Manuscrito de “Hey Jude” vendido em leilão por mais de 800 mil euros

(dr) Apple Records

Capa do álbum “Abbey Road”, dos Beatles

O manuscrito da música “Hey Jude”, escrito por Paul McCartney em 1968, foi vendido numa audição que a leiloeira Julien’s Auctions dedicou ao 50.º aniversário da separação dos Beatles.

O comprador, que preferiu manter a sua identificação sob anonimato, pagou 731 mil libras (cerca de 832 mil euros) pelo manuscrito, seis vezes o valor inicial pedido (128 mil libras).

O documento, uma simples folha de papel que conta com várias anotações do seu autor, foi utilizado durante a gravação do clássico em 1968 no estúdio Trident, em Londres.

Inicialmente, a música foi intitulada “Hey Jules” e foi composta por Paul McCartney para confortar Julian, filho de John Lennon, durante a separação dos seus pais.

“Dava-me muito com o Julian. Um dia ia no meu carro vagamente a cantar esta canção ‘Hey Jules, don”t make it bad’ (…) e depois pensei que era melhor Jude“, contou Paul McCartney, citado pela emissora britânica BBC.

O manuscrito era uma das 250 parcelas a leilão, entre diferentes objetos, papéis e até instrumentos musicais dos fabulous four de Liverpool, que há meio século puseram fim à sua banda, frisa ainda o Diário de Notícias.

O papel com a letra de “Hey Jude” foi a peça mais cara vendida neste leilão, mas a imprensa destaca ainda outros objetos, como a caixa grande da bateria que Ringo Star usou na primeira tourné da banda nos Estados Unidos (200 mil euros) e um desenho do casal Lennon-Yoko Ono, que mostra a ambos na cama quando fizeram o seu famoso e original protesto contra a guerra do Vietname (85,3 mil euros).

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.