As companhias privadas que a NASA contratou para voltar à Lua (a SpaceX de Musk não é uma delas)

Marshall Space Flight Center / NASA

A NASA contratou nove companhias privadas para levar para o espaço cargas científicas e tecnológicas que garantam o regresso da agência à Lua. A SpaceX de Elon Musk e a Virgin Galactic de Richard Branson não foram incluídas. 

Este é o primeiro passo sólido que a NASA torna público no projeto de regressar e ficar na Lua. Mas para o concretizar precisa das empresas aeroespaciais privadas.

Num comunicado feito esta quinta-feira pelo administrador Jim Bridenstine, a agência pública aeroespacial confirmou que tinha celebrado contratos à luz do programa CLPS, a partir do qual a agência estabelece negócios com outras empresas para serviços de transporte de módulos lunares e rovers para a Lua.

“O anúncio de hoje marca um progresso tangível no regresso dos EUA à superfície da Lua para ficar. A inovação das empresas aeroespaciais dos EUA, unida aos nossos grandes objetivos em ciência e exploração humana, vai ajudar-nos a alcançar coisas incríveis na Lua e avançar a caminho de Marte”, disse Bridenstine.

A NASA celebrou contratos com nove empresas privadas sediadas nos EUA. Destas, a Astrobotic Technology, Inc. é especialista em robótica espacial para missões planetárias. A Deep Space Systems é especialista em desenvolvimento, integração, teste, lançamento e operação de naves espaciais de exploração humana e robótica.

A Draper cria tecnologia avançada para segurança nacional, exploração espacial, energia e cuidados de saúde. A Firefly Aerospace, Inc. desenvolve veículos de lançamentos comerciais de pequeno e médio porte. A Intuitive Machines, LLC cria soluções low cost para a exploração espacial.

A Lockheed Martin Space trabalha com satélites, sondas e peças de vaivéns, a Masten Space Systems, Inc. constrói sistemas de descolagem e aterragem verticais, a Moon Express tem um projeto para explorar os minerais lunares e a Orbit Beyond é a primeira companhia privada norte-americana a ter permissão para viajar para lá da órbita terrestre em direção ao espaço profundo.

“Estas missões iniciais vão permitir importantes demonstrações de tecnologia que vão fundamentar futuros sistemas de exploração necessários para que os humanos retornem à superfície lunar e ajudem a preparar a agência para enviar astronautas para Marte”.

Esses contratos podem ser postos em prática já a partir do início do próximo ano e permanecem em vigor por uma quantidade de materiais indeterminados, sem que ultrapassem os 2,6 mil milhões de dólares cada um nos próximos dez anos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mark Zuckerberg tem medo do TikTok (e já se sabe porquê)

Mark Zuckerberg já deixou claro, mais do que uma vez, que não gosta do TikTok. No entanto, agora sabemos o que está por trás desta hostilidade pelo rival: a aplicação está a crescer muito, mesmo …

A empresa mãe da Google já vale um bilião de dólares

Esta quinta-feira, a Alphabet, empresa mãe da Google, conseguiu uma cotação na bolsa de 1 bilião de dólares, cerca de 900 mil milhões de euros. A Alphabet tornou-se, esta quinta-feira, a quarta empresa norte-americana a conseguir …

Cientistas criam "cimento vivo" capaz de se "curar"

Uma equipa de cientistas dos Estados Unidos criou um "cimento vivo" juntando areia e bactérias num material de construção capaz de se auto-reproduzir, de absorver dióxido de carbono e manter a resistência. "Já usamos materiais biológicos …

Sporting 0-2 Benfica | Águia vence dérbi e foge na frente

O Benfica foi o grande vencedor do dérbi lisboeta. Na visita ao Sporting, os “encarnados” marcaram dois golos sem resposta, ambos na segunda parte, por Rafa Silva, entrado no decorrer da segunda parte, após ter …

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos

Um em cada seis homens é vítima de abuso sexual antes dos 18 anos e podem levam décadas até pedir ajuda, por nem sempre aceitarem e entenderem que sofreram violência sexual. Na maior parte dos …

"Messiah", da Netflix, reacende controvérsia sobre os limites da liberdade de expressão

A série Messiah, disponível na plataforma de streaming Netflix, acende a controvérsia em torno dos limites da liberdade de expressão e da criatividade no mundo das artes e do entretenimento. Messiah, uma série produzida por Michael …

Quadro encontrado por jardineiro era mesmo a obra desaparecida de Klimt

Em 1997, Retrato de uma Senhora desapareceu da Galeria de Arte Moderna Ricci Oddi, em Piacenza. Em dezembro, o quadro foi descoberto. Estava escondido numa parede da instituição. O quadro encontrado em dezembro, escondido na reentrância …

Terramotos modificaram a geografia de Porto Rico (e a NASA mostra como)

Os terramotos que Porto Rico tem sentido desde dezembro passado, que causaram pelo menos um morto e milhões de dólares em prejuízos, estão também a mudar a geografia desta ilha das Caraíbas. A agência espacial …

Maldivas desesperam por fundos enquanto continuam a afundar

As Maldivas correm o risco de desaparecer completamente a menos que o Governo consiga aceder a financiamentos para combater a subida das águas. Atualmente, 80% do país está um metro abaixo do nível do mar. "Não …

O avião-baleia da Airbus já fez o seu primeiro voo

https://vimeo.com/385554265 O BelugaXL, da Airbus, é um avião-baleia e é a aeronave com mais espaço de carga do mundo. O avião foi desenvolvido para transportar peças de aviões entre as várias fábricas da empresa europeia e …