6-1: a maior derrota de sempre de Mourinho (e as piadas de sempre)

1

Will Oliver / EPA

José Mourinho

Roma foi surpreendida no terreno do pouco conhecido FK Bodø/Glimt, na Liga Conferência Europa.

Bodø/Glimt 6-1 AS Roma. Este foi provavelmente o resultado mais surpreendente nesta época, no futebol europeu.

O Benfica, por exemplo, já tinha surpreendido ao vencer o Barcelona por 3-0. E o Sheriff surpreendeu ainda mais, ao ganhar ao Real Madrid, em Espanha.

Mas nunca tinha acontecido uma equipa liderada por José Mourinho sofrer seis golos – e de uma equipa da Noruega…

Então, mas o que aconteceu neste jogo da terceira jornada do Grupo C da Liga Conferência Europa?

Desde logo, Mourinho alterou quase toda a equipa inicial. Manteve Rui Patrício e Ibañez. Os outros nove jogadores não tinham sido titulares contra a Juventus, no compromisso anterior. E aí esteve um motivo forte: “O nosso onze inicial de hoje é mais fraco do que o onze inicial do Bodø. Fico à espera para ver se, a partir de agora, vão estar sempre a perguntar porque escolho sempre os mesmos jogadores”, desafabou o treinador português, depois do jogo.

A temperatura de dois graus positivos e a relva artificial também não ajudaram a turma italiana. Aliás, Mourinho disse também que preferiu evitar que os seus titulares habituais jogassem naquelas condições, especialmente numa relva artificial sob temperatura muito baixa.

E depois houve… golos. Sem qualquer expulsão ou lesão que condicionasse a Roma, sem qualquer imprevisto. O Bodø/Glimt marcou seis vezes e a Roma, que só conseguiu rematar duas vezes na direcção da baliza adversária, marcou apenas um. Erik Botheim e Ola Solbakken bisaram, Patrick Berg e Amahl Pellegrino também marcaram. Pelo meio, Carles Pérez reduziu.

6-1. A maior derrota de sempre de uma equipa liderada por José Mourinho. Já tinha perdido por 5-0 mas, em mais de mil partidas, nunca tinha sofrido seis golos num jogo.

O “culpado” é o FK Bodø/Glimt. O campeão e líder do campeonato norueguês (e com um 11 composto quase na totalidade por noruegueses), proveniente de uma cidade pequena na Noruega.

E cujo nome “parece de uma daquelas equipas de futsal, tipo SC Braga/AAUM”, escreveu um utilizador no Twitter, quando começaram a surgir as brincadeiras habituais entre os adeptos de futebol.

Outro utilizador, igualmente português, lembrou que os adeptos de Sporting, FC Porto e Benfica ficaram desiludidos por terem sido goleados, respectivamente, por Ajax, Liverpool e Bayern Munique. “Agora imaginem o que sentem os adeptos da Roma ao levar seis do Bodø/Glimt”.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

O portal WhoScored lembrou que Mourinho tinha dito, há poucos dias, que nem sequer pensa numa possível mudança para Newcastle porque “nada” o vai fazer deixar Roma. “Nós estamos a ver o que estás a fazer, José…”, ironiza o portal.

E ainda há quem lembre que, desde 2007, a Roma é especialista em ser goleada contra equipas estrangeiras: 7-1 contra Manchester United e Bayern Munique, 6-1 em Barcelona e agora a repetição deste último resultado.

Quando o jogo na Noruega acabou, Pellegrini quis oferecer a sua camisola aos adeptos, mas estes, entre insultos aos atletas, recusaram.

  Nuno Teixeira, ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE