMA – Autoridade Europeia de Mercados e Títulos, faz um novo pedido de investigação ao Novo Banco por “irregularidades cometidas” em 2018 na “informação que o Novo Banco divulgou e nas suas práticas de contabilidade em relação à venda do BES Vénétie”.

Na altura, 87,5% do capital da subsidiária francesa do Novo Banco foi vendido por 48 milhões de euros, com um desconto de 67,5% face ao valor contabilístico.

“O BESV esteve em venda desde 2014 sendo considerado para efeitos da carta compromisso de 2015 parte do side bank (ativos a desinvestir) que se manteve em 2017″, explica fonte oficial do Novo Banco ao Público. “O BESV foi vendido à melhor proposta por um preço em linha com o mercado”.

O banco justifica que, nestas situações, “a idoneidade e credibilidade do comprador é da competência dos reguladores, onde se inclui a verificação do conflito de interesses”. Além disso, realça que a auditoria “apenas nota que o banco não realizou controle de partes relacionadas”.

No relatório da auditoria da Deloitte, lê-se que não existiam no banco “normativos internos que regulassem a realização sistemática de uma análise das entidades compradoras que participaram em processos de desinvestimento, de forma a concluir acerca de eventuais riscos de branqueamento de capitais e de conflitos de interesse”.

A Deloitte salienta ainda que os supervisores aprovaram o negócio “com base em informação disponibilizada pelo potencial comprador”.

Questionado pelo Público, o Fundo de Resolução remete a responsabilidade de aferir a idoneidade do comprador para o Banco Central Europeu.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Linha de Fundo: Benfica reforça liderança, mais recados de Conceição, um jardim de infância especial e João “rosa” Almeida

Era uma vez um Clássico... Deu empate o primeiro clássico da época 2020/21. Em Alvalade, Sporting e FC Porto igualaram-se a duas bolas, num jogo que valeu pelas mudanças de resultado, mas que nem sempre foi …

CDS critica PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa

O CDS está "chocado" por a TAP ir abandonar as quatro rotas que opera no Aeroporto Francisco Sá Carneiro e critica o PS por obrigar portugueses a pagar "buraco" da TAP para servir apenas Lisboa. O …

Contratos de associação dos colégios privados. Ministério da Educação vence todos os 55 processos judiciais

Em todos os 55 processos judiciais que os colégios privados moveram contra o Ministério da Educação em 2016, na sequência da polémica dos contratos de associação, todas as 55 decisões foram favoráveis ao Governo. O jornal …

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …

"Cibermáfia". Rede de criminosos "lavou" milhões de euros em Bancos portugueses

Uma rede de criminosos com origem na Europa de Leste montou um esquema de lavagem de dinheiro roubado em ataques informáticos através de Bancos de países como Portugal. Esta "cibermáfia", como é apelidada pelo Jornal de …