Mais de 120 mortos e 180 desaparecidos no naufrágio do ferry na Coreia do Sul

BBC / YouTube

O Sewol afunda-se

O Sewol afunda-se

O número confirmado de mortos no naufrágio de um ferry ao largo da Coreia do Sul ultrapassou hoje os 120, enquanto os mergulhadores prosseguem as buscas para resgatar 180 desaparecidos, na maioria estudantes do ensino secundário.

Um mar calmo e melhores condições atmosféricas permitiram hoje acelerar as buscas, mas a visibilidade na água continua reduzida.

Os mergulhadores avançam às cegas no labirinto de corredores e cabines do ferry totalmente submerso.

“Continua a ser muito difícil para os mergulhadores que procuram cadáveres às apalpadelas em águas turvas“, declarou um porta-voz da guarda costeira.

Segundo o mais recente balanço oficial, foi confirmada a morte de 121 pessoas e 181 continuam ainda desaparecidas.

O barco transportava 476 pessoas quando se virou e afundou na manhã de 16 de abril, ao largo da costa meridional da Coreia do Sul.

O Sewol, um ferry de quatro pontes que fazia o trajeto para a ilha turística de Jeju (sul), transportava 352 jovens do sul de Seul, em visita de estudo. O vice-reitor, pertencente ao grupo dos sobreviventes, suicidou-se na sexta-feira.

Os familiares dos desaparecidos – pais, na maior parte dos casos – concentram-se todas as manhãs no porto de Jindo, a ilha vizinha do local da catástrofe, e aguardam a chegada dos barcos de socorro, dos quais são desembarcados, a intervalos cada vez mais frequentes, os cadáveres recuperados.

Nos primeiros dias, as famílias dos desaparecidos, afetadas pela angústia e pela dor, declaravam-se frustradas com a lentidão das operações de socorro, não conseguindo os mergulhadores entrar no barco devido à violência das correntes.

Mas agora, a esperança de encontrar sobreviventes é praticamente nula e as famílias pressionam os mergulhadores no sentido de recuperar os corpos o mais rapidamente possível, antes que estes fiquem demasiado deteriorados.

“Só quero rever o meu filho, quero poder segurá-lo nos meus braços e dizer-lhe adeus. Não suporto a ideia de ele estar num lugar frio e escuro”, comentou o pai de um estudante.

A tragédia do Sewol abalou profundamente a Coreia do Sul, um país orgulhoso dos progressos alcançados nas últimas décadas.

Arruinado após a guerra da Coreia (1950-1953), é atualmente um país rico, com um nível de vida elevado e ‘número um’ mundial em vários setores económicos, beneficiando igualmente de um sistema democrático robusto, após 30 anos de ditadura.

Os sul-coreanos tiveram dificuldade em compreender que uma tragédia destas dimensões possa ter acontecido no seu país.

Os pais das vítimas, mas também a imprensa e a opinião pública expressam a sua incompreensão, a sua ira e a sua dor em violentas críticas dirigidas às autoridades em geral.

A três dias da chegada do Presidente norte-americano, Barack Obama, a Seul, um responsável norte-americano indicou que “uma grande parte desta visita” terá como objetivo manifestar o apoio dos Estados Unidos ao seu aliado sul-coreano “nesta hora de provação”.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

"Os pássaros não são estúpidos". Secretário de Estado desvaloriza críticas a aeroporto do Montijo

Os ambientalistas têm alertado que dezenas de milhares de aves de médio e grande porte cruzam-se na zona de proteção especial do estuário do Tejo, junto ao local onde será construído o novo aeroporto do …

Acusado de racismo e sexismo, conselheiro político de Boris demite-se

Andrew Sabisky, conselheiro direto do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, demitiu-se esta segunda-feira, depois de ser acusado de racismo e sexismo pelo próprio Partido Conservador por causa de declarações suas no passado. Em causa estão declarações feitas …

"Impressora de pele" promete ajudar na cicatrização de queimaduras

Uma nova impressora 3D portátil é capaz de depositar "folhas de pele", umas sobre as outras, e criar um curativo biológico para cobrir grandes queimaduras. A nova impressora 3D foi desenvolvida por uma equipa de investigadores …

"Made in Space". A primeira fábrica espacial vai começar a ganhar forma

Com o objetivo de construir coisas cada vez maiores no Espaço, uma empresa do Colorado, nos Estados Unidos, está a preparar-se para uma missão de demonstração de construção. A Blue Canyon Technologies vai fornecer a infraestrutura …

Asteróide que passou recentemente pela Terra não estava sozinho

Astrónomos descobriram que o asteróide 2020 BX12, que passou pela Terra na semana passada, era afinal um sistema binário de asteróides. Estamos a falar do asteróide 2020 BX12, que passou a 4,3 milhões de quilómetros de distância da …

"Parasitas" vai ter uma série na HBO. E já são conhecidos dois nomes do elenco

A produção sul-coreana de Bong Joon Ho, especialmente condecorada pela Academia, merece agora uma adaptação para a televisão pelas mãos da HBO. A série televisiva de "Parasitas" foi anunciada em janeiro e a produção está encarregue …

O carregador do seu smartphone é mais potente do que o computador da Apollo 11

Não restam dúvidas de que a informática deu um passo gigante em termos de evolução nos últimos 50 anos. Agora, um engenheiro de software descobriu que até mesmo o carregador do seu smartphone é mais …

Tribunal suspende construção da Gigafactory na Alemanha

Um tribunal alemão ordenou à Tesla, este domingo, a suspensão das obras da sua fábrica "Gigafactory" por questões ambientais. Em novembro do ano passado, Elon Musk, presidente executivo da Tesla, anunciou que a Alemanha tinha sido …

Novos semáforos da Índia ficam vermelhos quando os condutores buzinam

A Polícia de Mumbai, na Índia, instalou detetores de ruído em vários semáforos de cruzamentos importantes da cidade, visando reduzir a poluição sonora. Agora, quanto mais os condutores buzinam, mais tempo a luz se mantém …

Polícia de Hong Kong procura autores de roubo de papel higiénico

Um camião que transportava papel higiénico foi, esta segunda-feira, alvo de um assalto à mão armada em Hong Kong, onde a escassez do produto motivou uma corrida ao comércio local. As autoridades informaram que um motorista …