O medo de voar pode levar ao fim das companhias aéreas

O medo de voar e o crescimento e difusão do mercado dos carros autónomos pode levar à ruína das companhias aéreas. Estas são as conclusões de uma investigação às preferências de viagem dos consumidores.

As companhias aéreas podem ter os seus dias contados e tudo graças à prosperidade do mercado dos veículos autónomos, que tem crescido de forma galopante. À medida que a tecnologia vai evoluindo e tornando-se mais segura e capaz, as pessoas podem deixar de viajar de avião — pelo menos é o que sugere um estudo publicado no ano passado na revista International Journal of Aviation, Aeronautics, and Aerospace.

O Fast Company dá o exemplo de uma viagem entre Atlanta e Washington, que de carro demoraria cerca de dez horas. De avião, o voo seria de duas horas, mas há várias condicionantes que aumentam o tempo da viagem. Com atrasos, check-in, controlo de segurança, levantar as malas, alugar um carro e conduzir até ao destino, o tempo total pode ser entre quatro e cinco horas.

Com o surgimento dos carros autónomos, o veículo evita todos os diferentes estágios burocráticos de uma viagem de avião. Além disso, o condutor pode fazer o que quiser durante a viagem, com o veículo a assumir controlo da condução.

Atualmente, há ainda um certo receio quanto aos veículos autónomos, com a tecnologia a ainda não estar desenvolvida o suficiente para dar 100% de garantias a todos. No entanto, com o tempo, os investigadores acreditam que o ceticismo vá passar e que haja uma maior aceitação da automatização dos veículos.

Os investigadores mostraram aos voluntários do estudo viagens de diferentes comprimentos e pediram que escolhessem se prefeririam conduzir, viajar de avião ou serem levados por um carro autónomo. Em geral, os dados indicaram que as pessoas preferiam veículos sem motorista do que serem eles próprios a conduzir.

A ideia de viajar de carro autónomo ficou ainda mais atraente quando as pessoas soubessem que, depois de voar, precisariam de um carro alugado na sua cidade de destino.

Em viagens curtas, com uma viagem de cinco horas, dois terços das pessoas preferem conduzir sozinhas. Isso não mudou muito quando lhes foi oferecido um carro autónomo, a menos que lhes dissessem que precisariam de um carro alugado na cidade de destino. Aí, quase três quartos das pessoas preferiram um carro autónomo ao voo.

Como poderia afetar as companhias aéreas

Perder até um em cada dez clientes reduziria substancialmente a receita das companhias aéreas. Um menor rendimento provavelmente faria com que elas reduzissem o seu serviço, voando menos rotas com menos frequência.

O problema não seria apenas os clientes que optaram por não voar. Alguns passageiros podem dividir viagens entre carros autónomos e aviões, o que reduziria ainda mais a receita das companhias aéreas. Por exemplo, uma pessoa em Savannah, na Geórgia, que queira ir a Londres, pode optar por mudar de avião em Atlanta — ou ir de carro autónomo para o aeroporto de Atlanta e saltar a escala.

Estas mudanças podem mudar substancialmente a indústria da aviação, com as companhias aéreas a pedir menos aviões aos fabricantes, aeroportos com menos voos diários e menores receitas de estacionamentos, e até mesmo hotéis de aeroportos a hospedar menos pessoas. O futuro dos carros autónomos é atraente para os consumidores — o que significa que o futuro do voo comercial está em perigo.

ZAP //

PARTILHAR

12 COMENTÁRIOS

  1. Levar ao fim das companhias aéreas é o poder aquisitivo do povo brasileiro que vem caindo cada vez mais, o desemprego e a política econômica do governo.

  2. Com os preços que estão cobrando e sistema de vendas, onde viajar no mesmo vôo, na mesma classe pode custar até 10 vezes mais, precisam quebrar e o negócio ser reinventado, pensei que pudesse acontecer isso pós PanAm, Varig, Transbrasil, Vasp, Rio Sul, Nordeste, Taba, mas parece que os aviões tem a mesma cara, a mesma velocidade dos B707 , DC8, Caravelles e outros, todos estes dos anos 50 ou 70anos atrás….um avião comercial dos anos 70 o Concorde , jamais conseguiram uma evolução dele, nem chegar próximo da tecnologia dele, nem 50 anos depois.
    Então se falamos em 50anos e 70 anos de atraso. Aproveito ainda para afirmar e considerar que os carros evoluíram, as estradas evoluíram, mas os 900kmh do Boeing 707 1955, ainda é o mesmo em toda a aviação comercial.
    Precisa Reengenharia, já!

    • Sobre a velocidade, os 900Km/h continuam os mesmos hoje em dia pois mais que isso os aviões estariam se aproximando do voo supersônico, o que somente aviões como o citado Concorde estão preparados para fazer. A tecnologia do Concorde já foi ultrapassada a muito tempo, só não existe mais Concordes por aí devido ao alto custo do combustível, do boom sônico que ele criava (procure boom sônico no Youtube pra saber do que trata) e que foi motivo até de protestos nos EUA, e também porque os voos intercontinentais são bem atendidos atualmente pelas aeronaves modernas. Nem tão modernas, já que os principais projetos de aeronaves voando hoje em dia são da década de 80 e 90. O A380 mesmo já tem 10 anos. Então os fatores comercial e econômico são quem ditam o ritmo do mercado aeronáutico. O preço de uma passagem em um Concorde, atualmente, seria alto demais.

      A matéria é rasa demais ao afirmar que os carros autônomos iriam causar o sumiço das cias aéreas. E carros autônomos seguros ainda estão longe da nossa realidade. A chance de morrer de acidente de carro é diversas vezes maior que morrer com a queda de um avião.

      • Quero ver quem vai deixar de ir de São Paulo a Manaus em 4 horas pra gastar 10 dias (3 até Belém ou Porto Velho e mais 7 de balsa até Manaus)… a matéria é um tanto exagerada e as velocidades no deslocamento incomparáveis… as aéreas podem acabar por outros motivos, mas não pela volta do modal rodoviário…

    • Se Deus quisesse que nos não fizéssemos, não nos daria inteligência pra construir um avião.. Mas já que não acredito em deus msm, então vou continuar voando

  3. As pessoas estão se a esquecer q apesar dos acidentes q aconteceram ultimamente com os Boeing 737 Max e a companhia da Ethiopia, etc… Os aviões continuam a ser o meio de transporte mais seguro do mundo e tem uma grande autonomia com o piloto automático

  4. Quando não conseguem melhor assunto para criar uma notícia, inventam problemas que ainda não existem e que nem nunca irão existir!

  5. Falácia, e para atravessar o oceano? , o avião e o segundo meio de transporte mais seguro do mundo, só perde para o elevador, o carro é o segundo mais perigoso, só perde para motocicletas, nas estradas tem muito malucos, ainda mais nos EUA, muitos usam drogas pesadas!

RESPONDER

Já sabemos qual vai ser o primeiro fruto a ser plantado na EEI (e é picante)

Se tudo correr como planeado, em novembro deste ano, a Estação Espacial Internacional (EEI) vai ficar um bocadinho mais picante. De acordo com o Science Alert, os investigadores querem enviar para a Estação Espacial Internacional (EEI) …

O Hubble encontrou um buraco negro que não devia existir

Algo estranho está a acontecer a 130 milhões de anos-luz da Via Láctea na galáxia espiral NGC 3174. Há um disco fino de material a rodear o seu pequeno e esfomeado buraco negro. Discos como os …

Alimentos para bebés têm excesso de açúcar, alerta a OMS

A Organização Mundial de Saúde (OMS) detetou em quatro cidades da Europa que pelo menos um em cada três alimentos infantis tem níveis de açúcar excessivos e são comercializados de forma incorreta como adequados para …

Estilo de vida saudável pode compensar risco genético de Alzheimer

Novas pesquisas sugerem que um estilo de vida saudável pode reduzir em um terço o risco de doença de Alzheimer ou outras formas de demência, mesmo existindo genes que aumentem o risco destas doenças. Investigadores britânicos …

Lançada Barbie em homenagem a David Bowie

A Matel acaba de lançar uma Barbie em homenagem ao músico britânico David Bowie, que faleceu em 2016, noticia esta semana a Associated Press. De acordo com a agência noticiosa, a nova da Barbie visa celebrar …

Netflix retrata a trágica história de Nicolau II, o último czar da Rússia

A Netflix acaba de lançar The Last Czars, uma série documental sobre a história de Nicolau II e a sua família, que acabou por ditar o fim da dinastia de 300 anos dos Romanov e …

Português desce e Matemática volta à positiva nos exames do 9.º ano

As médias dos alunos do 9.º ano nos exames desceram este ano a Português e subiram a Matemática, voltando a uma média positiva, mas com uma taxa de reprovação ainda a rondar os 30%. Os exames …

A famosa "Pirâmide Curvada" do faraó Senefuru foi aberta ao público pela primeira vez em mais de 50 anos

No Egito, foi aberta ao turismo, pela primeira vez desde 1965, a famosa "Pirâmide Curvada", construída por ordem do faraó Senefuru há 4.600 anos. Localizada em Dahshur, a 40 quilómetros a sul do Cairo, a pirâmide, …

Príncipe Carlos diz que temos 18 meses para salvar a humanidade

O príncipe Carlos admite que os próximos 18 meses serão cruciais para a sobrevivência dos seres humanos. Durante este tempo, os líderes mundiais terão de controlar as mudanças climáticas para evitar uma catástrofe irreversível. "Senhoras e …

Novo filme da saga Bond tem Agente 007 feminina

De acordo com jornais ingleses, o filme Bond 25 não terá um novo James Bond, mas sim uma nova Agente 007. No filme, que será uma homenagem ao legado de Roger Moore e de todos …