Alerta: não estamos a aplicar protetor solar como devíamos

O protetor solar não nos protege tanto como pensávamos. De acordo com um estudo, a falha não está relacionada com a qualidade do produto, mas com a forma como este é aplicado.

Segundo o estudo, publicado esta terça-feira na revista Acta Dermato-Venereology, as pessoas tendem a não aplicar uma camada de creme espessa o suficiente de forma a obter todos os benefícios da proteção solar.

Os cientistas apontam que quando um creme com um fator de proteção solar (FPS) 50 é aplicado de uma forma “comum” – ou seja, é aplicada uma camada relativamente fina – fornece, no máximo, 40% da proteção esperada. Ou seja, com uma má aplicação perde-se mais de metade da proteção esperada.

“Não há dúvidas que o protetor solar fornece uma importante proteção contra o impacto dos raios ultra-violeta do sol que podem causar cancro”, explicou no artigo o professor do Instituo de Dermatologia do King’s College de Londres, no Reino Unido, Antony Young.

Acrescentando, no entanto, “que a pesquisa mostra é que a forma como o protetor solar é aplicado desempenha uma papel importante ao determinar quão eficaz a proteção será”, explicou.

É do senso comum que aplicar pouco protetor solar pode causar queimaduras e danos na pele. Porém, este novo estudo é um dos primeiros a avaliar a quantidade de danos que são causados no ADN da pele quando as pessoas aplicam o protetor da forma “típica” – isto é, quando as pessoas aplicam quantidades menores do que as utilizadas pelos fabricantes deste produtos quando testam os protetores solares para determinar a sua classificação SPF.

A quantidade certa de protetor solar – a que é aplicada pelos fabricantes durante os testes – é de dois miligramas por centímetro quadrado (2 mg/cm2), aponta a investigação.

O estudo envolveu 16 pessoas com pele clara que foram expostas à radiação ultravioleta que simulou a luza solar. No procedimento experimental, apenas uma pequena parte da pele dos participantes foi exposta à radiação.

O protetor solar foi aplicado na pele da amostra com diferentes espessuras – desde 0,75 mg/cm2 (que representa o uso “comum”) até à dose recomendada, de 2 mg/cm2.

Alguns dos participantes foram expostos à radiação ultra violeta durante cinco dias consecutivos, de forma a imitar as condições de exposição solar mais comuns durante as férias. Os cientistas também variam a intensidade da radiação de baixa a alta.

No final da experiência, os investigadores fizeram biopsias à pele que foi exposta à radiação. As conclusões mostraram a existência de danos consideráveis no ADN nas zonas que não receberam proteção solar, mesmo que a radiação usada nessas mesmas áreas fosse baixa. Por questões éticas, a dose de radiação usada na pele desprotegida foi mínima, de forma a não provocar queimaduras solares.

De acordo com os investigadores, um só dia de exposição à radiação sem qualquer filtro solar causou mais danos do que cinco dias consecutivos com a dose recomendada de protetor solar (2 mg/cm2).

Assim, os resultados “demonstram que as mensagens de saúde pública devem apelar à correta aplicação do protetor solar para obter o máximo de benefícios e proteção”, argumentaram os investigadores.

De acordo com um outro estudo, publicado em 2002 na revista JAMA Dermatology, para obter a camada certa, as pessoas devem usar cerca de 35 mililitros de protetor solar para o corpo inteiro.

Tendo em conta que as pessoas aplicam uma quantidade menor do que deviam, os investigares recomendam que os consumidores usem um protetor com FPS superior ao que acham mais indicado para a sua pele.

“Em teoria, um FPS 15 deveria suficiente para proteger a pele da maioria das pessoas. No entanto, sabemos que na realidade precisamos de um fato de proteção solar mais elevado” de 30 ou mais, disse Nina Goad, da Associação Britânica de Dermatologistas.

Goad disse ainda que as pessoas não devem confiar apenas no protetor solar, explicando que “também devemos recorrer a roupas e procurar as sombras” para aumentar a proteção, concluiu.

