Moedas de ouro valiosas ressurgem de naufrágio do século XIX nos EUA

/ Facebook

Arqueólogos marinhos da BWVI exploram o navio a vapor SS North Carolina

Uma escavação recente a um barco naufragado do século XIX, na Carolina do Sul, nos Estados Unidos, revelou algumas moedas de ouro “extremamente valiosas”. E pode ser apenas o começo de uma descoberta muito mais valiosa.

Desde setembro que os arqueólogos marinhos da Blue Water Ventures International (BWVI) estão a analisar os destroços do navio a vapor SS North Carolina, que afundou a 25 de julho de 1840, depois de colidir com o ‘irmão’ Governor Dudley. Todos os que estavam a bordo foram transferidos para o barco vizinho, não tenho havido mortes.

No entanto, a bagagem e a carga do navio afundaram, incluindo moedas que hoje em dia podem valer milhões de euros como, por exemplo, moedas de ouro da United States Mint (Casa da Moeda dos EUA) de Dahlonega, no Estado da Geórgia.

“Estes destroços do início de 1800 têm sempre o potencial de guardar moedas cunhadas norte-americanas raras e outros objetos exclusivos daquela época. Os EUA experimentaram uma corrida ao ouro nos estados da Geórgia e da Carolina do Norte nas décadas de 1820 e 1830”, explica ao IFLScience Keith Webb, presidente da BWVI.

Até agora, a equipa já recuperou três moedas de ouro norte-americanas de cinco dólares, duas das quais cunhadas em 1838 e outra em 1836. Todas estão em boas condições e serão conservadas, limpas e classificadas por uma empresa de conservação numismática.

(dr) BWVI

Algumas das moedas encontradas pela BWVI

Além disso, os arqueólogos marinhos encontraram mármore, louça e espigões de bronze que foram usados na construção do navio, que nos mostra um bocadinho como era a vida há quase dois séculos.

“Cada naufrágio é único à sua maneira. Este é uma pequena cápsula do tempo do início dos anos 1800 para ver e entender como é que a sociedade se encontrava naquela época, como viajavam, como eram os seus dias, há muitas pistas a descobrir”, acrescenta Webb.

O SS North Carolina está localizado ao largo da costa da Carolina do Sul entre profundidades de 18 e 24 metros. Os mergulhadores usam o método do levantamento magnético para detetar mudanças no campo magnético de minerais na areia e um magnetómetro para captar as propriedades magnéticas dos objetos de metal ou de ferro associados ao navio.

O próximo projeto desta equipa será realocar o navio norte-americano Pulaski, que afundou a 14 de junho de 1938, depois da explosão de uma caldeira que resultou na perda de 128 pessoas (apenas 59 sobreviveram). O navio foi encontrado em 2018 e apelidado de “Titanic do seu tempo”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Esta empresa está a produzir "carne" feita de ar

Enquanto várias startups estão a vender "carne" feita de plantas, a Air Protein, uma empresa sediada na Califórnia, nos Estados Unidos, está a criar carne feita de ar. A ideia não é nova, uma vez que …

Autoridade da Concorrência faz buscas em cinco empresas de vigilância privada

A Autoridade da Concorrência (AdC) anunciou, esta segunda-feira, que realizou diligências de busca e apreensão em cinco empresas do setor da vigilância privada, no distrito de Lisboa, "por suspeitas de práticas anticoncorrenciais lesivas do normal …

"Breaking Bad" da vida real. Dois professores de Química acusados de produzir metanfetamina

Dois professores universitários de Química do estado do Arkansas, nos Estados Unidos, foram detidos no domingo por suspeitas de produzirem metanfetaminas. O caso tem atraído atenção mediática por se parecer inspirar no enredo da série …

TAP regista prejuízos de 111 milhões de euros até setembro

A TAP registou, nos primeiros nove meses deste ano, prejuízos acumulados de 111 milhões de euros que atribui a "variações cambiais sem impacto na tesouraria". "A TAP S.A. apurou um prejuízo acumulado, nos primeiros nove meses …

Coreia do Norte não está interessada em mais cimeiras com os EUA

A Coreia do Norte advertiu, esta segunda-feira, que "não está interessada" em mais cimeiras com os Estados Unidos, se Washington persistir na recusa em fazer concessões. A Coreia do Norte deu a Washington até ao final …

Refugiado detido que escreveu um livro pelo Whatsapp conquista a liberdade

O jornalista e escritor curdo-iraniano Behrouz Boochani, que estava detido há seis anos num centro de imigrantes na Austrália, conquistou a liberdade. Boochani escreveu, através de mensagens da rede social Whatsapp, o livro “No Friend But …

Pinto Luz não se resigna a disputar "campeonato dos pequeninos"

O candidato à liderança social-democrata afirmou, esta segunda-feira, não se resignar a um partido que disputa o "campeonato dos pequeninos" ou é "uma segunda escolha do PS", pedindo a "quem não gosta deste PSD" que …

Militares portugueses já salvaram mais de 14 mil migrantes no Mediterrâneo

Marinha, Polícia Marítima e Unidade de Controlo de Costa da GNR, ao serviço da agência Frontex, no sul de Espanha e de Itália, já resgataram 14.151 migrantes no Mediterrâneo desde 2014. As equipas militares portuguesas, a …

Estudantes de Medicina dizem adeus ao "terrível" Harrison

Mais de 2.700 recém-licenciados de Medicina realizaram, esta segunda-feira, a Prova Nacional de Acesso (PNA), que substitui o "terrível" Harrison. Esta segunda-feira, mais de 2.700 candidatos responderam pela primeira vez a 150 questões da Prova Nacional …

Vítimas de legionella de Vila Franca de Xira reclamam 2,6 milhões ao Estado

A Associação de Apoio às Vítimas do Surto de Legionella de Vila Franca de Xira reclama uma indemnização de 2,6 milhões de euros por falhas e omissões de entidades públicas em relação às vítimas que ficaram …