Morreu aos 110 anos a mais velha sobrevivente do Holocausto

TheLadyInNumberSix / YouTube

Alice Herz-Sommer, a sobrevivente mais velha do Holocausto, numa cena do documentário "The Lady In Number 6: Music Saved My Life"

Alice Herz-Sommer, a sobrevivente mais velha do Holocausto, numa cena do documentário “The Lady In Number 6: Music Saved My Life”

Alice Herz-Sommer, a mais velha sobrevivente do holocausto, cuja história foi retratada num documentário nomeado para os Óscares, morreu em Londres aos 110 anos, anunciou no domingo a sua família.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Alice Herz-Sommer, judia oriunda de Praga, passou dois anos durante a II Guerra Mundial no campo de concentração de Terezin, na atual República Checa, onde tocava piano, distraindo os seus colegas de prisão.

Alice Herz-Sommer morreu tranquilamente acompanhada pela família na manhã de domingo, disse o neto Ariel Sommer à AFP.

A vida de Alice Herz-Sommer, que foi amiga do escritor existencialista Franz Kafka, deu origem ao filme “The Lady In Number 6: Music Saved My Life“. A sobrevivente do holocausto seria também a mais velha pianista do mundo, de acordo com o documentário.

A curta-metragem de 38 minutos, na qual a heroína conta a sua vida e afirma a importância da música e do riso para uma vida feliz, é uma das nomeadas para o Óscar de melhor documentário que será entregue no próximo domingo.

Cerca de 140 mil judeus foram deportados para o campo de Terezin, dos quais 33.430 morreram.

/Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.