Medicamento contra a malária trata com sucesso doentes de cancro

-

Um medicamento anti-malária revelou-se eficaz no tratamento de pacientes com cancro do cérebro, num tratamento experimental. Abre-se assim, uma nova porta no combate a esta doença e a um preço extraordinariamente baixo.

Cientistas da Universidade do Colorado (CU), nos EUA, utilizaram a substância cloroquina, o princípio activo de um medicamento anti-malária, no tratamento de pacientes com cancro do cérebro e com resultados surpreendentemente positivos.

Um dos pacientes alvo deste tratamento experimental foi Lisa Rosendahl, de 26 anos, diagnosticada com um cancro no cérebro aos 21 anos e alvo de cirurgias, de tratamentos com radiações e quimioterapias que não conseguiram combater a doença.

Os médicos deram-lhe somente mais um ano de vida, depois de o cancro se ter revelado resistente aos tratamentos.

Graças ao recurso à cloroquina, o cancro de Lisa estabilizou e “aumentou tanto a quantidade como a qualidade da sua vida”, realça a CU em comunicado publicado no Science Daily.

Esta paciente era um caso típico “de alto risco” e de um “glioblastoma agressivo” para o qual já tudo tinha sido tentado, conforme explica o investigador que liderou a pesquisa, o pediatra oncológico Jean Mulcahy-Levy.

“Para este tipo de população, as taxas de sobrevivência são sombrias”, acrescenta o médico, realçando que Lisa respondeu “miraculosamente” bem ao tratamento inovador.

“Quatro semanas depois do início do tratamento com a cloroquina, ela conseguia sentar-se e tinha melhorado o uso dos braços, pernas e mãos”, aponta Mulcahy-Levy.

Outros dois pacientes com cancro no cérebro foram tratados com a mesma substância e revelaram igualmente “melhoras dramáticas similares”, destaca a CU.

Ataque à autofagia

O cancro tem uma extraordinária capacidade de resistência e foi isso mesmo que ocorreu no caso de Lisa, com os tratamentos a deixarem de funcionar.

A cloroquina permitiu que o medicamento que anteriormente, não estava a fazer efeito (o Vemurafenib, um inibidor da mutação genética BRAFV600E) voltasse a surtir resultados, “re-sensibilizando o seu cancro para o tratamento definido”, revela o jornal científico eLife, onde foi publicada a investigação.

O ponto de partida dos investigadores foi um processo que é conhecido por autofagia e que é uma espécie de reciclagem celular, em que as células reciclam proteínas e materiais perigosos, usando-os para gerar energia em situações de stress.

A descrição deste processo de autofagia celular garantiu ao japonês Yoshinori Ohsumi o Prémio Nobel da Medicina, em 2016.

“Como deitar abaixo um kit Lego, a autofagia quebra componentes celulares desnecessários, construindo blocos de energia ou de proteínas para sobreviver em tempos de pouca energia ou para ficar a salvo de venenos ou patogénicos”, explica a CU.

Certos cancros “usam a autofagia para se manterem a salvo de tratamentos”, evidencia a instituição, notando que os investigadores detectaram que os que apresentam “mutações no gene BRAF e, especialmente, os com uma mutação chamada BRAFV600E, são particularmente dependentes da autofagia”.

Assim, em artigo publicado na eLife, os cientistas apontaram directamente a este mecanismo celular e concluíram que “a inibição genética e farmacológica da autofagia ultrapassou mecanismos distintos de resistência molecular, inibiu o crescimento das células do tumor e aumentou a morte das células”.

Travar o processo de autofagia permite desta forma, tornar a medicação mais eficaz e rompe as barreiras de resistência do cancro. E, além do mais, estamos a falar de um medicamento já aprovado e relativamente acessível, em termos de preço.

Os investigadores acreditam que a cloroquina pode ser aplicada também, com sucesso a outros tipos de tumores cerebrais e eventualmente, até noutras doenças e noutro tipo de mutações genéticas.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Em Casa d’Amália": RTP comemora cententário da fadista

A Fundação Amália Rodrigues junta-se à RTP para assinalar o centenário da fadista. O programa Em Casa d’Amália tem estreia marcada para a próxima sexta-feira (10) e reúne várias figuras da música portuguesa da atualidade. O …

Desapareceram 21 milhões de números de telefone na China. Mas o mistério foi resolvido

O porta-voz de uma das três maiores operadoras chinesas confirmou o desaparecimento dos utilizadores, mas deu uma explicação para este mistério. Nos últimos dias, surgiram vários relatos de notícias que davam conta de que, entre janeiro …

Mercadona doa 20 mil quilos de chocolate aos profissionais de saúde e aos mais carenciados

A Mercadona anunciou, esta quarta-feira, a doação de 20 mil quilos de chocolate ao Banco Alimentar Contra a Fome do Porto. O objetivo é proporcionar uma Páscoa mais doce aos mais carenciados e aos que …

"Paciente 1" em Itália recupera (e dá as boas-vindas a Giulia, a sua filha recém-nascida)

Giulia, a filha recém-nascida do "paciente 1" de Itália, veio para trazer alguma esperança ao país, em plena pandemia de covid-19. Mattia, de 38 anos, foi internado no dia 20 de fevereiro no hospital de Codogno, …

Investigadores transformaram o coronavírus em música (e já o podemos ouvir)

Uma equipa de investigadores do Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) conseguiu transformar em som a estrutura da proteína spike, que permite que o novo coronavírus adira às células para infetá-las. Até agora, já pudemos ver …

Autoeuropa quer recorrer ao lay-off (e retomar produção a 20 de abril)

A administração da Autoeuropa quer promover um regresso gradual ao trabalho a partir de 20 de abril, pretendendo recorrer ao lay-off simplificado para os trabalhadores que não regressem ao trabalho nessa data. “O regresso ao trabalho …

Ex-mulher de astronauta acusada de mentir sobre o "primeiro crime espacial"

A ex-mulher da astronauta da NASA Anne McClain, Summer Worden, foi acusada formalmente de mentir sobre o "crime espacial" que McClain terá cometido. Em agosto de 2019, o jornal norte-americano The New York Times noticiou que …

Em Singapura, os parques de estacionamento são agora quintas urbanas

A pandemia de covid-19 está a obrigar alguns países a adaptarem-se. É o caso de Singapura, que está a transformar os parques de estacionamento em quintas urbanas para aumentar a produção alimentar. Só 1% do território …

O empresário mais odiado do mundo quer sair da prisão (para desenvolver um medicamento para a covid-19)

Martin Shkreli, o empresário mais odiado do mundo, quer sair brevemente da prisão para ajudar a desenvolver um tratamento para a covid-19. Num artigo publicado no site da empresa de Shkreli, Prospero Pharmaceuticals, juntamente com outros …

Ceferin acusado de ganância. "Manter a Liga dos Campeões foi um ato criminoso irresponsável"

O primeiro-ministro da Eslovénia, Janz Jansa, teceu duras críticas à forma como a UEFA e o seu presidente, Aleksander Ceferin, lidaram com a fase inicial da pandemia de covid-19. "Manter a Liga dos Campeões foi um …