A pé por estradas de pó: Dezenas de milhares de civis em fuga de Ghouta

Youssef Badawi / EPA

Milhares de pessoas dirigem-se para zonas controladas pelo Exército sírio. Este é o maior maior êxodo do enclave rebelde desde o início da abrangente ofensiva.

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH), uma organização não governamental, mais de 30.000 civis fugiram dos intensos bombardeamentos turcos contra a cidade de Afrine, no enclave curdo com o mesmo nome, e procuraram refúgio nas localidades de Nobol e Zahra, sob controlo do regime sírio de Bashar al-Assad.

A cidade de Afrine é alvo desde 20 de janeiro de uma ofensiva do exército turco e forças sírias rebeldes, dirigida contra a milícia curda local Unidades de Proteção Popular (YPG), considerada “terrorista” por Ancara. Afrine está quase totalmente cercada pelo exército turco e os habitantes estão em fuga também pelo receio de um cerco total.

Ancara reafirmou esta quinta-feira que a cidade de Afrine seria “limpa muito em breve” das Unidades de Proteção Popular. A cidade regista uma escassez de água, após as forças turcas terem garantido desde as últimas semanas o controlo da barragem da região.

Em paralelo, a ONU procurava precisar o número de pessoas que saíram do enclave rebelde sírio de Ghouta Oriental e avaliar as necessidades nos refúgios aos quais tem acesso, declarou esta quinta-feira o seu porta-voz adjunto, Farhan Aziz Haq.

“O número de pessoas que deixou Ghouta Oriental não é conhecido, nem o destino das pessoas que fugiram”, disse na conferência de imprensa diária das Nações Unidas.

Ainda assim, milhares de civis fugiram de Ghouta Oriental, passando para zonas controladas pelo Exército sírio, no maior êxodo do enclave rebelde desde que as forças de Damasco e as suas aliadas (Rússia) deram início ao assalto final para reconquistar a região, escreve o Público.

Citado pela agência russa RIA, um general do exército russo disse que o número de deslocados deveria chegar perto dos 13 mil antes do final desta quinta-feira.

“Homens, mulheres e crianças cambaleavam sob o peso de cobertores, sacos e malas, caminhando ao longo de uma estrada em direção às posições do Exército nos arredores da cidade de Hammouriyeh”, descreve a Reuters. “Alguns choravam”.

“A OMS está em vias de enviar camas de hospital, equipamento médico e medicamentos para ajudar as equipas médicas no centro coletivo de Al-Doueir”, indicou o porta-voz. Por sua vez, uma coluna de ajuda internacional alcançou a cidade de Douma e fornecer auxílio a 26.100 pessoas “mesmo que seja necessário muito mais” nesta localidade.

 

A guerra civil síria entrou esta quinta-feira no seu oitavo ano consecutivo, sem grandes perspetivas de poder vir a terminar num futuro próximo.O conflito já matou pelo menos 465 mil pessoas e obrigou à fuga de mais de 5,5 milhões.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

RESPONDER

Esta torre construída na Suécia não é gigante em altura, mas em sustentabilidade

Para além de ser feito de um material sustentável — fornecido por florestas locais com gestão consciente e transformado por uma serração nas proximidades, o Centro Cultural dispõe de múltiplas tecnologias que fazem dele mais …

Empresa canadiana debaixo de fogo por publicar anúncios de emprego destinados a não vacinados

Uma empresa de canoagem, sediada no Canadá, está debaixo de fogo depois de ter colocado anúncios de emprego destinados, exclusivamente, a pessoas não vacinadas contra a covid-19. "Por favor, NÃO se candidate se tiver tomado quaisquer …

Disparam ataques a jornalistas. Bruxelas insta países da UE a aumentar proteção

Os países da União Europeia (UE) foram instados por Bruxelas a tomar medidas para proteger os jornalistas, após um aumento no número de ataques a membros da imprensa. A Comissão Europeia exortou os governos a criarem …

Facebook e Google criticados por anúncios de "reversão do aborto"

O Facebook já veiculou anúncios de "reversão do aborto" 18,4 milhões de vezes desde janeiro de 2020, de acordo com um relatório do Center for Countering Digital Hate (CCDH), promovendo um procedimento "não comprovado, antiético" …

Líder militar dos EUA temeu que Trump iniciasse guerra nuclear com a China - e chegou a ligar aos chineses

As revelações aparecem em Peril, o novo livro de Bob Woodward e Robert Costa sobre os bastidores da Casa Branca. Trump já respondeu. O General Mark Milley, o chefe do Estado-Maior das Forças Armadas dos EUA, …

França suspende 3.000 profissionais de saúde que recusaram vacina contra covid-19

A França suspendeu 3.000 profissionais de saúde sem remuneração por se recusarem a tomar a vacina contra a covid-19, revelou o ministro responsável pela pasta, Olivier Véran. Segundo Véran, citado esta quinta-feira pelo Guardian, "várias dezenas" …

Austrália, Reino Unido e EUA assinam pacto de defesa para conter China

A Austrália, os Estados Unidos (EUA) e o Reino Unido anunciaram o "Pacto de Aukus", que visa frente às pretensões territoriais da China no Indo-Pacífico e envolverá a construção de uma frota de submarinos com …

Governo tem margem de 1600 milhões de euros nas negociações do Orçamento

Os dados são de um relatório do Conselho das Finanças Públicas, que deixa alertas para que o executivo não se estique muito no aumento da despesa e no corte à receita. Segundo escreve o Público, o …

Mundial de Futsal. Portugal esmaga as Ilhas Salomão por 7-0 e tem um pé nos oitavos

Portugal lidera o grupo C e pode garantir o apuramento caso Marrocos não perca contra a Tailândia. A seleção portuguesa de futsal, campeã europeia em título, somou hoje o segundo triunfo em dois jogos no grupo …

"Dezenas de pessoas" da comitiva de Putin infetadas com covid-19

O Presidente russo, Vladimir Putin, informou que dezenas de pessoas da sua comitiva testaram positivo para o coronavírus, doença que afetou mais de 7 milhões de habitantes no país. Putin entrou em isolamento no início desta …