A NASA está com falta de astronautas

3

(h) EPA/SpaceX

A agência espacial norte-americana está a ter dificuldade em empregar astronautas — e tem neste momento o menor número desde os anos 70.

Um novo relatório divulgado pelo Gabinete de Investigação Geral da NASA revelou que o seu corpo de astronautas nunca foi tão reduzido: a agência espacial tem agora 44 astronautas — um forte contraste com o seu pico de 150 astronautas em 2000.

De acordo com a Futurism, esta tendência decrescente levanta preocupações sobre a forma como a NASA vai tripular as suas ambiciosas missões, que incluem o regresso de humanos à Lua nos próximos anos.

O relatório prevê que o corpo de astronautas fique “abaixo do seu tamanho alvo ou do manifesto mínimo exigido no ano fiscal (AF) 2022 e AF 2023 devido ao desgaste e necessidades adicionais de manifesto de voo espacial”.

Além disso, o “Gabinete de Astronautas calculou que o tamanho do corpo seria exatamente igual ao número de lugares de manifesto de voo que a NASA necessitará no AF 2022”.

“Como resultado, a agência pode não ter um número suficiente de astronautas adicionais disponíveis para desgastes imprevistos e as reafetações da tripulação ou funções em terra, tais como a participação no desenvolvimento do programa, a contratação de pessoal de liderança do Gabinete de Astronautas e posições de ligação”, continua o relatório.

“Tendo em conta a expansão das oportunidades de voo espacial previstas para as missões Artemis, o corpo poderá estar em risco de ser desalinhado no futuro, resultando em reorganizações perturbadoras da tripulação ou atrasos nas missões“, alerta ainda.

E a razão para a falta de astronautas é simples: muitos astronautas reformaram-se.

Depois da agência ter anunciado que as missões do Vaivém Espacial seriam largamente descontinuadas, houve uma taxa de desgaste dos astronautas de 11,1% — ou cerca de 10 astronautas por ano entre 2004 e 2012.

Felizmente, escreve a Futurism, espera-se que essa taxa de desgaste desça, uma vez que a NASA anunciou recentemente a sua nova ronda de candidatos a astronautas.

Ainda assim, o relatório apresenta um olhar sóbrio sobre as questões de recursos que a NASA precisa de abordar a fim de cumprir as suas próximas missões: vai precisar de equilibrar delicadamente as restrições orçamentais juntamente com os prazos de formação para cumprir os seus objetivos.

  ZAP //

3 Comments

    • Essa é uma grande verdade. Esta será definitivamente a geração mais estúpida de sempre (a dos “pequenos príncipes – tiranos – do milénio”), mas que vive convencida que nasceu ensinada e como tal, não precisa de lutar por nada, a não ser, por futilidades sem nexo, que não exijam muito trabalho e completamente desnecessárias para a evolução da Humanidade.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.