Maioria das repúblicas de Coimbra pode fechar portas até 2018

3

Real República Rapó-Táxo / e-funding.eu

Real República Rapó-Táxo

Real República Rapó-Táxo

A Associação de Repúblicas de Coimbra, apresentada publicamente esta quarta-feira, alertou que com o Novo Regime de Arrendamento Urbano (NRAU) 19 das 25 repúblicas existentes podem fechar portas até 2018.

Das 25 repúblicas existentes, seis são propriedade dos próprios responsáveis ou da Universidade de Coimbra ou da Câmara, “mas as outras 19 estão em perigo“, alertou Luís Ferreira, membro da associação, recordando que a República 5 de Outubro já fechou em 2013, a República da Praça viu agora o Tribunal da Relação confirmar o despejo, quatro casas estão à venda e as restantes, ao estarem num regime de transição que termina passados cinco anos após a celebração de um novo contrato, estão em risco de acabar.

“2018 ditará o futuro das repúblicas”, disse, durante a apresentação da Associação das Repúblicas de Coimbra, considerando que o NRAU facilita o despejo e não salvaguarda as repúblicas.

A nova lei “é uma armadilha para as repúblicas”, criticou o presidente da associação recentemente criada, Gonçalo Quitério, afirmando que o facto de as repúblicas serem equiparadas a uma microempresa leva a que haja um aumento máximo da renda anual de um quinze avos do valor patrimonial da habitação e, terminando um período de transição de cinco anos, os senhorios podem estabelecer um valor de renda que desejarem ou despejar os arrendatários.

As repúblicas “são dos poucos patrimónios em Portugal que não estão protegidos”, sublinhou, frisando que muitas das repúblicas, “mais dia menos dia”, terão problemas e poderão ver as suas portas fechar.

A Associação das Repúblicas de Coimbra, apresentada hoje ao final da manhã no edifício da Associação Académica de Coimbra (AAC), surgiu a partir da necessidade de haver “um órgão dotado de personalidade jurídica”, algo que o Conselho das Repúblicas não tem.

O principal foco da associação será em torno do NRAU, querendo realizar várias reuniões com entidades locais e nacionais e com todos os grupos parlamentares, referiu, observando que alguns dos deputados eleitos por Coimbra “sabem o que são as repúblicas, defendem aqui nas ruas, mas não defendem na Assembleia”.

Para além desse trabalho, pretendem avançar com “uma petição para elevação das repúblicas a património municipal”, avançou Gonçalo Quitério.

O presidente da AAC, Bruno Matias, também presente na apresentação, criticou a visão “económica” do Governo, que “vence qualquer tipo de tradição ou cultura” e que não procura proteger o património.

Já a vice-reitora da Universidade de Coimbra Helena Freitas salientou que este “é um momento crítico para a vida das repúblicas de Coimbra”, sendo necessário encontrarem-se soluções que “garantam a sua continuidade no tempo”.

/Lusa

3 Comments

  1. REPÚBLICAS DA VERGONHA, RENDAS DE FOME

    Sou uma mulher de esquerda, Socialista, mas sou contra a posição do meu partido, sou contra a lei antiga, que era altamente injusta e cega,
    Tenho pena é do senhorio que foi roubado (literalmente), estes anos todos. De estudantes que não querem pagar mensalmente pela sua permanência na “República” não tenho pena nenhuma. Se arranjam quartos mais baratos, mudem-se. Quanto ao fim das “repúblicas”, esta falsa afirmação, todos sabemos que nunca irá acontecer, o que vai acontecer é que estas casas com rendas antigas, vão ser finalmente devolvidas aos donos e os meninos vão ter de procurar novas casas onde vão pagar o valor justo ao dono do imóvel, como qualquer estudante em Coimbra paga!!!
    É irrelevante o que uma “República” significa, se tal é feito à custa do dinheiro de outros que não querem contribuir para essa “causa” (leia-se o senhorio). Se significa assim tanto, para os estudantes em questão, então demonstrem-no e paguem, com a implementação desta lei os senhorios voltaram a ser donos dos seus patrimónios.
    Tendo estudado em Coimbra só posso dizer que não tenho peninha nenhuma desta gente. Então andaram a viver práticamente á borla na república e agora que estão a pagar o valor de mercado queixam-se???? Se querem Acção Social candidatem-se ás bolsas.
    E mais, como é possível que o BE e o PCP, sempre tão indignados com todas as injustiças e mais algumas, não tenham denunciado, a tempo, estes verdadeiros ROUBOS a que estes proprietários estiveram sujeitos e ainda votaram a favor da lei antiga no parlamento, que permitia a continuidade desta errada/injusta/triste etc situação!!!!

  2. Porque é que as Repúblicas perderam a razão.

    Já escrevi muito neste espaço e penso que devo explicar as minhas razões.

    Primeiro, eu não sou contra a existência de Repúblicas de Estudantes.

    Não sou. Nunca fui.

    Mas sou CONTRA que algumas REPUBLICAS rejeitam estudantes quer por razões políticas.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que rejeitam estudantes por estes serem a favor da praxe académica.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham estudantes/residentes/repúblicos com condições financeiras para suportarem um quarto ou uma casa.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS, neste caso repúblicos, que não cumpram com as suas obrigações como por exemplo, pagarem rendas.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham repúblicos com mais matriculas que aquelas que sejam necessárias para acabar o curso – Vá, com tolerância académica de um ano.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham residentes que não sejam estudantes.

    Sou CONTRA as REPUBLICAS que tenham repúblicos que não sejam estudantes da Universidade de Coimbra.

    EU Sou CONTRA ESSAS REPUBLICAS.

    E, infelizmente, SÃO MUITAS.

    Porque isso não é uma República.
    Isso, meus caros, é OKUPAÇÃO!

    É oKupação de uma parte bonita da história de ser estudante de Coimbra.

    É adulteração da real missão do que devem ser as repúblicas.

    Durante anos, fizeram o que quiseram.

    Durante anos, poderiam ter chegado acordo com os senhorios para valores razoáveis, mas não.

    Durante anos, ao pagarem rendas simbólicas, melhor, durante décadas, podiam ter, hoje, um bom pé-de-meia para servir como entrada para aquisição do imóvel.

    Andaram anos armados em chicos espertos, refugiando na Lei contra os senhorios, invés de criarem bases para uma sustentabilidade a longo prazo da existência da República.

    Poderiam ter feito tudo isso. Tiverem tempo para isso.

    Tiveram mais de 50 anos para prepararem tudo isso.

    Mas não.
    Agora é tarde.
    Agora virou-se o feitiço contra o feiticeiro.

    Agora querem pena, compreensão e compaixão.

    Agora querem nos dizer que a culpa é do senhorio, quando anos após anos, décadas após décadas, o maior prejudicado foi ele.

    Agora é tarde,

    Agora não têm razão.

  3. Numa cidade em que um quarto chega facilmente a 160 euros mensais, dez ou doze repúblicos pretendem continuar a pagar 5.99 euros por mês de renda por uma casa. E os antigos residentes, porventura estribados nas posições que adquiriram na sociedade, acham que isso é justo pois que lhes permite continuar os encontros anuais nos chamados “centenários”.
    São essas posições sociais, cujo mérito não se contesta, o que incentiva a comunicação social a tornar-se, mais uma vez, no órgão de propaganda de uma causa manifestamente injusta. E pelo desfecho que isto terá se avaliará a vontade reformista de um governo que herdou um país falido, essencialmente, devido aos privilégios que se espalharam como quem dá milho aos pombos.
    Fala-se muito do valor cultural e tradicional das repúblicas e na enorme perda para o País que a suposta extinção destas iria provocar. Isto não é mais do que uma cortina de fumo pois que ninguém quer extingui-las. E até se fala muito na classificação pela UNESCO da Universidade como património mundial, pelos vistos incluídas as repúblicas. Cada um tomará a credibilidade da UNESCO como entender mas certo, certo, é o facto de o passado só valer quando se tem um futuro.
    A pagar rendas de 5.99 euros mensais a donos de imóveis nunca se irá lá, por isso é bom que os estudantes parem de uma vez por todas de só pensar em si!
    Tomem medidas e paguem o valor justo ao dono do imóvel ou vão para outro sitio rápidamente!!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE