Liverpool vs Porto | Arranque tremido dita derrota

Peter Powell / EPA

O FC Porto perdeu por 2-0 em Anfield, com o Liverpool, em jogo da primeira mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões.

Uma primeira parte menos conseguida dos campeões nacionais acabou por permitir aos “reds” marcarem dois golos, criando outras situações de perigo. Os “dragões” cerraram fileiras no segundo tempo, não deram mais veleidades aos ingleses e até acabaram o jogo por cima, mas vão para a segunda mão sem qualquer golo marcado fora.

O Jogo explicado em Números

  • Mau arranque do FC Porto, a sofrer um golo logo aos cinco minutos, quando a partida estava ainda indefinida. Sadio Mané trabalhou na esquerda, serviu Roberto Firmino, este deixou para Naby Keita que rematou à entrada da área. A bola ainda desviou em Óliver Torres, antes de bater Iker Casillas. Dois remates para os “reds”, um golo.
  • O Liverpool agarrou no domínio do jogo e chegou ao primeiro quarto-de-hora com 64% de posse de bola, mas não mais do que três remates, um enquadrado – o Porto somava dois disparos, sem a melhor direcção. Nenhuma das equipas se mostrava particularmente inspirada no passe, com os ingleses a não passarem dos 78% de eficácia. Pior estavam os “dragões”, com 59%.
  • Aos 22 minutos, Mohamed Salah isolou-se, mas, perante Casillas, rematou reste ao poste esquerdo da baliza portista. A formação lusa estava a sentir muitas dificuldades para travar a velocidade do egípcio, mas também de Mané. Adivinhava-se o 2-0, que surgiu aos 26 minutos. Após uma excelente jogada colectiva, Trent Alexander-Arnold cruzou rasteiro e Firmino só teve de encostar para um golo fácil.
  • Em cima dos 30 minutos, Moussa Marega surgiu isolado frente a Alisson, mas o brasileiro defendeu com um pé o disparo do maliano. O Porto tentava reagir, mas à meia-hora o jogo era dos “reds”, que continuavam a registar 60% de posse e sete remates, três enquadrados (cinco disparos na área do Porto, demonstrativo das dificuldades portistas a defender).
  • A verdade é que, aos 40 minutos, o FC Porto somava quatro remates (dois enquadrados) e todos eles foram realizados na área contrária, pelo que os “dragões” também conseguiam entrar no último reduto inglês. Marega, com três disparos, uma seta apontada à baliza contrária, era dos mais perigosos, mas oito más recepções de bola nesta fase não ajudavam a, depois, definir bem os lances.
  • Dificuldades para o Porto na primeira parte em Anfield, com uma desvantagem de dois golos e problemas para parar o tridente ofensivo dos “reds”.
  • Os homens da casa dominaram territorialmente, atacaram mais, registaram mais remates e desperdiçaram duas ocasiões flagrantes de golo, mas os portugueses também criaram lances de qualidade, com Marega a desperdiçar também duas vezes lances de golo iminente. O melhor em campo ao intervalo era Keita.
  • O guineense registava um GoalPoint Rating de 8.0, fruto do golo que marcou (o 1-0), mas também de dois dribles eficazes e seis desarmes, máximo do encontro.
  • O Liverpool marcou de novo aos 49 minutos, mas o tento de Mané foi anulado por fora-de-jogo do senegalês. Apesar de os “reds” registarem 69% de posse de bola no primeiro quarto-de-hora da segunda parte, o Porto parecia mais consistente defensivamente, recuando um pouco as suas linhas para não dar tantos espaços aos velozes avançados contrários. Por isso, nesta fase os da casa somavam apenas dois remates, desenquadrados, o mesmo que os “azuis-e-brancos”.
  • Jogo menos emocionante nesta segunda metade, sem grandes situações de perigo desde o intervalo, quando se chegava aos 70 minutos. O central Felipe destacava-se pela forma como anulava os lances adversários, de forma prática e sem cerimónias. Nesta fase, o brasileiro somava sete alívios e quatro intercepções, mostrando qualidade no passe longo (seis certos em 12 tentativas).
  • A incapacidade dos anfitriões para criarem lances de perigo começou a enervar tanto a equipa, como os adeptos, aproveitando o Porto para lançar alguns rápidos contra-ataques, através de passes longos. Marega chegou aos 80 minutos como o jogador mais rematador sobre o relvado de Anfield, com cinco disparos, três enquadrados, mas sem conseguir facturar.
  • O Porto acabou a dominar nos minutos finais, interceptando praticamente todas as tentativas contrárias de lançar as transições. O posicionamento defensivo era irrepreensível, a segurança no transporte de bola permitia aos “dragões” instalarem-se no meio-campo contrário. Mas já não havia tempo para mais, pelo que o Liverpool vai ao Dragão com uma boa vantagem, mas com tudo em aberto para a formação lusa.

