Mulher no Texas engravida duas vezes na mesma semana. E dá à luz gémeos

Uma mulher do Texas engravidou enquanto já estava grávida, e acabou por dar à luz gémeos, concebidos com cerca de uma semana de intervalo.

Cara Winhold, de 30 anos, soube inicialmente que estava grávida em março de 2021. Quando fez uma ecografia, cinco semanas mais tarde, parecia haver apenas um embrião a desenvolver-se no seu útero, segundo o Daily Mail.

No entanto, como Winhold tinha um historial de abortos espontâneos, o seu médico pediu-lhe que viesse fazer outra ecografia apenas duas semanas mais tarde, para verificar se a gravidez estava a progredir bem. Nessa consulta de seguimento, não apareceu apenas um, mas sim dois embriões.

“Na primeira ecografia, via-se uma imagem com um bebé e depois, quando voltei, já se via outro bebé”, contou Winhold. “Podia-se ver que o bebé A estava mais desenvolvido, enquanto o outro era como um ponto pequeno”.

Tal como a ciência indica, quando uma mulher fica grávida, o seu corpo inicia vários processos biológicos que visam prevenir uma gravidez simultânea, incluindo a libertação de hormonas para interromper a ovulação.

Contudo, em casos raros, uma mulher grávida pode continuar a ovular ou libertar um óvulo, e esse óvulo pode então ser fertilizado pelo esperma e implantado no útero. Esse fenómeno raro é conhecido como “superfetação”.

Existem poucos casos de superfetação na literatura médica, mas dos casos relatados, a maioria ocorreu em mulheres submetidas a tratamentos de fertilidade, como a fertilização in vitro (FIV), de acordo com a Healthline.

No entanto, Winhold não tinha sido submetida a nenhum tratamento de fertilidade. Estes casos são considerados excecionalmente raros, até porque três acontecimentos improváveis devem ocorrer em simultâneo.

Primeiro, um ovário deve libertar outro óvulo, o que normalmente não ocorre porque, no início da gravidez, o corpo liberta hormonas para parar a ovulação.

De seguida, esse óvulo deve ser fertilizado por um espermatozoide, algo improvável porque o muco acumula-se no canal cervical no início da gravidez, formando um “tampão” que bloqueia a passagem dos espermatozoides.

Finalmente, o óvulo fertilizado deve ser implantado no útero. Com um embrião já implantado e em desenvolvimento, pode não haver muito espaço para um segundo.

Normalmente, hormonas específicas são libertadas durante a implantação para ajudar o processo, e esta libertação não aconteceria com uma gravidez já em curso.

Se todos estes acontecimentos improváveis ocorrerem, podem verificar-se duas gravidezes ao mesmo tempo, mas os fetos terão duas idades gestacionais diferentes, o que significa que estarão em fases de desenvolvimento diferentes.

Isto diferencia os fetos dos gémeos monozigóticos, popularmente conhecidos como “verdadeiros”, que se desenvolvem a partir de dois óvulos fertilizados, mas têm a mesma idade gestacional, de acordo com a Live Science.

Winhold afirmou que, segundo o seu médico, “muito provavelmente” ovulou duas vezes, libertou dois óvulos, e eles “foram fertilizados em alturas diferentes, com cerca de uma semana de intervalo”.

Winhold deu à luz o seu raro conjunto de gémeos em outubro de 2021. Colson, o bebé que foi concebido primeiro, era ligeiramente maior do que o seu gémeo, Cayden, à nascença, e ainda pesava mais do que ele.

  Alice Carqueja, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.