As mulheres são mais inteligentes emocionalmente do que os homens

Angelo Carconi / EPA

A empatia, traço de inteligência emocional que nos permite compreender como outras pessoas se sentem e ajuda a forjar conexões mais próximas com elas, pode ser determinada geneticamente, pelo menos em parte, e é mais comum nas mulheres do que nos homens, segundo um novo estudo.

Este estudo com 46 mil pessoas, feito pela Universidade de Cambridge, em Inglaterra, é o primeiro a encontrar evidências de que os genes têm um papel no nível de empatia dos seres humanos.

Até hoje, a empatia era considerada um traço de personalidade que pode ser desenvolvido durante a infância e através das experiências de vida. Esta característica ajuda a reconhecer as emoções de outras pessoas e a responder de maneira apropriada, por exemplo, para saber quando alguém está triste e precisa de ser consolado.

Mas na nova pesquisa, divulgada no periódico científico Translational Psychiatry, cientistas debruçaram-se sobre a hipótese de esta característica também poder estar nos nossos genes.

“Quociente de empatia”

Os participantes do estudo tiveram o seu “quociente de empatia” medido através de um questionário e forneceram amostras de saliva para testes de ADN.

A partir daí, os cientistas procuraram diferenças nos seus genes que pudessem explicar porque é que algumas pessoas são mais empáticas do que outras.

Descobriram que, pelo menos, 10% das diferenças no grau de empatia das pessoas podem ser creditadas à genética. E determinaram também que as diferenças genéticas associadas a um menor grau de empatia estão ligadas a um risco maior de autismo.

As mulheres tiveram pontuação média maior do que os homens no questionário. Do máximo de 80 pontos, as voluntárias conseguiram, em média, 50, contra 41 deles.

Mas os investigadores afirmam que ainda não conseguiram identificar que traços genéticos são os responsáveis pela diferença de género.

“É um passo muito importante para entender o papel que a genética tem nesta capacidade”, refere o líder do estudo, Varun Warrier, citado pela BBC.

“Mas como só um décimo da variação de empatia entre os indivíduos é causado pela genética, continua a ser muito importante entender os factores não genéticos”, destaca.

É preciso estudar mais pessoas

No entanto, os cientistas reconhecem que a pesquisa tem limitações. O facto de o quociente de empatia ser determinado por um questionário, por exemplo, poderá enviesar os resultados.

Além disso, ainda não conseguiram encontrar os “genes da empatia”, especificamente responsáveis pela característica, apesar de terem percebido diferenças entre pessoas mais ou menos empáticas.

Os autores do estudo afirmam que é preciso um número ainda maior de pessoas para encontrar possíveis genes que afectem o grau de empatia.

O professor Gil McVean, que lecciona genética estatística na Universidade de Oxford, no Reino Unido, refere à BBC que o papel dos genes na empatia ainda é “menor”, quando comparado com outros factores relacionados com o ambiente em que a pessoa cresce.

“Sabemos que qualquer coisa que se pode medir nos humanos tem uma componente genética. Isso já estabelece que a empatia também pode ter uma componente hereditária”, afirma.

Edward Baker, do departamento de psicologia da King’s College London, refere que o estudo é um “primeiro passo” para explorar o elo de ligação entre a genética e a personalidade. O investigador concorda, no entanto, que é necessário investir numa pesquisa ainda maior.

ZAP // BBC

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Ora isso é alguma novidade?
    As mulheres são mais sensíveis que os homens. Logo são mais sensíveis aos problemas dos outros. Nasce logo com elas, embora possa ser desenvolvido, em umas mais que outras, dependendo da maneira como são educadas e nas vivências da vida.

RESPONDER

Marcelo Rebelo de Sousa promulgou a nova lei da paridade (mas com alguns parêntesis)

O Presidente da República promulgou a nova Lei da Paridade. A lei estabelece que as listas para a Assembleia da República, para o Parlamento Europeu e para as autarquias locais têm de assegurar a representação …

Cientistas descobrem o que provocou três eras glaciais na Terra

Cientistas estadunidenses calcularam que um evento geológico repetido deu origem às três últimas eras glaciais no nosso planeta, a última das quais ainda mantém o seu gelo nas regiões polares. Segundo a revista Science, a responsável …

A Terra pode guardar um Oumuamua no seu interior

Uma parte da terra que pisamos poderia vir, literalmente, de outras regiões da galáxia - áreas muito distantes do local onde o planeta está localizado e que para chegar até aqui teriam que viajar anos-luz …

Há um planeta mais próximo da Terra do que Vénus

A partir do Sol, a ordem dos primeiros planetas começa com Mercúrio, depois Vénus e depois a Terra. Então, Vénus é o planeta mais próximo do nosso? A resposta é: depende. Uma equipa de cientistas acaba …

O fim das consolas está à vista. Google lança serviço de videojogos na "nuvem"

A Google apresentou o seu novo serviço de jogos na "nuvem", Stadia, na Game Developers Conference (GDC), em São Francisco. O serviço não precisa de nenhuma consola e pode ser jogado em qualquer plataforma. O CEO …

Câmaras escondidas em hotéis filmavam hóspedes sem consentimento

O escândalo foi revelado na Coreia do Sul, onde dois homens foram presos por esconder câmaras em hotéis, que transmitiam as imagens em direto para um site, onde havia quem pagasse dinheiro para ver as …

Mesquita Nunes quer ser feliz (e que haja espaço nos partidos para quem tem vida profissional)

Adolfo Mesquita Nunes defende que "tem de haver espaço nos partidos para quem tem vida profissional". O antigo vice-presidente do CDS/PP apresentou a sua demissão do partido para assumir funções na administração da Galp. "Tem a …

Finlandeses são o povo mais feliz do mundo

A Finlândia lidera, pelo segundo ano consecutivo, um ranking da ONU das populações mais felizes, onde os investigadores dizem que os níveis de felicidade no mundo estão a diminuir. O Relatório Mundial sobre a Felicidade de …

Condenado por homicídio com provas semeadas pela Polícia vai receber 13 milhões de dólares

O Conselho de Supervisores de San Francisco, nos Estados Unidos (EUA), aprovou na terça-feira uma indemnização de 13,1 milhões de dólares (cerca de 11,5 milhões de euros) a um homem que passou mais de seis …

Manhattan vai crescer para se proteger das mudanças climáticas

O responsável de Manhattan, Bill de Blasio, anunciou o seu plano de expandir o litoral de Manhattan até o East River para proteger a parte baixa de Manhattan, centro dos mercados financeiros da cidade, dos …