Jovem norte-americana raptada é salva após fazer gesto de emergência que aprendeu no TikTok

Sinalética foi criada no ano passado pela Fundação de Mulheres Canadianas e tinha como objetivo munir as mulheres de mais um instrumento que facilitasse a denúncia de situações de violência ou abuso em contexto doméstico durante a pandemia da covid-19.

Uma adolescente norte-americana desaparecida foi resgatada depois de uma viagem de carro ter feito gestos com a mão que indicavam que estava a ser sujeita a uma situação de abuso ou violência doméstica, captando, assim, a atenção de um condutor que passava pelo Toyota cinzento onde estava a ser transportada. O outro condutor usou mesmo este gesto como justificação para apresentar uma denúncia junto das autoridades, remetendo a sinalética para publicações do TikTok que ensinavam os utilizadores, através de códigos a demonstrar que estavam em perigo.

A viagem em questão aconteceu a 4 de novembro, no estado do Kentucky, perto de Loiusville. De acordo com o escritório do xerife do condado de Laurel, a rapariga parecia estar em perigo e estava a ser conduzida por um homem. Depois do aviso, a polícia conseguiu intercetar o veículo quando este saía da autoestrada, através de operações stop. No âmbito da investigação, a polícia concluiu que a rapariga que tinha sido salva tinha sido dada como desaparecida dias antes pelos seus pais.

Ainda segundo as autoridades, a jovem revelou à polícia que o raptor a terá transportado pelos estados da Carolina do Norte, Tennessee, Kentucky e Ohio. Com o gesto, o seu objetivo era garantir que os condutores chamassem os serviços de emergência, o equivalente ao 112 em Portugal. Para já, o raptor, James Herbert Brick, de 61 anos, encontra-se detido e está acusado de aprisionamento ilegal.

Segundo o The Guardian, o gesto feito pela jovem terá sido introduzido pela Fundação das Mulheres Canadianas no ano passado e tem sido adotado por muitas mulheres em todo o mundo que precisam de pedir ajuda de forma discreta quando se encontram em situações que podem acarretar perigo para a o seu bem-estar físico e psicológico. Desde que o caso se tornou conhecido, muitas instâncias de segurança norte-americanas, sejam esquadras de polícia ou gabinetes de xerifes, têm divulgado a sinalética na esperança de conseguirem ajudar mais mulheres.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.