Licenças para vender na Feira da Ladra estão a aumentar

O número de vendedores com licença para ocupar lugares permanentes na Feira da Ladra, em Lisboa, tem aumentado desde 2005, quer por ter desenvolvido uma componente lúdica quer pela procura de estudantes, disse à Lusa fonte do município.

De acordo com a mesma fonte, o número de licenças passadas tem crescido gradualmente de “307 licenças para lugares permanentes e cerca de 200 licenças ocasionais [período de 1 a 3 meses]” em 2005 para, nos primeiros três meses deste ano, “386 licenças para lugares permanentes e 79 licenças ocasionais”.

No entanto, os processos por venda ilegal naquele espaço também parecem estar a aumentar já que, entre Janeiro e Março deste ano, foram instaurados metade do total registado no ano passado.

Segundo informação enviada à Lusa pela Câmara de Lisboa, durante o ano de 2014 foram instaurados 48 processos de contra-ordenação por incumprimento das regras de funcionamento da Feira da Ladra e de venda ilegal no recinto.

Entre Janeiro e Março deste ano, “já foram instaurados 24 processos de contra-ordenação“, o que representa metade do total do ano anterior.

Gerida pela Câmara de Lisboa, a Feira da Ladra é “uma feira muito antiga e bastante consolidada, quer nas suas características, quer no que diz respeito às relações com o espaço urbano onde se insere”, continuando a realizar-se todas as terças-feiras e sábados, no Campo de Santa Clara.

De acordo com a autarquia, “a Feira da Ladra, para além de espaço comercial, tem desenvolvido uma componente lúdica e característica de ponto de encontro para os estudantes que aí vendem um pouco de tudo, o que explica o muito elevado número de licenças de venda ocasionais”.

Todos os lugares de venda na Feira estão “devidamente demarcados e os sectores delimitados“, permitindo à autarquia “assegurar a gestão rigorosa de todos os lugares que se encontram ocupados e vagos”.

Quanto ao tipo de artigos vendidos, “são privilegiados os artigos usados, que estão na génese e tradição da feira” e “estão canceladas, desde 1990, as licenças para venda de artigos novos à excepção de artesanato, permanecendo atribuídas apenas aquelas que foram concedidas antes desta data”.

As taxas cobradas em 2015 para exercer actividade na Feira da Ladra são de 3,20 euros por metro quadrado por mês, para a ocupação permanente e venda de artigos usados e de 12,80 euros para artesanato. No caso da ocupação ocasional para venda de produtos usados, a taxa por metro quadrado é de 1,60 euros por dia e de 2,40 euros para venda de artesanato.

A fiscalização na Feira da Ladra, nomeadamente para verificar as vendas sem licença, fora dos espaços autorizados ou de produtos não autorizados, é assegurada pela Polícia Municipal, enquanto a PSP e a Polícia Judiciária são responsáveis pela verificação da proveniência dos produtos vendidos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …