Mesquita mais antiga da Europa pode estar enterrada ao lado do rio Tejo

doid / Wikimedia

Recópolis, junto ao rio Tejo, em Espanha.

Aquela que será a mesquita mais antiga da Europa poderá estar enterrada debaixo de uma cidade visigótica em Espanha. Arqueólogos encontraram vestígios junto à antiga cidade de Recópolis, junto ao rio Tejo.

Durante décadas que arqueólogos exploram a antiga cidade visigótica de Recópolis, situada perto de Madrid, junto ao rio Tejo. O progresso é demorado, com apenas 8% do interior da cidade a ter sido explorado até ao momento. Agora, especialistas encontraram vestígios daquela que será a mesquita mais antiga da Europa.

Sem ainda terem feito qualquer tipo de escavação para o provar, os investigadores usaram um aparelho geomagnético e repararam que paredes e outras estruturas estão enterradas debaixo da cidade de Recópolis. Isto indica que a cidade será maior do que aquilo que é visível a olho nu e do que os cientistas pensavam ser.

Esta técnica permite ver estruturas subterrâneas através do mapeamento das anomalias magnéticas sob a superfície da Terra. Os resultados da investigação dos arqueólogos foram publicados este mês na revista Antiquity.

“Em todos os espaços que pudemos investigar, encontramos prédios, ruas e passagens”, disse o coautor do estudo Michael McCormick à Live Science. Os especialistas acreditam que se trata de uma mesquita, uma vez que a sua orientação é diferente de todos os outros edifícios (está virado para Meca). Além disso, a planta também se assemelha bastante à das mesquitas do Médio Oriente.

A cidade de Recópolis data ao ano de 578 quando, Leovigildo, rei dos Visigodos do Reino de Toledo, ordenou a construção de uma nova cidade junto ao rio Tejo, não muito longe da capital real de Toledo.

Wikimedia

A Península Ibérica no ano 586.

“Graças a esta nova análise geomagnética, aprendemos que o espaço rodeado pelas muralhas da cidade estava totalmente desenvolvido e que a sua população era grande o suficiente para ir além das muralhas da cidade”, disse Noel Lenski, professor da Universidade de Yale. “Tão importante quanto isso, isto estava a acontecer num período que se pensava ser caracterizado por declínio urbano e colapso demográfico“, explicou.

“É realmente notável ver a monarquia visigótica a unir-se neste momento e a reunir os recursos para poder fundar uma nova cidade”, completou McCormick. Os vestígios encontrados dão também a entender que, antes deste local ser abandonado por volta do ano 800, povos muçulmanos ocuparam esta cidade subterrânea.

McCormick realça que só com escavações vai ser possível provar que de facto esta se trata de uma mesquita. A confirmar-se, esta será talvez a mais antiga da Europa.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. A invasão muçulmana da Península Ibérica começou em 711. A cidade começou a ser construída em 578. A mesquita só pode ter sido construída após a conquista da cidade aos visigodos. Sendo assim, é difícil que a mesquita se encontre “enterrada debaixo de uma cidade visigótica em Espanha”. A cidade que se encontre por cima da mesquita será ou islâmica, ou mozárabe, ou cristã pós-reconquista.

RESPONDER

Benfica confirma saída de Salvio para o Boca. "Chorei como um bebé"

O extremo Eduardo Salvio transferiu-se do Benfica para o Boca Juniors, na Argentina, num negócio esta quinta-feira oficializado pelo clube da Luz, que não revelou os valores envolvidos. O argentino esteve oito temporadas no Benfica, as …

"É preciso reduzir os impostos às pessoas, nomeadamente aos salários, e taxar o carbono"

Para António Guterres, a "vontade política esmoreceu" depois do Acordo de Paris aprovado em 2015. Entre medidas propostas em prol do clima, o Secretário-Geral das Nações Unidas fala em "acabar com subsídios aos combustíveis fósseis". António …

Costa: Marcelo não se recandidatar seria "incompreensível para 80% dos portugueses"

O secretário-geral do PS, António Costa, declarou esta sexta-feira que uma eventual não recandidatura presidencial de Marcelo Rebelo de Sousa seria "incompreensível para 80% dos portugueses" e adiantou que Eduardo Ferro Rodrigues voltará a ser …

Há mais de 600 edifícios condenados à demolição (e trazem custos para o cidadão)

Nos últimos dez anos, centenas de construções de todo o país foram listadas para demolir. Destas, faltam destruir atualmente mais de 600, segundo um levantamento citado esta sexta-feira pelo Correio da Manhã. Questões de segurança, ilegalidades …

Nepotismo e "filé mignon". Bolsonaro admite beneficiar filho para cargo diplomático

O presidente brasileiro admitiu, na quinta-feira, que "pretende beneficiar" o terceiro filho, o deputado Eduardo Bolsonaro, indicado para embaixador nos Estados Unidos, mas garantiu tratar-se apenas de uma estratégia de política externa. "Pretendo beneficiar um filho …

Ministério Público investiga ajustes diretos da Câmara do Porto a sociedade de advogados

A Câmara Municipal do Porto (CMP) diz que o valor dos contratos com a sociedade de advogados é de apenas 218 mil euros, e não meio milhão de euros como foi noticiado esta semana. O Ministério …

Lista de grande devedores. Deputados de mãos atadas pelo sigilo bancário

Depois de um esforço hercúleo para conseguir acesso à lista dos grandes devedores da banca, os deputados veem-se agora incapacitados devido ao sigilo bancário e ao fim da legislatura. A lista dos grandes devedores em incumprimento …

Costa promete baixar impostos à classe média (e prefere que Centeno não vá para o FMI)

Mais deduções e mais escalões de IRS para baixar os impostos para as famílias com os filhos e a classe média. Eis o que António Costa promete na antecâmara das eleições legislativas, numa entrevista onde …

Contadores de luz inteligentes acabam com leitura por estimativa

A EDP quer generalizar a instalação de contadores de eletricidade inteligentes. Esta tecnologia vai pôr fim à leitura por estimativa, que era razão de queixa de vários clientes. Os contadores inteligentes vão permitir pôr um fim …

Contas do Metro de Lisboa podem ter “buraco” de três mil milhões, alerta auditoria

As contas do Metropolitano de Lisboa (ML) referentes a 2018, enviadas esta quinta-feira pela empresa pública à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), podem evidenciar um eventual "buraco" de quase três mil milhões de …