Investigação do New York Times revela que Trump não pagou impostos em 10 dos últimos 15 anos

Chris Ratcliffe / EPA

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pagou apenas 750 dólares (645 euros) em impostos federais em 2016, ano em que foi eleito, e outro tanto em 2017, segundo uma investigação divulgada este domingo pelo jornal norte-americano The New York Times.

O jornal nova-iorquino publicou este domingo o primeiro trabalho de vários a serem lançados nos próximos dias que incidem sobre 20 anos de declarações fiscais do multimilionário. “Não pagou qualquer imposto sobre o rendimento em 10 dos 15 anos anteriores [a 2016], em grande parte porque relatou mais dinheiro perdido do que ganho”, escreve o diário norte-americano.

As declarações fiscais do antigo magnata do ramo imobiliário, Presidente desde 2016 e candidato à reeleição em novembro, estão no centro de uma batalha jurídica, uma vez que Trump sempre se recusou a publicá-las, ao contrário dos seus antecessores.

“O New York Times obteve informações fiscais relativas a mais de 20 anos de Trump e das centenas de empresas que compõem o seu grupo, incluindo informações detalhadas sobre os seus dois primeiros anos de mandato. Isto não inclui as suas declarações de rendimentos de 2018 ou 2019″, escrevem os autores da investigação, que prometem mais revelações nos próximos dias.

Num texto paralelo, o diretor do jornal, Dean Baquet, escreve que “os registos mostram uma diferença significativa entre aquilo que Trump disse ao público e o que revelou às autoridades fiscais federais ao longo dos anos”.

“Essas revelações sublinham o porquê de os cidadãos quererem conhecer as finanças do seu presidente: os negócios de Trump parecem ter beneficiado da sua posição e as suas holdings abrangentes criaram potenciais conflitos entre os seus interesses financeiros e os interesses diplomáticos da nação”, acrescentou Baquet.

Um advogado do grupo de Trump, Alan Garten, disse ao The New York Times que “a maioria dos factos, se não todos, parecem estar incorretos“, acrescentando que o Presidente “pagou dezenas de milhões de dólares em impostos pessoais ao governo federal, incluindo o pagamento de milhões em impostos pessoais desde que anunciou a sua candidatura em 2015”.

Ao contrário de todos os seus antecessores desde os anos 1970, Donald Trump, cujo grupo familiar não está cotado na bolsa de valores e que fez da sua fortuna um argumento de campanha, recusa-se a publicar as suas declarações de rendimentos e trava uma batalha jurídica para impedir a sua divulgação.

Esta falta de transparência tem alimentado especulação sobre a extensão da sua fortuna ou potenciais conflitos de interesses.

A divulgação desta investigação acontece dois dias antes de Trump e o democrata Joe Biden se enfrentarem no primeiro debate antes das eleições presidenciais, que se realizam a 3 de novembro.

As reações

As reações à investigação publicada pelo jornal norte-americano foram imediatas. O Presidente norte-americano manifestou-se através do Twitter, escrevendo apenas duas palavras em maiúsculas e um ponto de exclamação: “Fake News!”.

Numa conferência de imprensa na Casa Branca, Trump disse que as informações agora divulgadas sobre os seus impostos eram “totalmente falsas [fake news]” e atirou contra o The New York Times e contra o Internal Revenue Service .“Totalmente fake news. Eu pago impostos. E vocês vão ver isso quando a minha declaração vier — está sob auditoria há muito tempo. Porque a Autoridade Tributária não me trata nada bem… eles tratam-me muito mal”, disse.

O líder Democrata no Senado, Chuck Schumer, escreveu no Twitter: “Ponham a mão no ar se pagaram mais impostos federais do que o Presidente Trump”.

https://twitter.com/SenSchumer/status/1310344132070723584

A líder da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, divulgou uma declaração, na qual escreve que este é o sinal do desdém de Donald Trump pelas famílias trabalhadoras e a prova de que as declarações fiscais de Trump devem ser monitorizadas, como defende uma comissão na câmara baixa dos Estados Unidos.

Joe Biden ainda não se pronunciou, mas a equipa de campanha divulgou um vídeo de 31 segundos, comparando a média de impostos paga por professores, bombeiros e enfermeiros: no mínimo, mais de cinco mil dólares.

Já o antigo pré-candidato democrata Bernie Sanders diz-se chocado, e sublinha que, em dez dos últimos 15 anos, Trump não pagou um cêntimo em impostos. Elisabeth Warren acusa Trump de ser um mentiroso, um empresário desonesto, que se aproveita de um sistema corrupto e desigual.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. tanto latim e em lado nenhum é dito ou provado, que é o mais importante, que houve qq fraude.

    1. se puderem legalmente pagar o minimo possível de impostos o que fazem estas virgens?

    2. as virgens marxistas dos democratas, podiam explicar como é que com ordenados de serviço público, ainda que bem remunerados, são multimilionários, casos da virgem Pelosi, Biden e amigos

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …