/

Lojas já estão a fazer contratações para “salvar o Natal”

Após um Natal marcado pelas restrições, este ano os retalhistas esperam recuperar as vendas e, como tal, já estão a reforçar as equipas para o período que se segue.

São várias as empresa que já começam a fazer contas a vida e esperam ansiosamente pela chegada da época natalícia onde, por norma, os consumidores costumam fazer mais compras.

A contar em recuperar as vendas que foram perdidas no ano passado, devido à pandemia de covid-19, são muitas as empresas de retalho que já estão a recrutar.

No caso da Worten, que pertence à Sonae, estão a ser contratados cerca de 500 novos funcionários – “maioritariamente para as funções de vendedor e operador de logística”, adianta ao ECO António Fuzeta da Ponte, diretor de marca e comunicação da cadeia de retalho especializado.

Em declarações ao site online, a empresa diz que “o objetivo é corresponder a um maior fluxo de clientes, expectável nesta altura do ano, que também inclui a época de Black Friday, continuando a prestar um serviço e atendimento de qualidade”.

Por sua vez, o El Corte Inglés também já anunciou a contratação de mais de 600 pessoas para diferentes cargos. Também aqui os novos funcionários vão desempenhar funções de vendas e atendimento ao cliente e serão integrados nas áreas de moda, acessórios, decoração e casa, eletrónica, brinquedos, lazer, desporto e alimentação, além de serviços especiais para essas datas.

Na Fnac, o reforço neste ano “ronda os 10% a 15%”, sobretudo para dar apoio em loja. O número exato vai “depender essencialmente do regresso à normalidade em termos de tráfego e do crescimento do online”, prometendo “agilidade” para manter o nível de serviço aos clientes, escreve o ECO.

Atualmente, o retalho especializado, que foi dos setores que mais sofreu com os confinamentos, está a registar uma recuperação, atesta o diretor-geral da Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição (APED).

Em alguns destes segmentos, a faturação do terceiro trimestre já ficou acima do nível anterior à pandemia e Gonçalo Lobo Xavier conta fechar o ano da melhor forma, apesar do “cocktail explosivo” que pode esvaziar algumas prateleiras em Portugal. Ainda assim, refere que o setor está a encarar o período que se avizinha “com bastante otimismo”.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE