Kunming foi “11 de setembro da China”

 

A agência noticiosa oficial chinesa Xinhua qualificou como “o 11 de setembro da China” o ataque terrorista de sábado à noite na estação ferroviária de Kunming, no sudoeste do país, que matou 29 pessoas e feriu mais de 130.

“Foi um típico ataque terrorista e também um grave crime contra a humanidade”, afirmou a Xinhua num comentário difundido hoje à tarde (hora local).

O ataque, atribuído pelas autoridades a separatistas do Xinjiang, região do noroeste da China, de maioria muculmana, foi o primeiro do género ocorrido na China.

Testemunhas citadas na imprensa oficial dizem que o ataque foi feito por “homens vestidos de negro”, armados com grandes facas, que cerca das 21:00 (hora local) começaram a apunhalar indiscriminadamente as pessoas que se encontravam no hall da estação ferroviária de Kunming.

Pelas imagens difundidas na televisão, as facas tinham uma lâmina com quase meio metro de comprimento.

A polícia disse ter abatido “pelo menos quatro atacantes”, cujas identidades não foram divulgadas.

“Mais de dez suspeitos terroristas participaram no ataque”, referiu a Xinhua.

É a segunda vez que separatistas do Xinjiang são associados a manifestações de violência fora daquela região.

Em outubro passado, um jipe com matrícula do Xinjiang abalroou a multidão que se encontrava junto à famosa Porta da Paz Celestial (Tiananmen), no centro de Pequim, e a seguir incendiou-se, matando os três ocupantes do veículo, todos de etnia uigur, e dois turistas.

O atentado foi atribuído a “extremistas religiosos” que promovem a “jihad” (guerra santa) e o separatismo.

Pelo menos dez ataques terroristas ocorreram no Xinjiang em 2013, causando mais de cem mortes, disse no final do ano um jornal oficial chinês.

Território rico em petróleo e outros recursos minerais, com uma área equivalente à França, Espanha e Portugal juntos, o Xinjiang confina com o Paquistão, Afeganistão e várias repúblicas da Ásia Central que faziam parte da antiga Uniao Sovietica.

Segundo estatísticas oficiais, os uigures, povo de cultura turcófona e religião islâmica, representam 46,2% dos cerca de 22 milhões de habitantes do Xinjiang, mas há meio século, eram mais de dois terços.

Entretanto, milhares de famílias han, a principal etnia da China, começaram a radicar-se no Xinjiang e hoje constituem já cerca de 40% da sua população. Na capital, Urumqi, ultrapassaram mesmo os uigures.

Num editorial publicado a 17 de dezembro passado, um dia depois de um novo confronto entre a polícia e elementos da comunidade uigur, que causou 16 mortos, o Global Times reconhece que “é decisivo conquistar os corações” daquela etnia.

“Os uigures têm de acreditar que são membros de confiança da população chinesa”, disse aquele jornal, uma publicação em língua inglesa do grupo Diário do Povo, orgao central do Partido Comunista Chinês.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Imagens de satélite indicam que Irão começou construções em instalação nuclear

Imagens de satélite divulgadas esta quarta-feira mostram atividades na instalação nuclear iraniana de Natanz, um dia depois de inspetores da Agência Internacional de Energia Atómica confirmarem que o Irão iniciou a construção de uma central …

"Salvadores brancos". Organização vai acabar com as viagens de celebridades a África

A organização Comic Relief vai deixar de enviar celebridades como Ed Sheeran ou Stacey Dooley para fazerem filmes promocionais em países africanos após decidir que a abordagem reforça estereótipos ultrapassados sobre “salvadores brancos”. Além de acabar …

Tragédia no Canal da Mancha. Quatro migrantes morreram em alto mar após Governo rejeitar rota segura

De acordo com as autoridades francesas, quatro migrantes - incluindo duas crianças de cinco e oito anos - morreram ao tentar chegar ao Reino Unido de barco através do Canal da Mancha. O pequeno barco …

Detidos 21 suspeitos de desviarem fundos para financiar Puigdemont na Bélgica

A operação da polícia espanhola contra o alegado desvio de fundos públicos para financiar as despesas do ex-presidente regional catalão Carles Puigdemont fugido na Bélgica resultou hoje em 21 detidos ligados ao movimento independentista na …

Ativista detido depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Museu do Louvre

Mwazulu Diyabanza foi detido na semana passada em Paris, depois de tentar retirar uma escultura indonésia do Louvre. O ativista congolês disse que a ação foi parte de um protesto para que os museus europeus …

Proteção Civil do Porto já pediu recolher obrigatório e recomenda novo estado de emergência

A Proteção Civil do distrito do Porto já avançou com o pedido ao Governo de recolher obrigatório para a região. Marco Martins sugere ainda o regresso ao estado de emergência. Marco Martins, responsável pela proteção Civil …

Exames nacionais de 2021 mantêm normas excecionais criadas no anterior ano letivo

Os professores vão voltar a contabilizar, na classificação dos próximos exames nacionais, apenas as respostas às perguntas obrigatórias e àquelas em que o aluno tenha melhor pontuação, à semelhança das normas excecionais aplicadas no ano …

PSD-Madeira critica preços "pornográficos" e "obscenos" nas viagens da TAP no Natal

O PSD-Madeira voltou nesta quarta-feira a criticar os preços praticados pela TAP nas viagens para a região, referindo que na época do Natal chegam a atingir 1.143 euros, e considerou os valores “pornográficos” e “obscenos”. “São …

Autarca de Roma revela que máfia italiana planeou um ataque contra si e a sua família

A presidente da Câmara de Roma, Virginia Raggi, revelou que grupos do crime organizado planearam matá-la e a sua família porque ela os estava a atacar em partes da capital italiana que dominam. Aos 37 anos, …

OE2021. "Quem vota contra quer outro modelo ou desistiu de melhorar o SNS", diz Temido

A ministra da Saúde, Marta Temido, sustentou esta quarta-feira que os partidos que vão votar contra o Orçamento do Estado para 2021 querem outro modelo de sistema de saúde ou desistiram de melhorar o SNS. Numa …