NOS é a primeira operadora a conseguir licença 5G em Portugal

José Sena Goulão / Lusa

O Presidente da Comissão Executiva da NOS, Miguel Almeida

A Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) aprovou, esta sexta-feira, a emissão dos direitos de utilização de frequências (DUF) atribuídos à NOS, terminando assim o processo do leilão 5G para a empresa, que pode agora iniciar a exploração comercial das mesmas.

“A Anacom aprovou hoje, 26 de novembro de 2021, a decisão relativa à emissão do título dos direitos de utilização de frequências atribuídos à NOS Comunicações no leilão 5G [quinta geração]”, indicou o regulador, em comunicado.

Esta decisão foi tomada após a NOS ter pago os valores devidos pelo espetro ganho no leilão.

Fica assim concluído o processo de leilão desta empresa, bem como o de atribuição de frequências, com exceção da faixa dos 900 mega-hertz (MHz), “que será objeto de decisão autónoma”, podendo agora a NOS dar início à exploração comercial das frequências.

“A Anacom continuará a dar, como tem vindo a fazer, máxima prioridade à emissão dos títulos, na sequência da concretização, por parte dos licitantes, dos pagamentos e do envio das respostas às audiências prévias relativas aos projetos de decisão relativos a esses títulos”, sublinhou.

Também através de comunicado, citado pelo Jornal de Negócios, a NOS indicou que, “a partir de hoje, os clientes NOS em todo o país já podem tirar partido das características únicas do 5G, beneficiando de uma experiência de utilização superior.”

A empresa acrescentou que os primeiros clientes a experimentar esta oferta comercial serão os “os subscritores do tarifário Sem Limites Max que, sem necessidade de qualquer ativação, passaram a ter acesso imediato à nova tecnologia móvel”. No entanto, a operadora destacou que “nos próximos dias serão lançadas mais ofertas” no âmbito do 5G.

Na mesma nota, Miguel Almeida, CEO da NOS, destacou que o 5G “será um pilar central no processo de transição digital da sociedade portuguesa e no reforço da competitividade da nossa economia”.

“Este é o momento pelo qual esperávamos e para o qual há muito estamos preparados. Vamos, finalmente, poder entregar aos portugueses a tecnologia que vai transformar tudo e abrir possibilidades até aqui nunca imaginadas”, disse ainda.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.