Nenhum país mata mais ambientalistas do que o Brasil

Valter Campanato / Agência Brasil

O Brasil foi o país que mais matou ambientalistas e defensores de terras em 2017, divulgou a ONG Global Witness, num relatório classificado pelo governo Michel Temer como fake news.

O relatório da Global Witness, divulgado nesta terça-feira, aponta que o Brasil teve o maior número de mortes já registado num ano em qualquer país, com o assassinato de 57 pessoas, 80% delas tentando proteger a Amazónia.

Mundialmente, 207 defensores da terra e do meio ambiente foram mortos em 2017 nos países monitorizados pela ONG, seis a mais do que no ano anterior, fazendo deste período o mais sangrento desde o início do levantamento em 2015. O Brasil é seguido no ranking pelas Filipinas (48 mortes), Colômbia (24) e México (15).

A ONG diz que, no Brasil, “a situação vai de mal a pior” e mostra especial preocupação com o aumento no número de chacinas no ano passado, quando o país foi palco de três massacres que, no total, levaram à morte de 25 ativistas.

“O Brasil sempre foi um dos piores países para os defensores do meio ambiente, mas a situação é pior hoje porque o governo tem debilitado muito as instituições que devem defender as comunidades e os indígenas. Quero dizer que instituições como o Incra e a Funai estão mais fracas do que antes”, disse ao BuzzFeed News o autor do relatório da Global Witness, Ben Leather.

Os números incluem o massacre de nove trabalhadores rurais em Mato Grosso em abril, assim como a morte de dez agricultores sem terra no Pará em maio.

Global Witness

O Brasil é o país com o maior índice de mortalidade em 2017, entre as 22 nações que registaram este tipo de homicídio

O governo de Michel Temer reagiu duramente ao relatório e qualificou os dados como “equivocados”, “frágeis” e “inflamados”. Para o Planalto, a metodologia do levantamento é duvidosa.

“Denúncias falhadas e mal apuradas são exemplo de fake news usadas para atacar o governo, cujo compromisso essencial tem sido defender o povo brasileiro”, diz nota da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência.

Para o governo, a ONG teria contabilizado como ativistas mortos em supostos conflitos agrários os assassinatos atribuídos por investigações policiais a ajustes de contas entre narcotraficantes.

A Global Witness não poupa críticas a Temer e afirma que, em vez de tomar medidas para acabar com os ataques, o presidente e o Congresso brasileiro estão ativamente a enfraquecer as leis e as instituições destinadas a proteger os direitos à terra e os povos indígenas.

A ONG lamenta, ainda, os cortes no orçamento de 30% para o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e de quase metade do orçamento da Fundação Nacional do Índio (Funai), o que obrigou a agência a fechar algumas bases regionais.

“Temer facilitou, mais do que nunca, que indústrias, como o agronegócio – associado a pelo menos 12 dos assassinatos no Brasil em 2017, de acordo com as estatísticas da Global Witness, – imponham seus projetos sem consultar as comunidades afetadas“, diz a ONG, que cita uma assimetria de poder entre o agronegócio e seus apoiadores políticos e os povos indígenas, afrodescendentes e pequenos agricultores.

O governo brasileiro respondeu, dizendo que o agronegócio é responsável por grande parte da geração de emprego e renda no país. Os resultados do levantamento da Global Witness não indicam uma nova tendência: o Brasil também havia tido os resultados mais funestos no relatório da ONG de 2016, quando foram registados 49 assassinatos no país.

A ONG alerta que os números reais de mortes provavelmente são ainda maiores devido aos desafios na identificação e na denúncia dos assassinatos.

PARTILHAR

RESPONDER

Vibrações provocadas por "estrelamotos" permitem precisar a idade da Via Láctea

Os tremores estelares registados pelo telescópio espacial Kepler, da NASA, ajudaram a responder a um antigo enigma sobre a idade do "disco espesso" da Via Láctea. Uma equipa de cientistas, liderada por investigadores do Centro de …

Este casaco foi desenhado para nos ajudar a dormir em qualquer lado

A britânica Vollebak lançou um casaco, inspirado nos astronautas, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado. A pensar em todas aquelas pessoas que gostam de fazer uma sesta ou outra, independentemente do …

DJ Juice WRLD morre aos 21 anos

A estrela do hip-hop norte-americano Juice WRLD faleceu este domingo (8), depois de sofrer convulsões no Aeroporto de Midway, em Chicago, avança o TMZ. O rapper tinha feito 21 anos a 2 de dezembro. De acordo …

"A Favorita" arrebata prémios do cinema europeu

O filme "A Favorita", do realizador grego Yorgos Lanthimos, arrecadou oito prémios da Academia de Cinema Europeu, numa cerimónia realizada em Berlim. "A Favorita" conquistou, entre outros, os prémios de Melhor Filme Europeu, Melhor Comédia, Realização …

Belenenses 1-1 Porto | "Dragão" escorrega e deixa fugir líder

O FC Porto não foi além de um empate na visita ao Jamor, ante o Belenenses. André Santos abriu as “hostilidades” e Alex Telles, na marcação de uma grande penalidade, fixou o resultado final. Com esta …

Caligrafia desleixada de Isabel I denuncia-a como a tradutora anónima de um livro romano

A rainha Isabel I de Inglaterra foi identificada como a tradutora anónima do livro "Anais" de Tácito. As idiossincrasias da sua caligrafia acabaram por ser fundamentais para a descoberta. Na análise a uma tradução de século …

Hashtags políticas como #MeToo tornam as pessoas menos propensas a acreditar em notícias

Tendem a passarem despercebidas, mas as hashtags são mais importantes do que julgamos. A questão que se impõe é: serão benéficas para a saúde democrática da Internet? Uma hashtag (#) é uma marca funcional, amplamente usada …

Sporting 1-0 Moreirense | "Leão" resolve à cabeçada

O Sporting regressou às vitórias na Liga NOS, embora não sem sentir algumas dificuldades, em especial no ataque. Os "leões" bateram o Moreirense por 1-0, numa partida em que remataram muito (28, máximo na Liga até …

Orçamento do Estado. "Sentido de voto do BE está completamente em aberto"

A coordenadora do BE afirmou, este domingo, que o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado para 2020 está "completamente em aberto", desejando que o Governo socialista atenda às reivindicações bloquistas. "Fizemos uma …

João Cotrim Figueiredo eleito presidente da Iniciativa Liberal com 96% dos votos

João Cotrim Figueiredo foi eleito, este domingo, presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal, uma candidatura única que recolheu 96% dos votos na III Convenção Nacional do partido. A III Convenção Nacional do partido decorre hoje …