Jovem de Salvaterra morto por um casaco e um par de ténis

5

Rita Costa / Facebook

Filipe com a mãe, Rita Costa

Filipe com a mãe, Rita Costa

O caso do jovem de Salvaterra de Magos que foi encontrado morto numa arrecadação, depois de ter sido brutalmente agredido, continua a chocar o país, não só pelo grau de violência envolvido, mas porque na base do crime estará a inveja pelas roupas e calçado de marca do rapaz de 14 anos.

A Polícia Judiciária (PJ) já deteve o principal suspeito, um jovem de 17 anos identificado como Daniel que terá confessado ter morto Filipe Costa, a vítima, depois de várias horas de interrogatório, conforme adiantou o Expresso. Ele terá usado uma barra de ferro, segundo este relato, enquanto o Correio da Manhã acrescenta que o menor morto tinha os genitais esmagados.

E, quanto às razões para tamanha violência, a PJ avança um “motivo fútil” e o jornal Público esclarece que foi a “cobiça” pelos bens pessoais caros de Filipe Costa. O diário avança que “quatro jovens aproximaram-se da vítima nos últimos dias”, fingindo serem seus amigos, porque “invejavam-lhe os ténis, o casaco e o telemóvel, um iphone”.

Aliás, o suspeito, que terá agido sozinho, terá sido visto com os ténis e com um casaco da vítima, depois do seu desaparecimento. A namorada confirma, em declarações ao programa ‘Sexta às 9’ da RTP1, que o suspeito foi ter com ela, presumivelmente já depois de ter cometido o crime, com “um casaco que era do Filipe e que estava com sangue”.

A jovem, que não quis dar a cara nem ser identificada, relatou ainda que o suspeito “vinha com sangue, com  a cana do nariz toda aleijada” e que “tinha uma costela toda para dentro, sangue nas pernas” e estava “super nervoso, super cansado”. Para justificar tudo isto, o suspeito terá chegado a apresentar queixa por agressão contra desconhecidos.

A mesma testemunha destaca que “houve uma mensagem do Filipe por volta das 18 horas de segunda-feira a dizer ao Daniel que estava com stresses, que tinha que ir a algum sítio e que às 20 horas se encontravam lá em casa para ele não se atrasar”. A casa a que a namorada do suspeito se refere seria aquela onde a vítima foi encontrada morta.

Terá sido o próprio suspeito a revelar às autoridades o local onde o corpo de Filipe Costa se encontrava, conforme a mãe deste, Rita Costa, revelou, no mesmo ‘Sexta às 9’.

Entretanto, Rita Costa publicou no seu perfil do Facebook uma mensagem onde manifesta a sua dor com a perda do  filho num acto que define como “bárbaro”. A mãe do jovem também agradece o apoio que recebeu, nomeadamente das autoridades.

Facebook Rita Costa, mãe do jovem de Salvaterra de Magos morto

O suspeito está indiciado por homicídio qualificado e arrisca uma pena de prisão máxima até 25 anos.

Este jovem de 17 anos terá “um histórico de institucionalizações desde Setembro de 2010”, reporta o Público, destacando que “viveu num lar de infância e juventude e mais tarde num centro educativo em Caxias” e que já tem “um longo cadastro por furto qualificado e tráfico de estupefacientes“.

Além de Daniel, foi ainda constituído arguido outro suspeito de 20 anos, de acordo com o mesmo jornal, que destaca, contudo, que sobre este recaiem “algumas suspeitas menores”.

SV, ZAP

5 Comments

  1. Será que alguém o ensinou que não se deve cobiçar coisa alguma do que é do próximo? Lei de Deus?

  2. A namorada do presumível que estava na posse destas informações todas por que não informou a polícia sabendo que andavam à procura do rapaz? Teve que ser o presumível a dizer, passados dias, onde ele estava senão ainda hoje continuavam à procura? Que estranho!

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE