Naufrágio mata pelo menos 150 pessoas perto da costa líbia

Um naufrágio com duas embarcações na costa da Líbia matou, esta quinta-feira, pelo menos 150 pessoas. As restantes foram salvas por um barco de pesca que se encontrava nas proximidades.

Pelo menos 150 pessoas morreram, esta quinta-feira, num naufrágio com duas embarcações nas proximidades da costa líbia, avançou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), citado pelo Público.

Calcula-se que estivessem a bordo cerca de 300 refugiados e migrantes, maioritariamente da Eritreia, sendo que os restantes foram salvos graças a um barco de pesca que se encontrava nas proximidades, tendo regressado ao país do Norte de África.

“Este evento terrível demonstra, mais uma vez, a necessidade extrema de mudar-se a abordagem no Mediterrâneo. Uma ação urgente é necessária para salvar vidas e prevenir, em primeiro lugar, que outras pessoas entrem naqueles barcos, oferecendo alternativas legais e seguras”, afirmou Charlie Yaxley, porta-voz do ACNUR, citado pelo Expresso.

Desde o início de 2019, já morreram pelo menos 686 pessoas no Mediterrâneo, número que não inclui ainda o naufrágio desta quinta-feira. Em 2018, morreram 1510 pessoas.

Segundo o Público, o Alto Comissariado e outras agências das Nações Unidas têm apelado incessantemente para que estas pessoas não sejam devolvidas à Líbia, onde acabam por viver em condições atentatórias aos direitos humanos, entre tráfico humano, tortura e violações.

Quase 38 mil pessoas chegaram à Europa pelo mar durante este ano, enquanto outras oito mil fizeram-no por terra, regista o Organização Internacional de Migrações (OIM).

A diminuição de chegadas deve-se ao facto de o Governo italiano ter acordado com a guarda costeira da Líbia o bloqueio de todas as embarcações. Ainda esta sexta-feira, o ministro do Interior italiano, Matteo Salvini, avisou que vai impedir o desembarque de 140 migrantes que estão em barcos da Guarda Costeira italiana até que haja um acordo para a sua distribuição pelos países europeus.

A 23 de julho, 14 países da União Europeia (UE) chegaram a um “acordo de princípio” sobre uma iniciativa franco-alemã para um mecanismo temporário que permita o desembarque de migrantes resgatados no Mediterrâneo central e a sua posterior distribuição entre os Estados.

Itália não participou na reunião e Salvini disse que foi “um erro de forma e substância”, avisando que o país “não é dama de companhia de ninguém e não obedece a nenhuma ordem”.

No momento, não há navios de qualquer operação europeia no Mediterrâneo central, nem de ONG, já que algumas destas últimas viram os seus barcos apresados pela Justiça italiana no âmbito de investigações de “ajuda à imigração ilegal”.

O único navio operacional neste momento é o “Ocean Viking” da SOS Mediterranée e da Médicos sem Fronteiras, mas ainda não chegou à área, e o navio da Open Arms está atracado na Sicília.

ZAP // Lusa

 

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. A Europa não aguenta com tanto imigrante porra. Correram com os brancos de África e agora vem eles para cá colonizar a Europa.

  2. Curioso… não foram os brancos que por lá estiveram e que deixaram o país naquele estado?
    De uma certa forma os brancos são os culpados!!!

RESPONDER

Forças Armadas dos EUA estão a adquirir coletes à prova de bala adaptados para mulheres

As Forças Armadas dos EUA estão a dar grandes passos no que diz respeito à igualdade de género. A instituição está a começar a mudar os seus coletes à prova de bala, de forma a …

Abstenção do PCP no OE2021? É um excelente indicador, diz Costa

O primeiro-ministro, António Costa, considerou um “excelente indicador” o PCP ter anunciado a abstenção no Orçamento do Estado de 2021 (OE2021) e resultado de um entendimento “para ter um bom orçamento para o próximo ano”. “É …

Egito abre restaurante com vista de luxo para as pirâmides de Gizé

O Egito inaugurou um novo restaurante com vista panorâmica para as pirâmides. O investimento faz parte de uma tentativa de reavivar o turismo no país. O Egito revelou novas instalações para os visitantes no planalto nas …

Novo recorde. Portugal regista mais 3.669 casos de covid-19

Portugal regista este sábado 3.669 novos casos de infeção com o novo coronavírus, responsável pela covid-19, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia, e mais 21 mortes relacionadas com a covid-19, segundo …

Câmara do Porto encerra cemitérios nos dias 31 de outubro e 1 e 2 de novembro

O presidente da Câmara do Porto anunciou o encerramento dos cemitérios em 31 de outubro e 1 e 2 de novembro, justificando a decisão com a necessidade de desviar meios para cumprir a proibição de …

Rui Vitória de saída do Al Nassr

O treinador português Rui Vitória está de saída do Al Nassr, avança este sábado o canal árabe 24Sports. A saída de Rui Vitória, que em janeiro de 2019 deixou o comando técnico do Benfica, surge …

Casamento com 200 pessoas autorizado em Arruda dos Vinhos. Câmara contesta

O presidente da Câmara de Arruda dos Vinhos criticou a decisão da autoridade de saúde de autorizar a realização de um casamento “com cerca de 200 pessoas”, considerando que vai colocar a população do concelho …

Novo Banco desmente demissão de gestores após polémicas com Fundo de Resolução e Vieira

O Novo Banco veio a público desmentir a notícia do Público que alega que três gestores de topo da instituição se demitiram, após divergências internas envolvendo várias polémicas relacionadas com o Fundo de Resolução, com …

Milhões da bazuka europeia só chegam em junho

Portugal e os restantes Estados-membros das União Europeia (UE) só deverão receber os respetivos fundos da bazuka europeia de apoio à retoma no pós-pandemia na segunda metade de 2021, em meados de junho. A confirmar-se …

Braço de ferro entre Costistas e Nunistas novamente adiado

O PS voltou a adiar, agora de 31 de Outubro para 7 de Novembro, a reunião da Comissão Nacional que decidirá a orientação do partido face às eleições presidenciais. Fica assim adiado o braço-de-ferro entre …