/

Kurt foi clonado de material genético com 40 anos (e pode salvar os cavalos-de-Przewalski)

Um cavalo-de-Przewalski nasceu, no mês passado, a partir de material genético preservado durante 40 anos. O nascimento de Kurt pode significar a sobrevivência desta espécie de cavalos, que estava praticamente extinta.

A 6 de agosto de 2020, o pequeno Kurt abriu os olhos pela primeira vez. Mas Kurt não é um cavalo comum, pois com o seu nascimento, reacendeu a esperança de sobrevivência da sua espécie.

O cavalo é ainda um recém-nascido, mas com o seu pouco tempo de vida já tem uma história para contar. É que o material genético do jovem potro é proveniente de material genético criopreservado durante 40 anos — o que pode ser uma boa noticia, uma vez que a sobrevivência dos cavalos-de-Przewalski está por um fio.

O cavalo-de-przewalski, ou Equus ferus przewalskii, é uma subespécie selvagem de cavalo nativa dos desertos da Mongólia. Foi descrito pela primeira vez pelo general e naturalista amador russo Nikolaï Mikhaïlovitch Prjevalski, que em 1881 viajou à sua procura após ter ouvido relatos da sua existência.

Após a segunda guerra mundial, vários fatores, incluindo a caça, a expansão humana, e um conjunto de invernos rigorosos diminuíram a população desta éspecie. A última vez que foi visto um cavalo-de-Przewalski selvagem foi em 1969.

Ainda assim, há cerca de 2 mil cavalos mantidos em zoológicos. No entanto, há um problema: é que entre os anos 1899 e 1902, 12 cavalos selvagens de Przewalski foram capturados na selva e todos os 2000 que existem atualmente são descendentes diretos desses 12 cavalos selvagens.

Esta falta de diversidade genética da espécie origina que certos traços se tornem mais pronunciados, e haja um aumento da possibilidade de endogamia, relacionamentos entre seres da mesma família que tornam a probabilidade de sobrevivência menor, explica o Interesting Engineering.

Por esta razão, os cavalos-de-Przewalski que se encontravam em cativeiro em zoológicos começaram a manifestar problemas. De forma a solucionar este problema, os cuidadores dos animais cruzaram esta espécie com outras espécies de cavalos.

Foi neste contexto que surgiu o cavalo-de-Przewalski selvagem, o Kuporovic. Esta subespécie viveu entre 1975 e 1998, e tinha ascendentes selvagens de ambos os lados, o que significa que tinha mais diversidade genética do que qualquer cavalo-de-Przewalski conhecido. Os cientistas tiveram a ideia de pegar numa amostra e armazená-la na câmara de crio-preservação do Zoológico de San Diego, em 1980.

Recentemente, o Zoo de San Diego, nos EUA, em parceria com o grupo de preservação da vida selvagem Revive and Restore e a empresa de clonagem de animais de estimação ViaGen Equine, criaram uma cópia exata do Kuporovic. O embrião clonado foi plantado numa mãe de substituição.

Shawn Walker, diretor científico da ViaGen Equine, explica que “este novo potro de Przewalski nasceu totalmente saudável e normal. Dá cabeçadas e pontapés quando o seu espaço é ameaçado, e está a beber leite da sua mãe substituta”.

O processo usado na criação de Kurt é uma esperança para os cavalosde-Przewalski. O projeto demonstra também que é possível manter material genético viável por muitos anos.

Os princípios aplicados neste processo podem ser também aplicados a outras espécies ameaçadas, ou até mesmo extintas. O grupo Revive and Restore tem agora a intenção de voltar a trazer ao mundo um mamute lanoso.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.