/

Novos Mercedes vão cobrar pagamento anual para desbloquear aceleração

5

Marca germânica desenvolveu a possibilidade especificamente para os seus automóveis elétricos, das linhas EQS e EQE.

É um pensamento lógico: se quer ter um carro que ande mais rápido, provavelmente terá de comprar um carro novo, ou mais recente. Nele terá as tecnologias mais recentes e as mais potentes inovações. Só terá de pagar por isso.

No entanto, a Mercedes Benz está a preparar-se para levar este raciocínio a um novo nível.

O fabricante alemão de automóveis revelou uma nova funcionalidade chamada “Acceleration Increase“, que aumentará a capacidade do seu carro para acelerar — mas que custará aos interessados 1.200 dólares anualmente.

Os condutores ao volante de um Mercedes-EQ – a linha de carros totalmente elétrica da empresa – podem inscrever-se no “Acceleration Increase” da Mercedes-Benz, que pode alegadamente eliminar 1 segundo do seu tempo de aceleração de 0 a 96 quilómetros por hora.

Esta é a mais recente iniciativa de uma construtora automóvel no sentido de lançar características ou extras nas suas viaturas que apenas estão acessíveis num modelo de subscrição paga — tendência recente que está a gerar controvérsia e chamar a atenção dos legisladores da União Europeia e Estados Unidos.

Nos EUA, há já mesmo propostas de lei  que visam impedir a cobrança de subscrições para se aceder a capacidades que estejam fisicamente presentes no carro e que apenas estão inacessíveis via software, por opção do fabricante.

A nova característica está especificamente disponível para os automóveis Mercedes-EQ EQS e EQE e irá permitir aumentar a produção do motor elétrico de 215 quilowatts para 260 quilowatts para os modelos EQE e 265 quilowatts para 330 quilowatts para os modelos EQS.

“A sensação de conduzir o seu Mercedes-EQ é uma experiência nova todos os dias – particularmente a sua aceleração potente e imediata”, escreve a Mercedes no seu website, citado pelo Gizmodo.

“O aumento da aceleração impulsiona ainda mais este desempenho: aumentando electronicamente a potência do motor também aumenta significativamente o binário, dando-lhe um tempo mais rápido de 0 a 60 MPH. Poder de aceleração que se pode sentir“.

O “Acceleration Increase” está prometido para “breve” de acordo com a Mercedes-Benz e enquanto o preço se distribui por 100 dólares por mês, a característica só pode ser comprada com uma taxa anual de 1200 dólares.

De acordo com o The Verge, a opção não altera realmente nenhuma das ferragens do carro, em vez disso, desbloqueia mais da capacidade do motor, o que poderia insinuar que a Mercedes está a levar ao limite todo o potencial dos carros para vender esta atualização.

Para o condutor médio, um segundo extra de aceleração pode não ser o maior negócio, mas trata-se de uma tendência mais ampla em microtransações automóveis baseadas em assinaturas.

No início deste Verão, a BMW anunciou que iria cobrar uma taxa recorrente por lugares aquecidos, no valor de 18 dólares por mês, 180 dólares por ano, ou até 415 dólares por acesso ilimitado.

  ZAP //

5 Comments

  1. opá não sei qual o pensamento dos futuros compradores mas, ao que vejo vou-me deixar estar com o meu velhinho… já se vê na mecânica destes motores novos são todos pensados com engenharia “Obsolescência Programada” já para não falar nos impostos… enfim… ou o mero comprador para para pensar, ou então acontece como a Via Verde…

  2. Hoje é o acelerador, amanhã os travões. E depois quando for para travar em plena autoestrada recebe a mensagem no ecrã do carro a dizer “subscrição expirada, travões desativados”

  3. Mas isso já existe nos telemóveis, smartphone, computadores, tablets……. é preciso actualização, antivírus….
    Tudo feito pra cobrarem sempre

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.