“Uma coisa nunca vista”. Invasão de turistas tira sossego a aldeia minhota

Após anos de esquecimento como um paraíso perdido nos limites do Parque Nacional da Peneda-Gerês, a aldeia de Sistelo, em Arcos de Valdevez, vive um momento de invasão turística que espanta os locais. O “pequeno Tibete português”, como é conhecido, está a ganhar nova vida, mesmo que à custa do sossego de quem lá vive.

“Dantes não se passava nada, mas agora é uma coisa nunca vista. Ainda no domingo, era aqui gente que eu sei lá”, conta à agência Lusa a ