Irão já está a enriquecer urânio a 60%

rouhani.ir

O presidente do Irão, Hassan Rohani

O Irão avisou e já está a cumprir. Menos de uma semana depois de ter acusado Israel de um ataque contra a sua principal central nuclear, o país diz estar a enriquecer urânio com uma pureza de 60%, a maior já registada.

De acordo com o Público, o anúncio foi feito por Mohammad Bagher Qalibaf, presidente do Parlamento iraniano, no Twitter. “Tenho orgulho em anunciar que, às 00h40, jovens e piedosos cientistas iranianos conseguiram obter urânio enriquecido a 60%”, escreveu.

A decisão de enriquecer urânio a 60% surge como resposta ao “terrorismo nuclear” de Israel, apesar de o Governo israelita não ter confirmado oficialmente nenhuma operação contra o complexo de Natanz, a sul de Teerão.

Ainda assim, responsáveis dos serviços secretos israelitas e norte-americanos ouvidos sob anonimato pela televisão estatal de Israel e pelo The New York Times apontavam para o envolvimento da Mossad.

Cerca de 48 horas após a explosão, Teerão anunciou que Natanz já estava a funcionar graças a um sistema alternativo. As centrifugadoras afetadas eram todas de tipo “IR-1”, ou seja, menos eficientes, e seriam substituídas pelas novas.

No sábado, pouco antes da quebra de energia, o Presidente Hassan Rohani tinha inaugurado uma nova fábrica de montagem de centrifugadoras capazes de enriquecer urânio mais rapidamente e em maiores quantidades.

“Estamos a produzir cerca de nove gramas de urânio enriquecido a 60% por hora”, disse o chefe da Organização de Energia Atómica do Irão, Ali Akbar Salehi.

No passado domingo, uma explosão atingiu a fábrica de enriquecimento de urânio no complexo nuclear de Natanz. Teerão acusou Israel de sabotagem.

A explosão em Natanz veio abalar as tentativas negociais de Viena no sentido de salvar o acordo internacional sobre a energia nuclear do Irão, firmado em 2015 e criticado desde o primeiro dia pelo primeiro-ministro de Israel.

Para Benjamin Netanyahu, o Irão representa uma ameaça “à existência” do Estado de Israel, acusando Teerão de querer construir secretamente a bomba atómica.

Televisão iraniana identifica alegado responsável

O Público avança, este sábado, que a televisão estatal iraniana identifico o homem que terá estado por trás da explosão que afetou a rede elétrica da principal central de Natanz.

Segundo o diário, o suspeito, Reza Karimi, da cidade de Kashan, já estava no estrangeiro antes do incidente e “estão em marcha os passos necessários para a sua detenção e regresso ao país através dos canais legais”.

Além do nome e de duas imagens do suspeito, de 43 anos, não foram adiantados mais pormenores, nomeadamente sobre como terá tido acesso a uma das instalações mais seguras do país.

A televisão iraniana mostra ainda filas do que diz serem centrifugadoras que já substituíram as danificadas, assegurando que “um grande número” de centrifugadoras cujas atividades de enriquecimento tinham sido interrompidas já voltaram ao funcionamento normal.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.