Há um lugar na Terra parecido com Marte (onde os microrganismos sobrevivem)

(dr) Dirk Schulze-Makuch

No deserto do Atacama, chove apenas uma vez a cada década. Ainda assim, minúsculas bactérias e microrganismos conseguem sobreviver, abrindo a possibilidade de se descobrir formas de vida similares no planeta Marte.

O deserto de Atacama, no Chile, é considerado um dos ambientes mais inóspitos do mundo, devido à extrema aridez do solo. No entanto, cientistas descobriram microrganismos capazes de sobreviver sem água durante décadas, naquela que é a considerada região mais seca do mundo.

Esta é a primeira vez que este tipo de vida é encontrado no deserto do Atacama. Estes micróbios conseguem sobreviver durante anos sem uma gota de água, entrando numa espécie de “estado latente“, no qual todas as suas atividades orgânicas ficam paralisadas.

Segundo o ScienceAlert, estudos anteriores detetaram micróbios no deserto do Atacama, mas os cientistas deixaram em aberto a possibilidade de que qualquer tipo vida descoberto no solo arenoso poderiam ser apenas “vestígios mortos de células viáveis depositadas por processos atmosféricos”.

Desta vez, “acreditamos que estas comunidades microbianas podem ficar latentes por centenas ou mesmo milhares de anos em condições muito semelhantes às que encontraríamos no planeta como Marte”, refere Dirk Schulze-Makuch, líder da equipa de investigadores.

Em 2015, o cientista e professor da Universidade Técnica de Berlim e a sua equipa visitaram o deserto com o objetivo de estudar os tipos de vida que poderiam existir naquela região, mas, para sua surpresa, aconteceu o inesperado: choveu.

Schulze-Makuch e os seus colegas detetaram uma eclosão de atividade biológica no solo e começaram a recolher amostras. As análises identificaram vários tipos autóctones de vida microbiana, principalmente bactérias, que conseguiram adaptar-se às condições daquele ambiente durante anos. Com a chuva, reativaram-se para se reproduzirem.

“Esta foi a primeira vez que alguém identificou uma forma de vida persistente na terra do deserto do Atacama”, afirma Schulze-Makuch, o principal autor do estudo, publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences.

Os cientistas acreditam que estas comunidades microbianas adormecem durante centenas ou até milhares de anos, em condições muito similares às encontradas no Planeta Vermelho. Quando chove, “voltam à vida”, explica.

Em 2016 e 2017, os cientistas voltaram ao deserto do Atacama e descobriram que essas comunidades microbianas estavam, lentamente, a voltar para esse estado “adormecido”. No entanto, não estavam mortas.

Há milhões de anos, existiam em Marte lagos e oceanos que dão aos cientistas a esperança de conseguirem encontrar sinais de vida no Planeta Vermelho. “Se há vida neste ambiente inóspito, há grandes possibilidades de poder haver em Marte“, conclui o cientista.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Parasitas": O Melhor Filme dos Óscares chega à televisão

Parasitas vai passar na televisão esta sexta-feira (3), às 21h30, no canal TVCine Top. A produção de Bong Joon-ho angariou, nesta última award season, inúmeras nomeações, tendo sido Palma de Ouro no Festival de Cinema …

Países entram numa "guerra secreta" por ventiladores, admite agente da Mossad

Muitos países estão a utilizar os seus serviços de informações para a compra de material de saúde encomendado por outros, sobretudo ventiladores, para enfrentar a crise do novo coronavírus, disse um agente da Mossad, encarregado …

Pessoas que espalham ódio na Internet tendem a ser psicopatas

Os utilizadores da Internet que publicam comentários de ódio sobre outras pessoas tendem a ter traços psicopáticos. Por outro lado, os cientistas não encontraram uma correlação entre essa prática e narcisismo ou maquiavelismo. Estes utilizadores são …

Polícia britânica tingiu de negro uma lagoa azul para afastar visitantes

A Polícia britânica decidiu tingir de negro uma lagoa azul muito procurada na região de Derbyshire, visando assim afastar os visitantes e fazer com que estes cumpram o isolamento social exigido pelas autoridades para travar …

A maior cascata do Equador desapareceu repentinamente

A maior cascata do Equador, com cerca de 150 metros, desapareceu repentinamente por causa de uma dolina. Investigadores ainda não sabem se esta apareceu por causas naturais ou humanas. Em fevereiro, a cascata de San Rafael, …

Aprovada descida de 3% na eletricidade no mercado regulado

A Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) aprovou uma descida do preço da tarifa aplicada no mercado regulado de cinco euros por megawatt/hora (MWh). Contas feitas, trata-se de uma redução de aproximadamente 3% no total …

Turquemenistão proibiu o uso da palavra "coronavírus"

Enquanto o mundo luta para conter a propagação da pandemia de covid-19, no Turquemenistão os cidadãos podem ser presos só por dizerem a palavra "coronavírus". De acordo com a rádio NPR, que cita a organização não …

EDP oferece desconto de 20% a profissionais e organizações de saúde

Face à pandemia de covid-19, a EDP vai oferecer um desconto de 20% na fatura da eletricidade a profissionais e organizações de saúde, anunciou esta quarta-feira a empresa liderada por António Mexia em comunicado. “A …

Bill Gates deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia

Num artigo publicado no jornal norte-americano Washington Post, o fundador da Microsoft, Bill Gates, deixa três recomendações para os Estados Unidos combaterem a pandemia de covid-19, que já fez 43 mil mortes em todo o …

Comissão de Trabalhadores da TAP pede nacionalização da companhia

A Comissão de Trabalhadores (CT) da TAP reforçou esta quarta-feira o apelo para que a transportadora “se torne 100% pública”, depois de a empresa ter anunciado o lay-off da maioria dos trabalhadores, segundo um comunicado. No …