Líder de Hong Kong condena violência e diz que população está assustada

Jerome Favre / EPA

A chefe do Governo de Hong Kong condenou a violência cometida por grupos de manifestantes, que vandalizaram estabelecimentos comerciais e estações de metro, garantindo que a população está assustada.

A chefe do Governo de Hong Kong condenou este sábado a violência cometida na véspera por grupos de manifestantes, que vandalizaram estabelecimentos comerciais e estações de metro, garantindo que a população está assustada.

“Estes atos violentos cometidos por desordeiros estão na origem de uma noite muito negra para Hong Kong e a sociedade está parcialmente paralisada hoje”, disse Carrie Lam, numa mensagem vídeo.

A governante acrescentou que “todos estão muito preocupados e até mesmo assustados”. Antes, o secretário para a Segurança de Hong Kong, John Lee, tinha advertido que a falta de uma condenação explícita da violência pela população local estava a alimentar as ações de grupos de manifestantes.

“O que está a alimentar a violência é o apoio da população a estes atos”, reconheceu o responsável, ao rejeitar que as acusações de que a proibição do uso de máscaras em manifestações ilegais anunciada por Lam, na sexta-feira, e já em vigor, “tenha ateado as chamas”.

“Todos deviam sair [à rua] para dizer ‘não, a sociedade não aceitará a violência’”, sublinhou.

De acordo com a agência de notícias Associated Press, dois ativistas apresentaram um recurso, na sexta-feira à tarde, contra a proibição, alegando que a medida vai instalar o medo e atentar contra a liberdade de reunião, mas um tribunal negou o pedido.

O encerramento de toda a rede ferroviária, responsável por mais de quatro milhões de viagens diárias, ocorreu pela primeira vez desde que, em quase quatro meses, o território tem sido palco de manifestações quase diárias contra o governo, na pior crise desde a transferência de soberania do Reino Unido para a China em 1997.

A operadora da rede de metropolitano e de comboios referiu que os serviços vão ficar encerrados durante todo este sábado, noticiou a rádio pública RTHK.

A noite foi marcada por ataques incendiários, pilhagens, confrontos com a polícia e agressões, bloqueios de estradas, a vandalização de estações de metro e estabelecimentos comerciais com ligações à China. A polícia recorreu a granadas de gás lacrimogéneo para dispersar os manifestantes.

Com a ‘lei anti-máscara’, usada pela última vez durante os motins de 1967, o Governo de Hong Kong pretende “acabar com a violência e restaurar a ordem” e a proibição visa apenas as pessoas que participem em manifestações ilegais e aqueles que recorram à violência.

Apesar de a medida excecional ser justificada pela “situação de grande perigo público” que se vive no território, não foi decretado o estado de emergência em Hong Kong, sublinhou Carrie Lam.

Na origem da contestação que se vive na região administrativa especial chinesa desde o início de junho está uma polémica proposta de emendas à lei da extradição, já retirada formalmente pelo Governo de Hong Kong.

Contudo, os manifestantes continuam a exigir que o Governo responda a quatro outras reivindicações: a libertação dos manifestantes detidos, que as ações dos protestos não sejam identificadas como motins, um inquérito independente à violência policial e, finalmente, a demissão da chefe de Governo e consequente eleição por sufrágio universal para este cargo e para o Conselho Legislativo, o parlamento de Hong Kong.

A transferência da soberania da antiga colónia do Reino Unido para a China, em 1997, decorreu sob o princípio “um país, dois sistemas”.

Tal como acontece com Macau, para Hong Kong foi acordado um período de 50 anos com elevado grau de autonomia, a nível executivo, legislativo e judicial, com o Governo central chinês a ser responsável pelas relações externas e defesa.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Para já, Ivo Rosa escapa de um inquérito disciplinar do Conselho Superior da Magistratura

O Conselho Superior da Magistratura não vai abrir inquérito disciplinar a Ivo Rosa, pelo menos, para já. O órgão de gestão dos juízes concluiu que não há suspeitas de violação de caso julgado na decisão …

Mario Gómez: "O futebol é como a roupa, é de modas"

Comentário do antigo internacional alemão sobre as funções do ponta-de-lança atual. Mario não tem saudades dos relvados. Mario Gómez García, o homem que veio de Riedlingen, na República Federal da Alemanha, para marcar muitos golos. Figura …

A um mês dos Jogos Olímpicos, Tóquio pondera levantar estado de emergência

Os Jogos Olímpicos, que foram adiados no ano passado devido à pandemia, vão começar no dia 23 de julho. O Governo japonês está a ponderar levantar o estado de emergência em Tóquio. Tóquio está em estado …

Militares birmaneses acusados de incendiar uma aldeia

Uma aldeia foi destruída pelo Exército birmanês depois de confrontos entre militares e opositores da junta ditatorial. Dois idosos, que não conseguiram fugir, acabaram por morrer queimados. A aldeia de Kin Ma, na região de Magway, …

Ucrânia 2-1 Macedónia N. | “Synio-zhovti” relançam aspirações

A Ucrânia conquistou esta quinta-feira a sua segunda vitória em Europeus, depois de seis derrotas consecutivas, ao bater a estreante Macedónia do Norte por 2-1, em encontro disputado em Bucareste, com arbitragem pelo argentino Fernando …

Mais 1.233 casos de covid-19 em Portugal. Morreram duas pessoas

Esta quinta-feira, Portugal registou 1.233 novos casos e duas mortes na sequência da infeção por covid-19. Segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), foram registados, nas últimas 24 horas, mais 1.233 casos e …

Proibida circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa ao fim de semana

A situação epidemiológica em Portugal é agora "mais preocupante", pelo que "dificilmente" o país deverá desconfinar na próxima semana como estava previsto, anunciou esta quinta-feira a ministra Mariana Vieira da Silva. A ministra da Presidência, Mariana …

Lisboa alarga horários de vacinação para atingir as 65 mil pessoas por semana

Já a partir da próxima segunda-feira, os centros de vacinação em Lisboa vão ter horário acrescido. O objetivo é aumentar o número de doses de vacinas administradas por semana para cerca de 65 mil. A partir …

PS diz que portugueses não esquecem que Passos cortou a dobrar no SNS

Pedro Passos Coelho acusou a esquerda de "desqualificar" o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a deputada socialista Sónia Fertuzinhos respondeu que os portugueses não esquecem que o Governo PSD/CDS cortou o dobro no SNS …

Escassez de matérias-primas deverá aumentar preço dos alimentos entre 5% e 10%

As matérias-primas agrícolas sobem com a conjugação do maior consumo e menor oferta por força das más colheitas em países como o Brasil e França, atingidos pelo mau tempo. Desta forma, prevê-se que, nos …