O mistério do “lago dos esqueletos” na Índia intriga cientistas há décadas

Ashokyadav739 / Wikimedia

Lago Roopkund, na Índia

O Roopkund, localizado na parte indiana dos Himalaias, é um lago glacial com centenas de ossos humanos. E ninguém sabe como foram lá parar.

Em 1942, um guarda florestal revelou ao mundo a existência deste lago indiano e, desde então, o mistério paira no ar. Ao que tudo indica, “esconde” entre 600 e 800 cadáveres.

Quando as águas geladas derretem, emergem vários restos de cadáveres humanos, alguns ainda preservados com pele e músculo. Segundo o Live Science, ao longo de décadas, foram resgatados centenas de corpos, mas os cientistas nunca conseguiram perceber o que matou estas pessoas nem como foram lá parar.



Nos últimos anos, o mistério adensou-se. Uma análise genética do ADN dos ossos, detalhada num artigo científico publicado na Nature Communications em 2019, descobriu que pelo menos 14 das pessoas que morreram no lago não eram provenientes do sul da Ásia. Os seus genes correspondiam aos dos povos modernos do Mediterrâneo oriental.

O facto de os corpos serem geneticamente diversificados inviabiliza qualquer explicação que envolva uma catástrofe. A mesma investigação concluiu também que o grupo era geneticamente diversificado e que alguns óbitos estão separados por um espaço temporal de até mil anos.

Há, ainda assim, várias teorias sobre o Roopkunf, mais conhecido por “lago dos esqueletos”. Uma delas, difundida oralmente ao longo dos anos, defende que as ossadas pertencem a membros da família e empregados de um rei indiano que morreu durante uma avalanche, há cerca de 870 anos.

O lago está inserido numa trilha de peregrinação para Nanda Devi, uma manifestação da deusa hindu Parvati. A lenda conta que um rei enfureceu a montanha, reverenciada como uma deusa, ao ponto de fazer com que ela desencadeasse a seca no seu reino.

Para apaziguar a deusa, o rei partiu numa peregrinação que o levou além de Roopkund, ao atual estado de Uttarakhand. Mas a jornada, que teve direito a dançarinos e outros luxos, acabou por intensificar a raiva de Nanda Devi, que conjurou uma tempestade de granizo e matou todo o grupo.

Há cientistas que sugerem que um grupo de pessoas foi apanhado de surpresa por uma tempestade muito violenta e que a maioria das vítimas terá morrido de hipoter’mia.

Uma outra teoria indica que os misteriosos mortos do lago indiano poderiam ter pertencido a uma população isolada de centro-asiáticos que descendia de Alexandre, o Grande e dos seus exércitos.

Há também quem sugira que se tratam dos restos mortais de soldados indianos que tentaram invadir o Tibete, em 1841. Os soldados viram a sua missão fracassar, tentaram encontrar o caminho, mas acabaram por ficar soterrados na neve.

Uma outra teoria indica, por sua vez, que o local era uma espécie de cemitério para vítimas de epidemias.

Apesar de algumas das vítimas mortais poderem ter morrido em grupo, há corpos para os quais não se encontra justificação. Além disso, apontam os investigadores, era pouco provável que, há mais de mil anos, cidadãos europeus viajassem até uma região tão remota da Ásia para participarem numa peregrinação hindu.

O mistério permanece sem resposta e muito se deve ao facto de o Roopkund não ter sido bem estudado.

O lago está numa rota de peregrinação popular e há muitas pessoas que moveram, empilharam e até roubaram ossos ao longo das décadas. O tempo tempestuoso e altitude elevada também não permitiram um estudo sistemático dos restos mortais e da sua localização.

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …