/

Iranianos celebram acordo de princípio nas ruas de Teerão

Centenas de iranianos celebraram hoje nas ruas de Teerão o acordo de princípio sobre o programa nuclear alcançado entre o Irão e a China, Estados Unidos, França, Alemanha, Reino Unido e Rússia, em Lausana, na Suíça.

Apesar da hora tardia a que foi tornado público o plano no Irão, dezenas de cidadãos iranianos saíram à rua para festejar o anúncio do acordo.

Os festejos concentraram-se na Avenida Vali Asr, que atravessa a capital iraniana de sul a norte, que ficou bloqueada por uma grande fila de carros.

As pessoas cantaram, dançaram, clamaram vitória e acenaram com lenços brancos, segundo a agência noticiosa AFP.

Seja qual for o resultado final das negociações, somos vencedores“, afirmou um homem, que estava parado no trânsito.

“Agora vamos poder viver normalmente como o resto do mundo”, disse um outro manifestante.

O grupo das grandes potências designado “5+1” – que inclui os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU e a Alemanha – e o Irão chegaram hoje a um acordo de princípio para resolver o dossiê nuclear iraniano.

O acordo final com os aspetos técnicos e legais tem de ficar concluído até 30 de junho.

Segundo referiu a UE, serão levantadas as sanções norte-americanas e europeias, que estrangulam a economia iraniana, em função dos respeitos dos compromissos pelo Irão.

Equipa negociadora iraniana recebida em Teerão com aplausos

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohamed Yavad Zarif, regressou hoje a Teerão, onde foi recebido com aplausos juntamente com a equipa de negociadores nas conversações mantidas em Lausanne com o Grupo 5+1 sobre o programa nuclear iraniano.

Zarif, uma das caras mais visíveis após o acordo alcançado, regressou esta madrugada ao seu país após nove dias de intensas negociações, escreve a agência Efe.

Marc Müller / Wikimedia

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohamed Yavad Zarif

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Irão, Mohamed Yavad Zarif

À chegada, o ministro enalteceu o acordo anunciado esta noite e destacou que as soluções apresentadas no comunicado divulgado em Lausanne, servirá como base para o documento final das negociações nucleares.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Os pontos assinalados no comunicado final de Lausanne “vão servir como plataforma a partir da qual, com a graça de Deus, as soluções serão alcançadas em maio”, acrescentou.

O acordo final com os aspetos técnicos e legais tem de ficar concluído até 30 de junho.

Segundo os primeiros elementos divulgados por este pré-acordo, a capacidade de enriquecimento do Irão deverá ser reduzida e o país deverá manter 6.000 centrifugadoras em atividade, contra as 19.000 atualmente.

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, que participou nas negociações de Lausana, admitiu por sua vez que as reservas de urânio enriquecido do Irão serão reduzidas “em 98% durante 15 anos”.

O acordo permite ao Irão manter um programa nuclear muito reduzido e sob um controlo estrito, em troca de vários incentivos económicos e políticos, caso sejam cumpridas as disposições acordadas.

Até à madrugada de hoje, nem o líder supremo do Irão, o ‘ayatollah’ Ali Khamenei, a mais alta figura política e religiosa do país, nem o Presidente, Hassan Rohani, se pronunciaram sobre o plano.

/Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE