Israel cria “task force” para reverter boicote da Ben & Jerry’s na Cisjordânia

Israel criou uma task force para pressionar a empresa de gelados norte-americana Ben & Jerry’s e a sua proprietária, Unilever, a reverterem a decisão de boicotar a ocupação israelita na Cisjordânia.

“Precisamos de aproveitar os 18 meses que faltam para a entrada em vigor da decisão e tentar alterá-la. Queremos criar uma pressão sobre a Unilever e a Ben & Jerry’s, de longo prazo, através dos consumidores e dos políticos na imprensa e nas redes sociais para entrar em diálogo com as empresas“, disseram as autoridades israelitas.

De acordo com site de notícias norte-americano Axios, o Governo israelita está preocupado com o facto de a ação da Ben & Jerry’s encorajar outras empresas internacionais a tomarem medidas semelhantes. Um telegrama confidencial do Ministério dos Negócios Estrangeiros, visto pelo Axios, deixa claro que o Governo quer enviar uma mensagem.

Na semana passada, a Ben & Jerry’s anunciou que, a partir de janeiro de 2023, não vai permitir que os gelados sejam comercializados em territórios palestinianos ocupados, mas vai poder continuar a vendê-los dentro das fronteiras de Israel, anteriores a 1967.

A decisão da empresa norte-americana, que assumiu posições políticas, chegou quase uma década depois de pressão de ativistas pró-palestinianos, sendo que, no ano passado, o Governo israelita conseguiu demover a Ben & Jerry’s a tomar tais medidas.

Mas, segundo o Axios, depois dos recentes conflitos na Faixa de Gaza, a pressão sobre a Ben & Jerry’s aumentou, e, nas últimas duas semanas, ficou claro que a decisão de boicotar a ocupação israelita nas colónias da Cisjordânia estava iminente.

O Governo israelita, no entanto, tentou pressionar a Unilever para impedir a empresa de gelados a tomar essa decisão, mas a proprietária disse que a Ben & Jerry’s tinha o direto de tomar as medidas, como parte da sua política de responsabilidade corporativa e da justiça social.

No dia 22 julho, o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Israel enviou um telegrama a todas as embaixadas israelitas na América do Norte e na Europa, ordenando-lhes que começassem uma campanha de pressão contra a Ben & Jerry’s e a Unilever, de modo a convencê-los a negociar.

Diplomatas israelitas foram instruídos a encorajar organizações judaicas, grupos de defesa pró-Israel e comunidades evangélicas a organizar manifestações junto aos escritórios da Ben & Jerry’s e da Unilever, para pressionar os investidores e os distribuidores das empresas.

O Governo pediu ainda aos diplomatas que pressionassem e condenassem as empresas, estimulando “protestos públicos nos media e diretamente com os principais executivos das empresas. Os diplomatas foram também estimulados a ecoar os protestos nas redes sociais para conseguir maior visibilidade.

A Embaixada de Israel em Washington e os consulados de Israel no Estados Unidos foram solicitados a pressionar através da lei anti-BDS (Boicote, Desinvestimento e Sanções) em vários estados, envolvendo governadores, presidentes de Câmara, congressistas, funcionários estaduais e advogados.

As autoridades israelitas acrescentaram que Ben & Jerry’s e a Unilever “cederam e cooperaram com o movimento BDS”, alegando ser parcialmente “motivado pelo antissemitismo”, referindo que a decisão das empresas foi “hipócrita, vai contra os valores da responsabilidade corporativa e cheira a cultura extrema de cancelamento”.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Em apenas três anos, a Austrália perdeu um terço dos seus coalas

A seca, os incêndios florestais e a desflorestação na Austrália levaram o país a perder um terço dos seus coalas nos últimos três anos. A Austrália perdeu cerca de 30% dos seus coalas nos últimos …

Há modelos matemáticos que preveem se uma música vai ser viral — os mesmos utilizados com a covid-19

O uso de modelos matemáticos para antecipar o nível de sucesso de uma música pode começar a ser usado, a partir da publicação do presente estudo, por artistas e editoras para melhorar o desempenho dos …

Alemanha. Funcionário de posto de combustível abatido a tiro por cliente que se recusou a usar máscara

Um homem de 49 anos matou um funcionário de um posto de combustível na Alemanha, após tentar comprar cerveja sem utilizar a máscara. No país, o uso deste equipamento de proteção é obrigatório para entrar …

Um violino gigante flutuou no Grande Canal de Veneza (ao som de Vivaldi)

No passado fim de semana, um violino gigante, com quase 12 metros de comprimento, desceu o Grande Canal de Veneza. A bordo estava um quarteto de cordas, que tocou Four Seasons de Vivaldi. O Noah's Violin …

Assembleia de credores aprova recuperação da Groundforce

Esta quarta-feira, os credores da Groundforce aprovaram a recuperação da empresa. Em causa está uma dívida de 154 milhões de euros. Os credores da Groundforce, reunidos esta quarta-feira em assembleia de credores, no tribunal de Monsanto, …

Europeus acreditam numa "guerra fria" entre os EUA e a China e Rússia

A maioria dos cidadãos da União Europeia (UE), 62%, considera que os Estados Unidos (EUA), com apoio das instituições comunitárias, estão numa nova "guerra fria" com a China, mas recusam envolvimento nacional, revelou um inquérito …

Desenho de Van Gogh esteve guardado mais de 100 anos. Agora, é exibido pela primeira vez

O Museu de Amesterdão, nos Países Baixos, ganhou um novo inquilino: Study for 'Worn Out', um desenho recém-descoberto de Vincent van Gogh. O holandês Vincent van Gogh ainda continua a impressionar o mundo inteiro com a …

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã

No Afeganistão, as professoras estão prontas para desafiar o regime talibã, com receio de que os avanços dos últimos 20 anos tenham sido conquistados em vão. A Vice falou com algumas professoras afegãs que garantem continuar …

Apenas um terço das crianças em 91 países tem acesso a uma alimentação adequada, alerta UNICEF

Apenas um terço das crianças com menos de dois anos em 91 países em desenvolvimento têm acesso aos alimentos que necessitam para um crescimento saudável, revelou um relatório da UNICEF, apontando que nenhum progresso foi …

Preços das casas voltaram a aumentar no segundo trimestre

Entre abril e junho, o índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu 6,6% em termos homólogos. A revelação foi feita esta quarta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O Índice de Preços da Habitação (IPHab) cresceu …