Menina de 7 anos relata a guerra em Aleppo pelo Twitter

Bana Al-Abed / Twitter

Bana, menina síria de 7 anos, relata no Twitter que está "a ler para esquecer a guerra".

Bana, menina síria de 7 anos, relata no Twitter que está “a ler para esquecer a guerra”.

Bana Al-Abed é uma menina de 7 anos que sonha em ir à escola para se tornar professora. Mas está condenada a ficar fechada em casa, enquanto as bombas caem sobre Aleppo, a cidade síria onde vive. É este relato do cerco e da guerra na Síria que conta pelo Twitter.

No passado dia 24 de Setembro, Fatemah, uma síria de 26 anos, criou uma conta no Twitter na qual relata pelos olhos da filha Bana Al-Abed, de 7 anos, o conflito que prossegue sem fim à vista em Aleppo, cidade síria que está nas mãos dos rebeldes e que o Governo de Bashar Al-Assad tem cercada há cerca de três meses.

Nos últimos meses, os aviões russos, aliados de Assad, intensificaram os bombardeamentos sobre a cidade e Bana conta no Twitter como é o dia-a-dia daqueles que vivem neste cenário de guerra.

Numa das publicações na rede social, a menina conta como uma bomba caiu mesmo ao lado da sua casa ou como outra destruiu a casa da sua melhor amiga, matando-a.

Outro dos posts que ficou bastante conhecido é um com uma fotografia sua na qual diz que está “a ler para esquecer a guerra”.

Há também um vídeo em que Bana mostra o jardim da sua casa depois de um bombardeamento, lamentando que costumava lá brincar e que agora não tem onde o fazer.

Noutra publicação, a mãe da menina conta que estão a tentar dormir enquanto se ouvem as bombas a explodir no exterior e deixa a promessa de que voltará a publicar um tweet no dia seguinte “se estivermos vivos”.

Bana também lamenta como o seu irmão mais novo, Mohamed, “está a chorar” enquanto caem as bombas. “Prefiro morrer a deixá-lo morrer”, desabafa a menina.

“Ainda estamos vivos” é a mensagem que a mãe de Bana escreve noutra publicação no Twitter, a par de um vídeo com os seus três filhos a acordarem.

Noutro post, Bana pede aos russos e ao presidente sírio que parem com os bombardeamentos para poder ter “paz” para ir à escola e tornar-se professora.

A menina não pode ir à escola há vários meses e até a mãe deixou de ir à universidade por causa dos bombardeamentos.

Ao jornal britânico The Guardian conta que a escola local foi bombardeada no ano passado e que, como as outras são demasiado longe, é muito arriscado tentar lá chegar.

Assim, Bana fica em casa com a mãe e os irmãos à espera da paz que tarda em chegar.

“Não somos terroristas”, queixa-se a menina numa conversa com um jornalista do canal de televisão ITV News. “Somos crianças, temos direito a viver”, diz.

“Queremos que o mundo nos ouça, Bashar al-Assad e Putin matam crianças, bombardeiam escolas e hospitais e cercam civis”, queixa-se ainda a menina, lamentando que começa a faltar tudo na cidade.

“Não há água”, “não há leite” e nos hospitais “não há remédios”, conta ao mesmo canal de televisão.

Já depois destas entrevistas e de o seu caso ter começado a ter repercussão um pouco por todo o mundo, Bana escreveu no Twitter que quer “viver como as crianças de Londres”.

Já a mãe apela aos russos “que se preocupam com a humanidade” para se “levantarem” pela paz de Aleppo. A jovem diz na ITV News que os seus filhos “são como os filhos” de todo o mundo e que “merecem uma vida”.

SV, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Família encontrou mais de 2.200 fetos preservados em casa de médico norte-americano

Uma família encontrou mais de 2.200 fetos preservados na casa de um médico norte-americano que morreu no início deste mês. O The Guardian avançou este domingo que uma família encontrou 2.246 fetos preservados em casa de …

Mais plástico e menos peixe. Explorador britânico teme pelo mar português

Farto de ver cada vez mais plástico e menos peixe no oceano, o veterano explorador e documentarista britânico Paul Rose defende que Portugal deve criar mais áreas marinhas protegidas. Paul Rose, que mergulha desde os anos …

Há 10 anos, Banksy pintou chimpanzés no Parlamento inglês. Agora, o quadro vai a leilão

Em 2009, o artista de rua conhecido como Banksy pintou uma enorme tela a óleo do parlamento inglês, mas em vez de deputados os tribunos eram chimpanzés. Banksy pintou o quadro, com quatro metros de comprimento, …

Tempestade em Espanha derrubou palmeira que era Património da Humanidade

A queda de "La Centinela", a árvore mais alta do conjunto que a Unesco classificou como Património da Humanidade desde 2000, está entre os danos materiais causados pela passagem da "gota fria" - um fenómeno …

Dador de esperma teve 12 filhos com autismo (e foi processado)

Danielle Rizzo tem dois filhos autistas, um com seis anos e outro com sete. Ambos foram concebidos com recurso a um dador anónimo. Há três anos, Rizzo descobriu que estes fazem parte de uma "família" …

Em Hollywood, os homens ganham mais 1 milhão de dólares do que as mulheres

Uma equipa de economistas analisou o salário de 246 atores e atrizes e concluiu que as mulheres ganham em média menos 56% do que os homens na indústria cinematográfica, pelos mesmos papéis. A diferença média entre …

"O primeiro passo para salvar o planeta é eleger outro presidente dos EUA"

John Kerry esteve em Lisboa para o encerramento da conferência "O Futuro do Planeta". O ex-secretário de Estado de Barack Obama lembrou que na luta para salvar a Terra, "não estamos a ganhar". John Kerry começou …

Gibraltar dissolve o parlamento e convoca eleições antes da data do Brexit

O chefe do governo de Gibraltar dissolveu esta segunda-feira o parlamento e convocou eleições para 17 de outubro, com o objetivo de preparar este território britânico situado no extremo sul de Espanha para o Brexit, …

Aumento do turismo nos Açores provoca mais acidentes de viação (mas menos graves)

O aumento de viaturas de aluguer que circulam nas estradas açorianas tem levado a um aumento da sinistralidade, ainda que muitos deles não sejam registados. Ainda assim, os acidentes são, no geral, menos graves. Quem o …

Menos plástico e menos jantares. Partidos prometem campanha eleitoral mais sustentável

A sustentabilidade e a proteção do ambiente estão entre as preocupações dos partidos políticos que concorrem às eleições legislativas, com algumas direções a comprometerem-se em diminuir a pegada ecológica e reduzir no plástico, numa campanha …