ZAP ZAP // Live Science

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. Tendo a concordar com o artigo e com a opinião dos especialistas, na medida que os humanos vêm equipados com balança de precisão nas mãos, qual Bimby biológica, pelo que não se percebe por que razão as quantidades recomendadas (2mg/cm²) não são aplicadas, à excepção da de poupar no material.
    Ora que raio de conclusão. Se o recomendado são as 2 mg/cm², as embalagens deveriam ser feitas de forma a que a aplicação recomendada resultasse de uma quantidade pré-determinada pela embalagem, com a indicação da área a que corresponde àquela quantidade de produto. Enfim.

  2. O mais adequado é evitar a exposição nas horas de maior calor. Há quem não esteja de acordo com o uso de protetor solar pois diminui a fixação da vitamina D (desde que a exposição seja feita fora das horas críticas). Este artigo dá jeito aos fabricantes, quanto mais se usa, mais se gasta, mais se compra… É só negócio..

  3. E ainda há os estudos que dizem que o protector solar colocado, que se vai dissolvendo na água do mar, está a matar a vida marinha, começando pelos corais.

  4. O problema é que as pessoas sentem-se obrigadas a proteger a carteira caso contrário lá se vai todo o subsídio de férias para o protector solar, portanto senhores fabricantes abdiquem um pouco dos lucros e protejam melhor os clientes.

RESPONDER

As mudanças climáticas estão a contribuir para a alteração do sabor do café

Há muito tempo que se tem conhecimento que as mudanças climáticas têm tido um impacto negativo no ambiente e na população, o que não se sabia é que este fenómeno também está a afetar o …

Químicos encontrados na comida e no ar ameaçam a fertilidade dos homens

Em apenas algumas gerações, a contagem de espermatozoides humanos pode diminuir para níveis abaixo daqueles considerados adequados para a fertilidade. Esta é a afirmação alarmante feita no novo livro da epidemiologista Shanna Swan, "Countdown", que reúne …

"Nomadland" é aposta na reabertura das salas de cinema

As salas de cinema reabrem já na segunda-feira e a grande aposta é Nomadland – Sobreviver na América, da realizadora Chloé Zhao. O premiado filme Nomadland – Sobreviver na América, da realizadora Chloé Zhao, é a …

Invasão ao Capitólio recriada através de vídeos divulgados nas redes sociais

A VICE recriou a invasão ao capitólio, no dia 6 de janeiro de 2021, através de vídeos divulgados pelos manifestantes nas redes sociais. Os resultados das eleições presidenciais norte-americanas não convenceram toda a gente. Uma parcela …

França cria delito de "ecocídio" para punir poluição ambiental

A lei resulta de uma recomendação da Convenção de Cidadãos pelo Clima e visa penalizar casos de poluição ambiental com crime específico. A câmara baixa francesa aprovou, este sábado, a criação do delito de “ecocídio” para …

Estação de metro abandonada em NY é o set de filmagens secreto mais bem guardado de Hollywood

A Bowery Station, uma estação de metro em Nova Iorque, permaneceu abandonada durante cerca de 20 anos, mas desfruta agora de uma nova vida. Tudo começou em 2016, quando Sam Hutchins, um veterano da indústria cinematográfica, procurava …

Nacional 0-1 FC Porto | Dragão cansado não facilita

O FC Porto foi à Madeira vencer o Nacional por 1-0. Quem pensou que seria jogo de goleada para os “azuis-e-brancos” enganou-se por completo. Os insulares deram luta, só permitiram um golo, por parte de Mehdi …

João Leão aposta num OE de "expansão" (e mantém a fé num acordo à esquerda)

O ministro das Finanças, João Leão, acredita que o sétimo Orçamento do Estado será aprovado com os partidos à sua esquerda. Ao semanário Expresso, João leão explicou que os próximos Orçamentos do Estado não serão de …

Português investigou histórias por detrás das dedicatórias de Beethoven

A dedicatória do compositor Beethoven da famosa "Sonata ao Luar" a uma alegada musa foi, afinal, uma forma sarcástica de se vingar pela forma como se sentiu desrespeitado, descobriu o musicólogo e pianista português Artur …

Nos canais de Utrecht, os peixes têm uma "campainha" para passar pela barreira

Quando os peixes desovam pelos canais de Utrecht, nos Países Baixos, costumam ser bloqueados pela eclusa Weerdsluis. Agora, a cidade lançou a primeira campainha para peixes do mundo. De acordo com o Dutch Review, o sistema …