O Homem do Jogo

O jogo não foi fácil para o Porto, em especial pela superioridade dos homens da casa na primeira parte. Nessa altura, Naby Keita foi o melhor e, como a etapa complementar pouco futebol trouxe de ambos os lados, o guineense acabou por manter a liderança dos GoalPoint Ratings, terminando com 8.6. O médio fez um golo, dois passes para finalização, acertou 86% dos passes que fez, completou três de seis tentativas de drible e esteve muito bem no processo defensivo, registando dez recuperações de posse e oito desarmes.

Jogadores em foco

  • Éder Militão 6.3 – O Porto foi obrigado a defender bastante e, nesse capítulo, Militão esteve em bom plano. O brasileiro somou nada menos que 17 acções defensivas, com destaque para seis desarmes e três bloqueios de passe, e não teve hipóteses de subir para tentar desequilibrar com o seu bom jogo aéreo.
  • Felipe 6.3 – Com o mesmo rating terminou o seu colega da defesa, Felipe, muito certo durante todo o jogo. Com sete passes longos certos em 16 tentativas, o brasileiro ganhou os três duelos aéreos defensivos em que participou e somou dez alívios.
  • Óliver Torres 5.8 – O pouco acerto no passe penalizou um pouco a exibição do espanhol que, no entanto, mostrou outras qualidades. Para além de ter completado duas de quatro tentativas de drible, o médio criou ainda uma ocasião flagrante de golo, desperdiçada por Marega.
  • Moussa Marega 3.8 – Jogo para esquecer do maliano na hora de definir. Com uma entrega irrepreensível e boas movimentações e diagonais, que lhe permitiram fugir aos defesas contrários para receber passes longos, Marega foi o mais rematador, com cinco disparos, e até enquadrou três. Contudo, desperdiçou duas ocasiões flagrantes e somou oito maus controlos de bola.
  • Fabinho 6.8 – Na luta pelo meio-campo, o brasileiro esteve imperial, terminando com o segundo rating mais alto da noite. Ao todo, Fabinho registou 101 acções com bola, acertou 87% dos passes que fez, recuperou 12 vezes a posse de bola e ainda somou nove acções defensivas.

Resumo

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Dois veleiros robotizados vão medir alterações climáticas no Atlântico

Dois veleiros de navegação robotizada vão medir, durante os próximos quatro meses, a pegada das mudanças climáticas no oceano Atlântico e irão passar pela Madeira e Cabo Verde. A Plataforma Oceânica das Canárias (PLOCAN) libertou esta …

A educação científica está sob ataque legislativo nos Estados Unidos

São inúmeros os professores de ciências que trabalham diariamente nas escolas públicas dos Estados Unidos para garantir que os alunos estão equipados com o conhecimento teórico e prático necessário para enfrentar o futuro. No entanto, …

João Félix saiu lesionado com gravidade no jogo contra o Valência

João Félix, avançado português do Atlético de Madrid, saiu este sábado lesionado com "forte torção no tornozelo direito", ao minuto 78 do jogo contra o Valência, da nona jornada da Liga espanhola de futebol, disputado …

As traças ficaram mais escuras por causa da Revolução Industrial? Cientistas já sabem a resposta

No virar do século XIX, na Grã-Bretanha, traças de todo o país começaram a ficar gradualmente mais escuras em resposta à forte poluição provocada pela Revolução Industrial. A Revolução Industrial foi um período de grandes transformações …

Mais de mil médicos foram alvo de processos disciplinares. 45 foram condenados, nenhum foi expulso

Mais de 1.070 processos disciplinares a médicos foram abertos no ano passado pelos conselhos disciplinares da Ordem, tendo sido condenados 45, segundo dados este sábado divulgados. Segundo os dados da Ordem dos Médicos, os conselhos disciplinares …

Publicar no Instagram rende mais a Ronaldo do que jogar na Juve

As publicações pagas no Instagram rendem mais a Cristiano Ronaldo do que jogar na Juventus, revela um estudo do Buzz Bingo. O internacional português foi a personalidade mais bem paga neste rede social em 2018. De …

Brexit: Hoje era o Dia D (mas afinal, fica tudo na mesma)

Devia ter sido o dia decisivo para o Brexit no Parlamento do Reino Unido, mas o processo foi mais uma vez adiado.  Foi aprovada uma emenda que obriga o primeiro-ministro Boris Johnson a pedir um novo …

"Mais Siza e menos Centeno". Emprego e salários são as chaves do novo Governo de Costa

O novo Executivo para a próxima legislatura, que António Costa apresentou esta terça-feira ao Presidente da República, tem como chaves de governação o emprego e os salários, escreve este sábado o Expresso. De acordo com …

FBI já apurou a causa da morte de três turistas na República Dominicana

Testes toxicológicos apresentados esta semana pelo FBI determinaram que a morte de três turistas norte-americanos na República Dominicana se deveu a causas naturais, avança o jornal New York Times. De acordo com o diário, no caso …

"Discos encriptados de Rui Pinto são pisa papéis para a Judiciária"

A Polícia Judiciária "precisaria de milhares de anos" para conseguir" descodificar os discos encriptados pelo hacker Rui Pinto, onde se acredita que estejam provas relevantes sobre os alegados roubos de emails e os acessos ilegais …