Joe Biden quer acabar com a pena de morte nos EUA

Jim Lo Scalzo / EPA

O presidente eleito dos Estados Unidos, Joe Biden, é contra a pena de morte e tenciona acabar com aquela prática, disse este sábado o seu porta-voz, quando estão agendadas mais três execuções para antes da posse do novo chefe de Estado.

Biden “opõe-se à pena de morte agora e no futuro”, disse o porta-voz do presidente eleito os Estados Unidos, não esclarecendo se as execuções serão imediatamente suspensas quando Biden tomar posse, adiantou a Associated Press (AP).

As execuções federais foram retomadas este ano, depois de 17 anos de intervalo. Isto, apesar do contexto da pandemia de covid-19 que já matou mais de 250 mil pessoas no país e em que o vírus está ativo dentro do sistema prisional americano.

Este ano, o Departamento de Justiça já procedeu a mais execuções do que as que ocorreram nos últimos 50 anos, ainda que o apoio à pena de morte seja cada vez mais fraco entre Democratas e Republicanos.

De acordo com documentos oficiais estão agendadas execuções para 11 de dezembro e para 14 e 15 de janeiro, dias antes da tomada de posse de Joe Biden, a 20 de janeiro.

Twitter vai entregar a conta @POTUS a Biden

De acordo com o New York Post, no dia em que Joe Biden tomar posse como Presidente dos Estados Unidos, a rede social Twitter vai entregar-lhe a conta @POTUS (President of the United States).

“O Twitter está ativamente a preparar o apoio à transição das contas institucionais da Casa Branca no dia 20 de janeiro de 2021”, disse um porta-voz do Twitter ao jornal nova-iorquino.

O processo será semelhante ao que aconteceu no início de 2017 (depois de Trump ter vencido Hillary Clinton nas eleições de novembro de 2016).

A conta @POTUS é uma conta que Donald Trump costuma usar para “retweetar” conteúdos publicados na sua conta pessoal (@realDonaldTrump), incluindo iniciativas de campanha eleitoral e, até, vários conteúdos sobre conhecidas teorias de conspiração.

Além da conta @POTUS, também as contas @VP e @FLOTUS, respetivamente nas mãos de Mike Pence e de Melania Trump, o vice-presidente e a primeira-dama, vão mudar de mãos. O mesmo vai acontecer com a página @WhiteHouse, que vai ser transferida para a nova administração.

Os tweets feitos por Trump enquanto @POTUS e pelas outras contas vão ser entregues ao organismo National Archives and Records Administration, uma agência do Governo norte-americano que se encarrega da preservação de documentação governamental e registos históricos dos Estados Unidos da América.

  ZAP // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.