Flutuar na microgravidade dá às bactérias um impulso genético permanente (e isso não é uma boa notícia)

NASA

A EEI – Estação Espacial Internacional

Quando expostas à microgravidade, alguns tipos de bactérias podem sofrer mutações para se reproduzirem mais rapidamente. Esta não é uma excelente notícia para nós humanos, futuros turistas espaciais, já que estamos repletos de bactérias no nosso corpo.

Apesar de não estar claro o motivo pelo qual estas bactérias responderam tão positivamente à microgravidade, os cientistas estão agora a tentar descobrir formas de proteger os astronautas no Espaço, tentando também reduzir os danos caso uma colónia de bactérias modificada encontre o caminho de volta para a Terra.

Segundo o ScienceAlert, investigadores da Universidade de Houston, nos Estados Unidos, monitorizaram células de Escherichia coli durante 1.000 gerações de crescimento em condições simuladas de microgravidade e descobriram que se espalharam muito mais rápido do que a amostra de controlo que continha bactérias inalteradas.

Além disso, as células de E. coli captaram, pelo menos, 16 mutações genéticas diferentes, embora ainda não se saiba de que forma essas mutações afetam a taxa de crescimento da bactéria, individualmente ou em grupo.

Segundo os cientistas, as células adaptadas cresceram cerca de três vezes mais do que as E. coli não modificadas. O artigo científico foi recentemente publicado na NPJ Microgravity.

Mesmo quando as bactérias sobrealimentadas foram removidas das condições de microgravidade até 30 gerações antes do teste, 72% da vantagem de crescimento foi retida, mostrando que algumas mudanças provocadas pela viagem espacial podem ser permanentes.

“Estamos perante verdadeiras mudanças genómicas e, portanto, permanentes”, disse um dos investigadores, George Fox, da Universidade de Houston, à New Scientist. “O próximo passo é descobrir o que é que estas mudanças estão, de facto, a provocar.”

Apesra de os estudos anteriores não terem sido tão abrangentes, já haviam dado sinais de que as bactérias podem reproduzir-se mais prontamente no Espaço. Aliás, já foi provado que certas estirpes crescem 60% mais rapidamente em microgravidade. Desta forma, fica claro que há algo neste ambiente que agrada muito a estes microrganismos.

Os cientistas estão agora a centrar a sua atenção em futuras experiências, tanto no Espaço como em ambientes simulados, para averiguar de que forma é que as bactérias conseguem obter uma vantagem reprodutiva nestas condições.

A principal preocupação dos cientistas relaciona-se com os astronautas: o seu sistema imunológico altera-se no Espaço, tornando-os mais suscetíveis a infeções. Assim, se estas bactérias se tornarem mais virulentas ou resistentes a antibióticos, elas podem representar um grande risco.

Felizmente, as células mutantes da experiência eram tão suscetíveis aos antibióticos quanto antes da sua exposição à microgravidade. Assim, mesmo que a microgravidade transforme as bactérias em superbactérias, os antibióticos continuarão a ser uma poderosa arma de defesa.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Meghan Markle vence primeira batalha judicial contra jornal britânico

A Duquesa de Sussex conseguiu que o Tribunal Superior de Londres optasse por manter anónima a identidade das suas cinco amigas, como parte da ação legal que está a ser levada a cabo. O 39º aniversário …

Cientistas obrigados rebatizar dezenas de genes humanos por causa do Excel

Só no ano passado, os cientistas viram-se obrigados a mudar os nomes de 27 genes humanos por causa de um erro de leitura do Microsoft Excel. Tal como explica o portal The Verge, que avança …

"Vai continuar a queimar". Covid-19 é parecida com fogo florestal, não com ondas e picos

Com o surgimento do novo coronavírus no mundo, vários especialistas previam que este iria surgir em ondas e picos. Agora a visão de futuro é outra e os especialistas dizem que a pandemia se compara …

Mudanças climáticas podem vir a causar mais mortes do que a covid-19, alerta Bill Gates

  As mudanças climáticas podem custar muito mais vidas nas próximas décadas do que a pandemia do novo coronavírus (covid-19). O alerta é do co-fundador da Microsoft, Bill Gates, que, através de uma reflexão no seu …

Descoberta a primeira disrupção gigante nas nuvens de Vénus

Uma equipa internacional de cientistas, que incluiu um investigador do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA), descobriu a "primeira disrupção gigante" nas nuvens de Vénus que tem fustigado as zonas profundas da atmosfera …

TVI aposta em estúdio a Norte. Nuno Santos quer Informação mais ao estilo da SIC Notícias do que da CMTV

O diretor-geral da TVI, Nuno Santos, afirmou, em entrevista ao jornal Público, que a estação de Queluz de Baixo vai apostar num estúdio no Norte, revelando ainda que pretende mudar a Informação do canal mais …

Fair-play financeiro. UEFA mantém restrições ao FC Porto

A UEFA informou, esta sexta-feira, que o FC Porto "cumpriu parcialmente as metas estabelecidas para a época 2019/20" a nível do fair-play financeiro e que vai manter as restrições impostas ao clube azul e branco. "O …

Procuradora-geral de Nova Iorque quer dissolver NRA após investigação de fraude

A procuradora-geral de Nova Iorque anunciou, esta quinta-feira, ter movido um processo judicial contra a National Rifle Association (NRA), depois de uma investigação que mostra que os seus dirigentes desviaram milhões de dólares para benefício …

MP abre inquérito sobre surto em lar de Reguengos de Monsaraz

O Ministério Público (MP) instaurou um inquérito sobre o surto de covid-19 num lar em Reguengos de Monsaraz, no distrito de Évora, que já provocou 18 mortos. Questionada pela agência Lusa, a Procuradoria-Geral da República (PGR) …

Ciclista Fabio Jakobsen já saiu do coma induzido

O ciclista holandês saiu do coma induzido, dois dias depois de uma violenta queda na primeira etapa do Tour da Polónia, que o deixou em estado grave e obrigou a uma cirurgia de cinco horas. "Temos …