Morreu Niki Lauda, tricampeão mundial de Fórmula 1

Niki Lauda, histórico piloto de Fórmula 1 que foi campeão mundial em 1975, 1977 e 1984, morreu esta segunda-feira, aos 70 anos.

A notícia foi avançada pelo jornal Die Presse e foi revelada pela própria família do austríaco, que tinha realizado um transplante de pulmão no passado verão e que passou várias semanas internado no hospital já no início deste ano, devido a uma pneumonia.

“É com profundo pesar que anunciamos que nosso querido Niki Lauda morreu de forma pacífica ao lado dos seus familiares. As suas conquistas únicas como atleta e empreendedor são e continuarão inesquecíveis, o seu incansável entusiasmo pela ação, a sua franqueza e a sua coragem permanecerão como um modelo e uma referência para todos nós. Ele era um marido, pai e avô amoroso e carinhoso longe do público e sentiremos a sua falta”, lê-se no comunicado enviado pela família do piloto austríaco.

Nascido em 22 de fevereiro de 1949 em Viena, Andreas Nikolaus Lauda teve quatro filhos de dois casamentos. Niki Lauda começou a carreira em 1968, com apenas 19 anos, e destacou-se primeiro na Fórmula 2 e 3 antes de saltar para a modalidade rainha do automobilismo, de acordo com o Observador. Estreou-se com a modesta March e foi campeão mundial pela primeira vez em 1975, no segundo ano na Ferrari, voltando a conquistar o título mundial apenas dois anos depois.

Viveu uma rivalidade saudável com James Hunt, de quem era amigo nas garagens, e venceu o último título mundial da carreira em 1984, o penúltimo em que competiu, já ao serviço da McLaren.

Passou vários anos afastado da modalidade depois de terminar a carreira, ocupado principalmente com a gestão da empresa de aviação que fundou, e só regressou às pistas e ao automobilismo no final dos anos 90, quando foi convidado pela Ferrari para ocupar o cargo de consultor técnico extraordinário.

Mudou-se para a Jaguar em 2001, enquanto diretor técnico, mas acabou por demitir-se apenas dois anos depois devido aos resultados sofríveis da equipa. Em setembro de 2012, depois de quase dez anos fora da Fórmula 1, aceitou o convite da Mercedes AMG Petronas para ser presidente não executivo da franquia, cargo que ocupou até morrer.

Foi parte importante das negociações com a McLaren que levaram Lewis Hamilton para a Mercedes e teve um papel fulcral nos cinco títulos de construtores consecutivos que a equipa conquistou nos últimos anos — a par dos outros cinco consecutivos na classificação de pilotos, entre quatro de Hamilton e outro de Nico Rosberg.

O campeonato de 1976 foi um dos mais dramáticos e marcantes da história da Fórmula 1, marcada pelo duelo entre Niki Lauda e James Hunt. Lauda era o campeão em título e dominava o campeonato ao volante de um Ferrari tendo cavado uma distância confortável nas primeiras corridas pelo que era o grande favorito à vitória.

Nessa época o GP germânico disputava-se no histórico e mítico circuito de Nurburgring, famoso por ser o mais longo de todos — tinha mais de 22 quilómetros de extensão — e por ter 17 curvas desenhadas por entre as montanhas Eifel. Logo na segunda volta Lauda saiu de pista e embateu violentamente nos rails de proteção. O Ferrari que conduzia incendiou-se instantaneamente e o piloto austríaco ficou preso dentro do monolugar.

Os pilotos Arturo Merzario, Brett Lunger, Guy Edwards e Harald Ertl conseguiram retirar Lauda do carro, mas o austríaco sofreu queimaduras graves na cabeça e nos braços e de inalar gases tóxicos que lhe contaminaram os pulmões e a corrente sanguínea.

O piloto saiu do Ferrari consciente e chegou a conseguir andar, mas entrou em coma poucos minutos depois. Perdeu a orelha esquerda, grande parte do cabelo, as sobrancelhas, as pestanas e as pálpebras. Quando acordou, dias depois, e foi confrontado com a inevitabilidade de várias cirurgias plásticas de reconstrução, decidiu que só iria reconstruir as pálpebras e ficar no hospital o tempo necessário para que estas funcionassem de forma quase normal.

Para espanto generalizado, Niki Lauda apenas esteve afastado da competição em duas corridas, regressando às pistas seis semanas depois do acidente, no início de setembro, para o Grande Prémio de Itália. Conquistou um inacreditável quarto lugar e confessou que estava “absolutamente petrificado”.

O campeonato de pilotos apenas ficaria decidido na última prova, a 24 de outubro de 1976, dia do Grande Prémio do Japão. Niki Lauda e James Hunt estavam separados por 3 pontos. Quem ganhasse a corrida seria coroado campeão do mundo. E a sorte que bafeja os audazes coube nessa tarde a Hunt.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Coreia do Norte reitera que não tem infetados. Coreia do Sul desconfia

A Coreia do Norte reafirmou que não regista nenhum caso de coronavírus (covid-19), numa declaração feita por um alto responsável pelo setor da Saúde de Pyongyang citado esta quinta-feira pela Agência France Presse. A Coreia do …

Ovar já tem linha telefónica própria para retirar pressão à Saúde 24

A Linha de Apoio Covid Ovar vai garantir assistência atempada à comunidade de 55.400 habitantes do concelho e é exclusiva para utentes que suspeitem ter sintomas do novo coronavírus. O Município de Ovar ativa, esta quinta-feira, …

Durão Barroso defende coronabonds (mas a prioridade é outra)

Em entrevista à SIC Notícias, Durão Barroso concordou com a criação dos ​​​​​​​coronabonds, mas defendeu que a prioridade é resolver "a crise humanitária". Durão Barroso considerou, em entrevista à SIC Notícias, que as instituições europeias têm …

Do empréstimo milionário à nacionalização. As soluções da TAP para resistir à crise

A TAP está a enfrentar uma das suas piores crises, face à pandemia de covid-19, e há várias soluções em cima da mesa, desde um empréstimo com aval do Estado à nacionalização da empresa. Para fazer …

"Matem-nos". Presidente das Filipinas autoriza disparos contra quem violar quarentena

O Presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, ordenou aos agentes da polícia e aos militares que disparem sobre qualquer pessoa que esteja a causar "problemas" durante o isolamento obrigatório, decretado devido à da pandemia de Covid-19. De …

Há mais de nove mil casos de covid-19 em Portugal. Número de recuperados sobe para 68

Um mês desde o primeiro teste positivo confirmado do novo coronavírus no país, Portugal tem um total de 9.034 casos confirmados de Covid-19, segundo o Relatório da Direção Geral da Saúde sobre a situação epidemiológica …

Ramalho Eanes: "Nós, os velhos, se for necessário oferecemos o nosso ventilador"

O antigo Presidente da República apelou aos mais "velhos", como ele, para darem o exemplo neste combate ao coronavírus, caso Portugal passe por uma situação semelhante à de Itália ou Espanha. Em entrevista à RTP, o …

"Profundamente preocupados". 13 países enviam recado a Viktor Orbán

Portugal e mais 12 países, entre os quais França, Bélgica e Espanha, garantiram, numa declarações conjunta, que apoiam a iniciativa da Comissão Europeia para verificar se as medidas de emergência implementadas respeitam os valores europeus. Os …

Da gripezinha ao "problema mundial". Bolsonaro fala com Trump e anuncia mais medidas

Jair Bolsonaro mudou de tom. Esta quarta-feira, o Presidente brasileiro anunciou um novo pacote financeiro de apoio a medidas para "manutenção de empregos", uma das suas maiores preocupações diante da pandemia de covid-19. O Presidente brasileiro, …

Bale não abdica de salário milionário e quer ficar em Madrid

Bale vai rejeitar todas as propostas que receber para sair do Real Madrid no final da temporada. O jogador não aceita uma redução do seu salário de 19 milhões de euros anuais. Gareth Bale não tem …