Há mais de 1.500 portugueses presos no estrangeiro

Mais de 1.500 portugueses estavam detidos nas prisões estrangeiras no final de 2013, a maior parte por causa do tráfico de droga, tendo havido 321 cidadãos nacionais deportados, maioritariamente do Canadá.

Segundo os dados do Relatório da Emigração relativo a 2013, da responsabilidade do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, o ano de 2013 terminou com 1.565 portugueses detidos em prisões estrangeiras.

Traçando o perfil dos portugueses presos, constata-se que são maioritariamente homens (90%), com idades entre os 25 e os 45 anos, presos por tráfico de droga e a cumprir uma pena entre 5 e 10 anos.

“Os dez países onde se encontra um maior número de nacionais presos são: a Espanha, a França, o Reino Unido, a Alemanha, o Brasil, o Peru, o Luxemburgo, a Suíça, os Estados Unidos da América e a Itália”, lê-se no relatório, que explica que isto reflecte o fluxo das migrações, à excepção do caso do Peru, onde o elevado número de detenções é explicado pelo circuito de tráfico de droga internacional.

Motivos da detenção

Entre os 1.565 portugueses presos, apenas em 705 foi possível identificar os motivos da detenção, sendo que dentro destes, 373 estão presos por tráfico de droga. Em relação a outros 860 não foi comunicado aos postos ou à Direcção-Geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas informação quanto ao tipo de crime.

O relatório revela que o tráfico de droga é o principal motivo (53%) da condenação e prisão de cidadãos nacionais no estrangeiro, seguindo-se o roubo ou furto (10%) e com os restantes 21% a dividirem-se entre crimes sexuais, falsificações de documentou e crimes rodoviários.

Relacionando a prisão por tráfico de droga com o país da detenção, é possível verificar que a maior parte destes 373 portugueses estão em prisões brasileiras (83), peruanas (49), inglesas (37) e espanholas (26).

Em relação às penas, o documento revela que a maior percentagem (60%) cumpre penas entre os cinco e os 10 anos, seguido dos que cumprem penas inferiores a cinco anos (29%).

Além disso, existem oito portugueses condenados a pena de prisão perpétua, estando cinco no Reino Unido, dois na África do Sul e um na Irlanda.

Os portugueses presos no estrangeiro têm idades compreendidas entre os 21 e os 82 anos, com uma idade média de 39 anos num universo de 307 presos sobre quem existem dados relativos às idades.

Relativamente às deportações, os Estados Unidos da América e o Canadá são os dois países onde se verifica o maior número de casos, tendo-se registado em 2013 um total de 321 portugueses deportados.

Só do Canadá saíram, o ano passado, 126 portugueses, enquanto dos Estados Unidos da América foram expulsos 67. Fora da Europa, houve também dois casos de portugueses deportados da Rússia, um de Moçambique e dois da Venezuela.

Dentro da Europa, houve 123 casos de cidadãos nacionais afastados ou expulsos, a maioria do Reino Unido (83), sendo que, neste caso, o período em estudo decorre entre Abril de 2013 e Março de 2014.

País a país, registaram-se três expulsões da Alemanha, 36 da Espanha, quatro da Irlanda, um da República Checa e 83 do Reino Unido, num total de 123 casos.

O relatório traz a relação das deportações a partir de 2011, pelo que é possível constatar um total de 920 portugueses deportados até finais de 2013.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas criam algoritmo para identificar covid-19 a partir do som da tosse

Investigadores de vários países criaram um algoritmo que afirmam poder identificar se uma pessoa tem covid-19 a partir do som da sua tosse. Cientistas do México, Estados Unidos, Espanha e Itália, liderados por uma equipa do …

Para proteger o fundo do mar, novo sistema permite atracar vários barcos com uma só "âncora"

Quando vários barcos se amontoam numa enseada durante a noite, cada um deles lança uma âncora que pode potencialmente danificar os corais e a vida marinha no fundo do mar. O sistema Seafloat foi criado …

Japão e Estados Unidos assinam acordo de cooperação para exploração da Lua

O Ministério da Educação, Cultura, Desporto, Ciência e Tecnologia do Japão e a agência espacial dos Estados Unidos (NASA) assinaram um acordo de colaboração entre os dois países no programa Artemis, para a exploração da …

Washington Redskins mudam de nome por ser considerado racista

A equipa de futebol americano, até aqui denominada de Washington Redskins, vai abandonar essa designação, considerada de teor racista, para designar nativos da América do Norte. Em comunicado, a equipa de Washington explicou que, depois de uma …

Flores precisaram de cerca de 50 milhões de anos para se tornarem o que são hoje

As plantas com flor evoluíram há cerca de 100 milhões de anos, mas precisaram de outros 50 milhões de anos para diversificar e tornarem-se aquilo que são hoje, sugere uma equipa de investigadores. Os cientistas documentaram …

Estudo sugere que imunidade à covid-19 pode desaparecer em poucos meses

A imunidade adquirida por anticorpos após a cura da covid-19 pode desaparecer em alguns meses, o que poderá complicar o desenvolvimento de uma vacina eficaz a longo prazo, sugere um estudo britânico divulgado esta segunda-feira. "Este …

60 anos depois, já se sabe o que aconteceu aos 9 russos que desapareceram na Montanha da Morte

Passados 61 anos, o mistério da morte de nove esquiadores russos que faziam uma caminhada pelos Montes Urais, perto da chamada Montanha da Morte, foi finalmente resolvido. Em 1959, nove viajantes russos que faziam uma caminhada …

Médicos Sem Fronteiras é "institucionalmente racista", acusam atuais e ex-colaboradores

Uma declaração assinada por mil atuais e ex-funcionários revela que a Organização Não Governamental (ONG) Médicos Sem Fronteiras (MSF) é "institucionalmente racista" e reforça o colonialismo e a supremacia branca no trabalho humanitário que pratica. Na …

Empresa culpada pela crise de opioides fez contribuições políticas após declarar falência

A Purdue Pharma, empresa culpada pela crise de opioides nos Estados Unidos, fez contribuições políticas após ter sido processada e declarado falência. Os opioides são usados para aliviar a dor, mas também provocam uma sensação exagerada …

Norte-americano morre após ir a festa para provar que a covid-19 é uma farsa

Um norte-americano de 30 anos, de San Antonio, no estado do Texas, morreu de covid-19 depois de ir a uma festa para provar que a doença era uma farsa, informou a media local. O homem foi …