Ministro de Emergências da Rússia morre durante exercícios no Ártico

1

The Presidential of Russia Press and Information Office / Wikimedia

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e Yevgeny Zinichev

O ministro russo de Situações de Emergência, Yevgeny Zinichev, ex-guarda-costas do Presidente Vladimir Putin, morreu enquanto tentava salvar um cineasta durante exercícios estratégicos no Ártico, informou o ministério na quarta-feira.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Numa nota pessoal para a família de Zinichev, publicada pelo Kremlin e citada pelo Moscow Times, Putin mostrou-se “chocado com a trágica notícia”, que classificando a morte do ministro como “uma perda pessoal incomensurável”.

“Perdemos um verdadeiro oficial, um camarada, uma pessoa de grande força interior, coragem e bravura. Estamos ligados por anos de trabalho em conjunto. E eu sempre soube que se podia confiar em Yevgeny Nikolaevich em qualquer situação altamente difícil – como um amigo confiável e leal e um profissional do mais alto nível”, referiu Putin.

Zinichev, de 55 anos, morreu enquanto tentava salvar o diretor Alexander Melnik, que estava nos exercícios em Norilsk com o objetivo de explorar locais para um novo documentário sobre o desenvolvimento do Ártico e da Rota do Mar do Norte pela Rússia. Melnik, de 63 anos, também morreu no incidente.

Putin concedeu a condecoração “Herói da Rússia” postumamente a Zinichev “pelo heroísmo, coragem e bravura demonstradas no desempenho dos seus deveres oficiais”.

Zinichev foi nomeado Ministro de Situações de Emergência em maio de 2018, após a reeleição de Putin. Foi também membro do Conselho de Segurança.

Começou a sua carreira como oficial da KGB, no final dos anos 1980, e continuou a servir no Serviço de Segurança Federal (FSB) no período pós-soviético. Fez parte da equipa de segurança pessoal de Putin entre 2006-2015.

Os exercícios de dois dias em várias cidades do Ártico, incluindo Norilsk, começaram na terça-feira e envolveram mais de 6.000 pessoas.

  Taísa Pagno //

1 Comment

  1. Será?! Não me cheira…
    Porque razão haveria o regime do Putin/Kremlin deixar (enviar?) esta “noticia” aos media ocidentais??
    Se calhar era um possível ameaça e lá teve um azar…

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.