Nelson Évora denuncia caso de racismo. Discoteca nega acusações

NelsonEvora1984 / Facebook

"Em pleno século XXI atitudes destas achava que já não existiam", lamentou o atleta Nelson Évora ao denunciar um caso de racismo na sua página do Facebook.

“Em pleno século XXI atitudes destas achava que já não existiam”, lamentou o atleta Nelson Évora ao denunciar um caso de racismo na sua página do Facebook.

O presidente do conselho de administração do grupo K negou que tenha havido qualquer ato racista para com atletas, nomeadamente Nelson Évora, na discoteca Urban Beach, tal como este denuncia na sua página oficial no Facebook.

A denúncia de racismo foi feita na noite de segunda-feira, pelas 22h, no Facebook, tendo Nelson Évora escrito que na noite de 19 de abril foi-lhe negada a entrada na discoteca lisboeta Urban Beach por haver “demasiados pretos no grupo”.

A ida à discoteca fazia parte de uma surpresa organizada por amigos do atleta, que tinham mesas pré-reservadas na discoteca.

“Éramos um grupo de 16 pessoas com mesas pré-reservadas e não é que somos surpreendidos pelos responsáveis daquele espaço público. Porquê? Demasiados pretos no grupo“, lê-se no texto escrito pelo atleta.

Nelson Évora considera o caso narrado como racismo e acrescenta que no grupo de atletas estavam Francis Obikwelu, Naide Gomes, Carla Tavares, Susana Costa e Rasul Dabó.

A publicação, que esta manhã já conta com quase 40 mil “Gosto” e mais de nove mil partilhas, foi acompanhada de uma foto a segurar uma banana, uma referência ao caso do jogador do Barcelona Daniel Alves, que deu a volta a uma situação de racismo no futebol comendo a banana que lhe tinha sido atirada das bancadas.

Este contexto pode justificar o facto de Nelson Évora denunciar a situação apenas agora, mais de uma semana depois do sucedido, mas o atleta não prestou quaisquer declarações depois da publicação.

Grupo K nega insultos racistas

Cerca de duas horas depois de Nelson Évora tornar público o que alegadamente se passou à porta da discoteca Urban Beach, o presidente do conselho de administração do grupo K deixou uma mensagem no Facebook do atleta, dizendo-se surpreendido com as acusações feitas.

Em declarações à agência Lusa, Paulo Dâmaso negou que tenha ocorrido qualquer ato racista por parte dos funcionários da discoteca e disse estranhar que a denúncia só aconteça nove dias depois.

“Falei com o gerente do estabelecimento, falei com as pessoas que estavam nessa noite na porta, informei-me para saber realmente o que tinha acontecido, se [as acusações] teriam algum fundamento ou não e foi-me dito que não”, garantiu.

Segundo Paulo Dâmaso, o porteiro da discoteca não permitiu que o grupo entrasse porque “havia uma ou duas pessoas que estavam desenquadradas em termos do ambiente que é normal no Urban Beach”, ou seja, não corresponderiam ao dress code exigido.

O responsável pelo grupo K garantiu que Nelson Évora nunca fez uma reclamação formal, nem na noite dos acontecimentos nem depois, e estranhou que o venha fazer agora.

Acrescentou que o atleta poderia ter pedido o livro de reclamações ou chamar o gerente e que, caso o funcionário tivesse dito aquela frase, a empresa abriria um processo disciplinar.

Paulo Dâmaso apontou ainda que esta situação está a trazer prejuízos à empresa, mas disse preferir conseguir chegar à fala com o atleta antes de ponderar tomar outra iniciativa.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Comer muitas refeições takeaway pode aumentar a probabilidade de morte

Comer demasiadas vezes refeições takeaway pode afetar negativamente a saúde das pessoas. Isto porque, muitas vezes, a comida em causa é fast food. A pandemia de covid-19 veio intensificar a adoração das pessoas pelas refeições takeaway. …

Fezes de morcego ajudam a decifrar o passado da humanidade

Uma equipa de investigadores australianos usou fezes de morcego para ajudar a entender uma parte do passado dos nossos ancestrais. Para perceber melhor como é que artefactos antigos são alterados pelo sedimento em que estão enterrados …

"É como fogo". Dezenas de pessoas morreram na República Dominicana após ingestão de álcool ilegal

Depois de dezenas de pessoas morreram por intoxicação nas últimas semanas, as autoridades da República Dominicana acabaram por fechar várias lojas de bebidas alcoólicas. As lojas de bebidas clandestinas situavam-se sobretudo na capital, Santo Domingo, mas …

Eis AlphaDog, a resposta da China para o cão-robô norte-americano Spot

A empresa de tecnologia Weilan, sediada em Nanjing, na China, desenvolveu o AlphaDog, um cão-robô que usa sensores e inteligência artificial (IA) para realizar uma série de aplicações, incluindo entrega de encomendas e orientação para …

E se a vacina contra a covid-19 se chamasse Trumpcine? O "sir" sugeriu e Donald Trump gostou

No fim de semana passado, durante um encontro do Comité Nacional Republicano, o ex-Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que alguém sugeriu que as vacinas disponíveis contra a covid-19 deveriam receber o seu nome. …

O custo da paz mundial é bastante inferior ao custo da guerra

Um recente relatório do Instituto de Economia e Paz (IEP) conclui que o custo dos países com a violência é bem superior ao custo com a paz mundial. O Instituto de Economia e Paz estima que, …

Malta vai pagar aos turistas que visitarem a ilha durante o verão

Numa altura em que pandemia não tem dado tréguas ao setor do turismo, Malta anunciou um conjunto de medidas com o objetivo de encorajar os viajantes a visitarem o país e a ficarem hospedados nos …

Pentágono confirma que filmagens de OVNI em forma de pirâmide são autênticas

Uma nova série de imagens e vídeos de OVNIs (Objetos Voadores Não Identificados) filmados pela Marinha dos Estados Unidos foi agora confirmada como autêntica pelo Pentágono. Enquanto muitas pessoas geralmente se referem a avistamentos misteriosos …

Irão vai aumentar produção de urânio enriquecido em resposta ao “terrorismo nuclear” de Israel

O Irão justificou esta quarta-feira a decisão de enriquecer urânio a 60% como resposta ao “terrorismo nuclear” e à “maldade” israelita, referindo-se ao alegado ataque contra a central de Natanz, no domingo. “A decisão de enriquecer …

Possibilidade de ser reinfetado baixa 84% para quem já teve covid-19

Um novo estudo indica que a infeção prévia por SARS-CoV-2 protege a maioria dos indivíduos contra a reinfecção durante uma média de sete meses As probabilidades de reinfeção não descem até zero, mas um novo estudo, …