Morreu o prefeito de São Paulo. Venceu a covid-19, mas perdeu a batalha para o cancro

O presidente da Câmara da cidade brasileira de São Paulo, Bruno Covas, morreu este domingo, aos 41 anos, vítima de cancro, segundo a imprensa brasileira e várias personalidades que nas redes sociais têm lamentado a sua morte.

Bruno Covas tinha sido internado em estado grave no passado dia 3 de maio para tratamento de um cancro, segundo informou na altura o Hospital Sírio-Libanês.

Diagnosticado com cancro no final de 2019, o autarca anunciara, no dia 2 de maio, que ia fazer um tratamento contra a doença. “Nos últimos meses, a vida deu-me enormes desafios. Tenho procurado enfrentá-los com fé, cabeça erguida e com muita determinação”, escreveu Covas numa nota divulgada, na altura, nas redes sociais.

Neto de Mário Covas, ex-governador de São Paulo, Bruno Covas, de 41 anos, retomou as sessões de quimioterapia em fevereiro passado, e ficou novamente internado por vários dias devido a um nódulo encontrado no fígado, mas continuou no cargo.

Membro do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), Bruno Covas tornou-se presidente da Câmara de São Paulo em abril de 2018, ao substituir João Doria, que saiu do cargo e foi eleito governador do estado de São Paulo.

Em junho do ano passado, Covas testou positivo para o SARS-CoV-2, doença que superou sem problemas maiores.

Em 2020, Covas foi reeleito presidente da Câmara após derrotar o candidato de esquerda Guilherme Boulos, do Partido do Socialismo e Liberdade (PSOL), na segunda volta das autárquicas.

Defensor das medidas contra a covid-19

Bruno Covas defendia medidas de isolamento social contra a covid-19, pelo que foi criticado pelo Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

A 29 de abril do ano passado, Bolsonaro remeteu a responsabilidade pelo aumento do número de casos e mortes causados pela covid-19 para os governadores e autarcas que decretaram medidas de isolamento social.

“Essa fatura deve ser enviada aos governadores. Pergunte ao senhor João Doria [governador do estado de São Paulo], ao senhor [Bruno] Covas [prefeito de câmara da cidade de São Paulo] porque eles adotaram medidas restritivas e as pessoas continuam a morrer”, disse.

A notícia da morte de Bruno Covas tem sido comentada e lamentada nas redes sociais por várias personalidades, como os antigos presidentes do Brasil Lula da Silva, Dilma Rousseff e Michel Temer.

Lula recordou no Twitter a “longa e dura batalha contra o cancro” que o autarca travou e Dilma Rousseff usou a mesma rede social para afirmar que “o Brasil perdeu um dos seus promissores líderes políticos”.

“Com Bruno Covas vai embora parte da nossa esperança”, escreveu Michel Temer nesta rede.

O governador de São Paulo, João Dória, já emitiu uma declaração, na qual sublinha a “dedicação e afeto” que partilhou com Bruno Covas.

Também os clubes de desporto, como o São Paulo Futebol Clube, o Corinthians, o Santos Futebol Clube, o Palmeiras e o Flamengo têm manifestado o seu pesar por este falecimento.

Advogado de profissão, Bruno Covas entrou para a política aos 26 anos, tornando-se deputado na legislatura de São Paulo.

Foi então secretário do Ambiente do Estado de São Paulo (2011-2015) e depois deputado federal em Brasília, de 2015 a 2017.

Apesar da doença, continuou a ocupar o seu cargo de presidente da Câmara da cidade mais populosa do Brasil (12,3 milhões de habitantes), e enfrentou a crise provocada pela pandemia de covid-19, que matou quase 29.000 pessoas em São Paulo.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Surreal". Problema informático na DGS atrasa resultados dos eventos-teste

Para já, ainda não foram tiradas conclusões dos quatro eventos-piloto de abril e maio, organizados pelo Governo em articulação com a DGS. Um problema informático pode estar na origem do atraso. Há uns meses foi avançado …

Costa contraria Marcelo, mas este avisa que o "Presidente nunca é desautorizado pelo primeiro-ministro”

O Presidente da República disse na segunda-feira que “por definição, o Presidente nunca é desautorizado pelo primeiro-ministro”, depois de António Costa ter dito que ninguém pode garantir que não se volta atrás no processo de …

Um em cada quatro portugueses deixou de recorrer ao SNS por receio da pandemia

Um em cada quatro portugueses deixou de recorrer ao Serviço Nacional de Saúde no ano passado, por medo de contagio com o novo coronavírus, e mais de dois terços consideram que o SNS tem respondido …

Evolução genética pode estar a tornar-se cada vez mais obsoleta

Um novo estudo sugere que a evolução humana já não está estritamente ligada aos genes e supõe que a cultura pode estar a conduzir a evolução mais rápido do que as mutações genéticas podem funcionar. Tendo …

ALMA descobre a primeira gigantesca tempestade de buracos negros

O telescópio Atacama Large Millimeter Array (ALMA) detetou um forte vento galático impulsionado por um buraco negro supermassivo há 13,1 mil milhões de anos. Os investigadores salientam que este é o exemplo mais antigo alguma vez …

NASA vai construir telescópio espacial capaz de detetar asteroides ameaçadores

A NASA aprovou a produção de um telescópio espacial infravermelho para detetar asteroides que possam representar uma ameaça para a Terra. A agência está a desenvolver o telescópio espacial Near-Earth Object Surveyor - ou NEO Surveyor …

Muco marinho na costa da Turquia ameaça ecossistemas. E é só a ponta do icebergue

Esta semana, a Turquia lançou a maior limpeza marítima da sua história para fazer face à proliferação sem precedentes de muco marinho no Mar de Mármara, um sintoma de um problema ambiental muito maior. Debaixo das …

Fotografia da Rainha Isabel II removida da Universidade de Oxford devido à "história colonial"

Um grupo de estudantes da Universidade de Oxford removeu uma fotografia da Rainha Isabel II da sua área comum devido aos seus laços com a “história colonial”. A atitude gerou uma onda de controvérsia. A imprensa …

Espanha 0-0 Suécia | Muro amarelo trava fúria espanhola

A Espanha e a Suécia empataram hoje 0-0 em jogo da primeira jornada do Grupo E do Euro2020 de futebol, naquela que foi a primeira partida sem golos na competição até ao momento. No estádio La …

Covid-19. Variante indiana causa doença mais grave, dizem médicos chineses

A Delta está a causar doença mais grave e mais rapidamente do que durante a primeira vaga, informaram médicos na zona de Guangzhou, no sudeste da China, onde surgiu um surto recente provocado por esta …