Arqueólogos descobrem restos mortais de mulher cita com um cocar de ouro

(dr) archaeolog.ru

O crânio da mulher cita encontrada com um cocar cerimonial

Uma equipa de arqueólogos descobriu os restos mortais de uma antiga mulher cita, enterrada com um cocar cerimonial feito com metais preciosos como ouro.

De acordo com a Newsweek, o túmulo continha ainda os restos mortais de duas jovens mulheres, com idades entre os 20 e os 29 anos e os 25 e os 35 anos, e de uma rapariga que devia ter entre 12 e 13 anos.

A equipa de arqueólogos fez esta descoberta no Cemitério Devitsa V, no sudoeste da Rússia, de acordo com o comunicado divulgado pelo Instituto de Arqueologia da Academia de Ciências Russa.

As mulheres são citas, nómadas e guerreiras que vieram das estepes da Eurásia, naquilo que hoje em dia é o sul da Sibéria — antes de estenderem a sua influência por toda a Ásia Central, da China ao Mar Negro.

Pensa-se que a mais velha das quatro tenha morrido quando tinha entre 45 e 50 anos — um feito impressionante para um tempo em que se acredita que a expectativa média de vida tenha sido de 30 a 35 anos. Os citas parecem ter tido um maior risco de morrer no início da idade adulta do que outros grupos da Idade do Ferro devido à sua propensão para a guerra.

A mulher foi encontrada enterrada com um cocar cerimonial decorado com padrões florais, com um aro que exibe pingentes em forma de ânfora. É feito de ouro (65% a 70%) com cobre, prata e uma pequena fração de ferro. Segundo os investigadores, esta é uma grande concentração de ouro para a cultura cita.

Do lado esquerdo, uma reconstrução desse cocar

Uma das mais jovens foi encontrada na posição de cavaleiro, de forma a que os tendões das suas pernas fossem cortados. Ao seu lado estava um espelho de bronze, uma pulseira de missangas, duas lanças e dois vasos.

No local, os arqueólogos descobriram ainda um gancho de ferro em forma de pássaro, fragmentos de um chicote de cavalo, ganchos de ferro para pendurar arreios, facas de ferro, ossos de animais e uma coleção de mais de 30 pontas de flecha de ferro.

A equipa também descobriu uma passagem de ladrões no extremo norte do local do enterro, que pensa ter sido escavado um ou dois séculos depois da construção do túmulo. Apenas as partes norte e leste da sepultura — onde a adolescente e uma das mulheres estão enterradas — parecem ter sido atingidas.

Valerii Guliae, que liderou a investigação, afirma que esta é a primeira vez que um enterro de mulheres citas, com idades diferentes entre si, é encontrado.

“Deparámo-nos com um enigma: duas mulheres no auge da idade, uma adolescente e outra bastante velha para a época cita. Não é claro como poderão ter falecido na mesma altura. Não têm vestígios de lesões ósseas. Existem algumas marcas de tuberculose e brucelose, mas essas doenças não podem causar a morte de forma simultânea“, afirma.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …