Mistério do século XV resolvido? Evidências sugerem que Ricardo III matou “os Príncipes da Torre”

O envolvimento do rei Ricardo III num dos mistérios mais notórios e emocionantes da história inglesa está um passo mais perto de ser confirmado.

Há muito tempo que o rei Ricardo III é considerado responsável pelo assassinato dos seus sobrinhos, o rei Eduardo V e o seu irmão, Ricardo, duque de York – também conhecidos como “os príncipes da torre” – numa disputa pela sucessão ao trono.

Os príncipes de 12 e 9 anos eram os filhos do rei Eduardo IV, que morreu inesperadamente em abril de 1483. O filho mais velho e herdeiro de Eduardo e o irmão mais novo foram levados para a Torre de Londres em maio pelo seu tio, Ricardo, duque de Gloucester, aparentemente para se prepararem para a coroação formal de Eduardo.



Porém, conta o ArsTechnica, a coroação foi adiada até 25 de junho, antes de ser adiada indefinidamente. Em vez disso, o duque de Gloucester assumiu o trono como Rei Ricardo III e fez com que o Parlamento declarasse oficialmente Eduardo e o seu irmão ilegítimos no ano seguinte.

Embora nenhum corpo tenha sido encontrado na época, os historiadores concordam que os príncipes foram provavelmente assassinados no final do verão de 1483.

Dois esqueletos humanos foram encontrados na Torre de Londres em 1674, mas não há evidência conclusiva de que fossem os príncipes, apesar de um exame superficial em 1933, concluindo que os restos mortais eram de crianças com a mesma idade dos príncipes. Mais dois corpos que podem ter sido os príncipes foram encontrados em 1789 na Capela de São Jorge, no Castelo de Windsor.

Cientistas forenses não conseguiram obter permissão real para conduzir análises de ADN e outras análises forenses em qualquer um dos conjuntos de restos mortais para fazer uma identificação adequada.

Este tornou-se um dos mistérios não resolvidos mais duradouros de sempre, alimentado e imortalizado numa famosa peça de William Shakespeare.

Novas evidências apontam para Ricardo III

Os defensores de Ricardo III apontaram a falta de evidências concretas para ligar o rei ao desaparecimento dos príncipes. No entanto, agora, o historiador Tim Thornton, da University of Huddersfield, alega que há evidências claras para substanciar as alegações contra os homens identificados como os assassinos dos meninos e para ligá-los ao seu tio.

Parte dessas evidências vêm da “História do rei Ricardo III”, de Sir Thomas More, o primeiro relato detalhado das mortes dos príncipes. More nomeou dois homens como assassinos: Miles Forest e John Dighton e afirmou que foram recrutados por Sir James Tyrell, um servo de Ricardo III por ordem dele.

Até agora, muitas pessoas questionaram esta história como tendo sido escrita muito depois do evento, como “propaganda Tudor” para denegrir o nome de um rei morto, e até sugeriram que os nomes dos supostos assassinos foram inventados por More.

Contudo, Thornton acredita que More chegou à conclusão certa devido a algum conhecimento interno. Dois dos famosos políticos e colegas cortesãos do filósofo eram filhos de Miles Forest.

“Este tem sido o maior mistério de assassinato da história britânica, porque não podíamos realmente confiar em More como um relato do que aconteceu – até agora”, disse Thornton, em comunicado divulgado pelo ScienceDaily.

“Mostrei que os filhos do suposto principal assassino estavam no tribunal na Inglaterra de Henrique VIII e que viviam e trabalhavam com Sir Thomas More. Ele não estava a escrever sobre pessoas imaginárias. Agora temos bases substanciais para acreditar que os detalhes do relato de More sobre um assassinato são confiáveis“.

O mistério em torno dos príncipes ressoou durante séculos, sendo ressuscitado na década de 1670, quando os ossos de dois meninos foram redescobertos na Torre de Londres, e novamente na década de 1930, quando os restos mortais foram reexaminados.

A descoberta do corpo de Ricardo III sob um estacionamento em Leicester em 2012 também reacendeu o interesse no polémico monarca, com alguns historiadores a questionar se merecia notoriedade.

Este estudo foi publicado no final de dezembro na revista científica History.

Maria Campos, ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Mistérios da Torre; rainhas e príncipes desaparecidos. Figuras notáveis da Realeza: Henrique e Ricardo. Casos de crimes insolúveis que se passam per seculum seculorum. Jack. o Estripador . per seculum seculorum. O que passou, passou e não devem voltar jamais. Só Portugal, que coroou a rainha Inês de Castro, depois de morta. Viva o Rei Dom Pedro I. É o que pensa joaoluizgondimaguiargondim- [email protected]

RESPONDER

Lava do vulcão de La Palma está a escorrer em direção ao mar aumentando o risco de gases tóxicos

O vulcão Cumbre Vieja na ilha de La Palma, nas Canárias, que entrou em erupção no domingo, tem uma nova boca eruptiva, o que obrigou a evacuar mais habitações, informaram as autoridades. De acordo como Plano …

Adesão ao IVAucher quase duplicou no último mês - mas restauração quer mais medidas

No último mês, quase duplicou o número de contribuintes que se inscreveu no programa que permitirá rebater os descontos acumulados no âmbito da iniciativa IVAucher. De acordo com o Jornal de Notícias, a 23 de agosto, …

Tribunal Europeu dos Direitos Humanos culpa Rússia pelo assassinato de Alexander Litvinenko

Decisão remonta ao incidente de novembro de 2006, que ocorreu num hotel londrino, seis anos após o dissidente político se ter mudado para o Reino Unido, precisamente para fugir às ameaças do regime de Vladimir …

"Tratam-nos assim por causa da cor da nossa pele". Polícias nos EUA filmados a chicotear migrantes

Fotos e vídeos mostram polícias na fronteira a carregar contra migrantes e a usar objectos semelhantes a chicotes. A Casa Branca já condenou a situação e promete que vai investigar o sucedido. Pareciam imagens do tempo …

Benfica: a principal ameaça na Liga dos Campeões será Darwin

Pelo menos é a visão catalã. Benfica é o próximo adversário do Barcelona. Mais um jogo, mais uma vitória. O Benfica só sabe ganhar no campeonato português, para já, e na noite passada venceu em casa …

Estado vai financiar formação de funcionários públicos em universidades e politécnicos

Verbas destinadas ao projeto provêm do Orçamento do Estado e do Plano de Recuperação e Resiliência — cerca de 600 milhões. O Estado vai financiar, inteira ou parcialmente, as formações profissionais dos profissionais públicos, através do …

Sevilha rescinde com jogador por má forma física

O Sevilha anunciou a rescisão de contrato com o defesa-central Joris Gnagnon por falta de profissionalismo relativamente à sua forma física. De acordo com o jornal A Bola, o Sevilha rescindiu contrato com o defesa-central francês …

"O nosso Governo está pronto". Trudeau volta a ganhar as eleições - mas sem maioria absoluta

O líder do Partido Liberal do Canadá (LP) Justin Trudeau disse hoje, depois de ganhar as eleições gerais do país, que os eleitores canadianos escolheram "um plano progressivo" e que está pronto para formar um …

Travar margens nos combustíveis pode acabar por prejudicar os consumidores (e até fechar bombas)

A proposta de lei do Governo aprovada, na semana passada, para a limitação das margens das petrolíferas nos preços dos combustíveis pode acabar por travar a concorrência e até levar ao encerramento de bombas de …

"Nunca se pode tirar Messi" (mas há um gesto que pode explicar a sua substituição)

A substituição de Messi, e a forma como reagiu, no jogo entre o Paris Saint-Germain e o Lyon da Liga francesa, continua a dar que falar. E agora avança-se a possibilidade de o craque argentino …