Ministro do Ensino Superior garante que existem camas para estudantes em todo o país

José Sena Goulão / Lusa

O ministro da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, Manuel Heitor

O Ministro do Ensino Superior garantiu hoje no parlamento que ainda há camas disponíveis em todo o país e de todas as tipologias, desde residências públicas a camas em alojamento local.

“As residências públicas ainda não estão cheias. Há ainda camas disponíveis, em todas as tipologias”, afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, durante uma audição parlamentar a pedido do CDS-PP e do PSD.

A residência da Universidade Nova de Lisboa, por exemplo, está com uma taxa de ocupação de 85%, enquanto as residências dos politécnicos do Porto estão com 78% das camas ocupadas e as dos politécnicos de Lisboa com 65%, segundo números avançados por Manuel Heitor.

“Hoje, em qualquer zona do país, de Lisboa ao Porto, de Bragança a Faro, há camas disponíveis em todas as cidades”, acrescentou, lembrando que na residência da Universidade de Lisboa, ainda há 6% de camas disponíveis para os novos estudantes.

Manuel Heitor fez questão de sublinhar o contínuo aumento de camas, durante uma audição marcada para esclarecer os números do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior (PNAES).

“Há mais camas este ano. No ano passado eram cerca de 16 mil e agora estamos a tentar disponibilizar, pelo menos, 18.500”, sublinhou Manuel Heitor, lembrando que a pandemia de covid-19 implicou uma redução da oferta devido às orientações emanadas pela Direção-Geral da Saúde.

As regras de distanciamento e segurança obrigaram a uma diminuição de cerca de duas mil camas em residências, que acabou por ser colmatada por um aumento de cerca de 4.400 camas através de acordos estabelecidos com hotéis e espaços de alojamento local.

Mas, para a deputada Ana Rita Bessa, do CDS-PP, os acordos com as entidades privadas poderiam ter sido realizados mais cedo e não apenas em setembro, quando a maioria dos alunos já estava em aulas.

“Faz-me confusão que este projeto se consubstancie tão tardiamente. Não é quando o ano letivo começa que se fazem protocolos. Se calhar é por isso que, ao dia de hoje, essa oferta está vazia”, criticou a deputada, lembrando que esta era uma solução que já estava prevista no PNAES desde 2019.

Para a deputada centrista, “se alguma coisa peca por falhar no PNAES é a ação”.

Para o deputado do Bloco de Esquerda, Luís Monteiro, o problema dos protocolos celebrados com as empresas hoteleiras prende-se com o futuro dos alunos que agora venham a ocupar uma dessas camas, sendo por isso urgente começar a discutir soluções alternativas para estes alunos.

No entanto, Manuel Heitor explicou que está a ser preparado um pacote para o próximo ano que prevê a continuação de camas protocolares, uma vez que “as obras demoram tempo a fazer”.

O deputado Alexandre Poço, do PSD, pediu ao ministro explicações sobre os atrasos na execução do PNAES, questionou sobre as diferenças de números anunciados e quis saber que medidas serão adotadas.

“Das 2.500 camas prometidas para 2020, apenas cerca de 780 são novas, ou seja, houve 70% de falha na execução. Sendo que destas 780 camas, apenas 64 são verdadeiramente novas camas, uma vez que as restantes 716 já estavam na rede”, criticou Alexandre Poço.

Manuel Heitor disse não querer entrar na “guerra de números”, optando sempre por sublinhar o aumento de camas, a garantia de segurança tendo em conta a pandemia de covid-19 e o aumento de apoios sociais dado aos alunos carenciados.

“Há obras em curso. Há obras avançadas e que aceleram e outras em atraso. Este ano há 316 novas camas e há mais de 1.250 camas reabilitadas, além das camas protocoladas”, sublinhou o ministro, que participou na audição por Skype, porque no fim de semana esteve em contacto com um elemento da Universidade de Aveiro que testou positivo a infeção com o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19.

Sobre o reforço do complemento de alojamento, Manuel Heitor deu os exemplos do Porto onde este apoio aumentou mais de 50% (passando de 174 euros para 263 euros mensais) e de Lisboa onde cresceu mais de 63% (subindo de 174 euros para 285 euros).

Estes aumentos foram calculados tendo em conta o valor médio das rendas pagas nas diferentes regiões do país, mas para a deputada Bebiana Cunha, do PAN, continuam a ser insuficientes.

Segundo os números hoje apresentados pela deputada, no Porto um estudante recebe 263 euros mensais de complemento, mas o valor médio de uma cama é de 297 euros e em Lisboa o aluno pode contar com uma ajuda de “285 euros, mas o valor médio do mercado é de 339 euros”, alertou.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Federer acusado de manobrar a tabela ATP

Contas da associação de tenistas foram alteradas por causa do coronavírus. Roger Federer está no quinto lugar mas só disputou um torneio ao longo de 2020. Em ano anormal, contas anormais: a tabela oficial da Associação …

Astrónomo do Instituto SETI garante que vamos encontrar extraterrestres até 2036

Seth Shostak, astrónomo e astrofísico do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence) está convencido de que os humanos vão encontrar uma civilização extraterrestre inteligente até 2036. “O SETI duplica a velocidade aproximadamente a cada dois anos …

Mais leve e elegante. Assim é a nova e-bike que vai chegar às ruas da Europa

A startup Urban Cycles Oy, com sede em Helsínquia, demarcou uma espécie de lacuna no mercado europeu de bicicletas elétricas e por isso quis preenchê-la. O objetivo era produzir uma bicicleta elegante e mais leve. Um …

Incêndio reduz a maior ilha de areia do mundo a metade. É Património da Humanidade

Quase metade de Fraser, a maior ilha de areia do mundo, que se situa no nordeste da Austrália e foi classificada como Património da Humanidade pela UNESCO, foi destruída por um incêndio florestal. O incêndio queimou …

"Toca de bruxaria" permaneceu até agora numa casa do século XVI. Encontrados crânios de cavalo e veneno

Uma casa cheia de objetos ocultos foi recentemente alvo de grande interesse. O espaço estava localizado dentro de numa casa do século XVI no País de Gales, e encontrava-se repleto de objetos ocultos, incluindo crânios …

Em 1843, o primeiro cartão de Natal foi considerado "escandaloso" (agora vai ser leiloado pela Christie)

Um exemplar do primeiro cartão de Natal impresso comercialmente, em 1843, que retratava uma cena da era vitoriana que escandalizou a população, vai ser posto à venda esta sexta-feira e é considerado um item raríssimo. Este …

Marcelo quer alívio de restrições no Natal sem pôr em xeque janeiro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, afirmou esta sexta-feira esperar que a "possível exceção" no Natal ao quadro de restrições para conter a covid-19 "seja bem entendida e bem vivida" e não provoque …

Bill Gates diz que o mundo estará de volta à normalidade já na primavera de 2021

Bill Gates, que desde 2015 tinha vindo a lançar alguns alertas sobre uma possível pandemia, deixou agora uma mensagem de esperança ao dizer que acredita que os EUA irão voltar ao normal na primavera de …

Mais um passo na hegemonia. China constrói aldeia nos Himalaias, em zona também disputada pela Índia e pelo Butão

Novas imagens de satélite mostram que a China construiu uma aldeia nos Himalaias, ao longo de uma fronteira que também é disputada pela Índia e pelo Butão, e que foi palco de um impasse agressivo …

João Félix eleito jogador do mês da liga espanhola. Ronaldo vence prémio em Itália

O português João Félix, do Atlético de Madrid, foi eleito o melhor jogador da Liga espanhola de futebol do mês de novembro. O luso revelou-se uma peça fundamental durante todo o mês e ajudou a equipa …