Norte-coreano terá sido condenado à morte por distribuir cópias da série “Squid Game” no país

Um homem norte-coreano terá sido condenado à morte por distribuir cópias da série “Squid Game” – um dos maiores sucesso da Netflix. Já quem as comprou será condenado a penas que vão desde os cinco anos a prisão perpétua.

Segundo revela a Radio Free Asia (RFA), a execução será levada a cabo por um pelotão de fuzilamento.

No que diz respeito às pessoas que compraram as cópias, tratam-se de alunos do ensino secundário. Um deles foi condenado a prisão perpétua, enquanto os outros seis foram condenados a cinco anos por assistirem à série.

De acordo com a agência, o homem terá adquirido uma cópia da série sul-coreana na China e transportou-a para a Coreia do Norte, onde vendeu várias cópias.

As cópias foram vendidas a sete jovens que frequentam o ensino secundário, que já têm as suas penas definidas. Fontes revelaram ainda à RFA que os professores e administradores da escola onde ocorreu o tráfico, foram expulsos e enviados para trabalhar em minas como castigo pelo “lapso”.

“Isto começou na semana passada, quando um aluno comprou secretamente uma pen USB com a série sul-coreana Squid Game e assistiu com um dos seus melhores amigos durante uma aula”, explicou fonte da polícia da província de North Hamgyon ao serviço coreano da RFA.

O rapaz contou a vários outros alunos, que ficaram interessados, e partilharam a sua pen drive com eles. Foram apanhados através de uma denúncia”, acrescentou.

Os acusados foram detidos ao abrigo da Lei sobre a Eliminação do Pensamento e Cultura Reacionários, aprovada em janeiro deste ano, que tem como objetivo impedir que materiais como filmes, séries, músicas, livros e roupa dos Estados Unidos, Coreia do Sul ou Japão se difundam pela população.

A lei prevê pena de morte para quem assistir, manter ou distribuir media de países capitalistas, especialmente se forem provenientes da Coreia do Sul ou dos EUA.

A RFA tentou entrar em contacto com a Netflix para comentar o sucedido, mas não obteve resposta.

  ZAP //

 

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.