Netanyahu quer sanções pesadas para os atiradores de pedras (e seus pais)

Kremlin.ru / Wikimedia

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, anunciou hoje sanções mais pesadas contra atiradores de pedras (Intifada) depois do aumento de “ataques contra cidadãos e polícia” e três dias de confrontos no Monte do Templo, Esplanada das Mesquitas para muçulmanos.

“Foi decidido reforçar as medidas em diversas áreas: uma alteração das regras será examinada, assim como o estabelecimento de uma pena mínima para atiradores de pedras e pesadas multas para os menores – e seus pais – que cometam aqueles crimes”, disse o chefe do Governo israelita, no início de uma reunião de urgência com vários ministros e responsáveis pela segurança.

“Israel está comprometido em manter o ‘status quo’ do Monte do Templo, mas não vai permitir que amotinados impeçam os judeus de visitar o local”, disse Netanyahu.

A Intifada, ou guerra das pedras, é um levantamento palestiniano contra Israel nos territórios ocupados da faixa de Gaza e da Cisjordânia.

Os confrontos dos últimos dias começaram quando as autoridades israelitas entraram na mesquita de Al-Aqsa, numa perseguição a um grupo de palestinianos suspeitos de esconder explosivos na cidade.

A polícia israelita forçou a entrada na mesquita de Al-Aqsa, utilizando gás lacrimogéneo para dispersar “atiradores de pedras” palestinianos. Os confrontos alastram-se depois para a rua.

As forças de segurança israelitas decidiram então encerrar a Esplanada das Mesquitas ao culto, depois dos confrontos, que ocorreram a poucas horas do início do Ano Novo Judeu.

A Esplanada das Mesquitas, que inclui a mesquita Al-Aqsa e a Cúpula da Rocha, é, depois de Meca e Medina, o terceiro lugar sagrado do Islão. É designada pelos muçulmanos como al-Haram al-Sharif, ou Nobre Santuário.

O lugar é igualmente venerado pelos judeus, como o Monte do Templo, sendo considerado o local mais sagrado do judaísmo.

Os palestinianos receiam que Israel esteja a tentar alterar as regras que regem o local. As autoridades israelitas desmentem qualquer intenção.

A Esplanada das Mesquitas rege-se por um ‘status quo’ herdado do conflito de 1967, segundo o qual tanto judeus quanto muçulmanos podem visitar o lugar sagrado com vista para a Cidade Velha de Jerusalém, mas os judeus não têm o direito de rezar no local.

As Nações Unidas e os Estados Unidos já pediram moderação às duas fações, enquanto a Jordânia, que tem a custódia dos lugares sagrados muçulmanos em Jerusalém ao abrigo de um acordo de paz assinado com Israel em 1994, alertou que a situação é melindrosa.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Águas do Porto alerta para cobranças fraudulentas porta a porta

A empresa municipal Águas do Porto alertou, esta segunda-feira, para uma fraude que está a ser cometida em seu nome com falsos funcionários que tentam fazer cobranças à porta. De acordo com a Águas do Porto, …

Um terço dos universitários de Lisboa já sofreu violência sexual física

Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violência sexual física pelo menos uma vez, mas são muitos poucos os que denunciam as agressões, raramente o fazendo à …

OE2020: Esquerda vai negociar "até ao último minuto". PSD não comenta eventual traição madeirense

O Governo apresentou, nesta terça-feira, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) aos partidos com representação parlamentar. Dos encontros, não saiu fumo branco, com o Bloco …

Turismo fez subir o custo de vida dos portugueses. Salários continuam estagnados

O crescimento do turismo em Portugal fez crescer o custo de vida dos portugueses, especialmente nos que vivem nas grandes cidades, apesar de estes continuarem com os salários estagnados, escreve o Jornal de Notícias. Entre 2013 …

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …

Falhas no acesso a remédios não são exclusivo do SNS. No resto da Europa também há, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou que as falhas no acesso a medicamentos não são "um exclusivo nacional", estando em discussão entre os Estados-membros uma "estratégia global para o acesso ao medicamento". A ministra da Saúde afirmou …

Canal Panda e jogar sem medo. A receita de Lage para vencer os russos do Zenit

O Benfica joga esta terça-feira com o Zenit de São Petersburgo, na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões. Os encarnados precisam de vencer por dois (ou mais) golos para garantir …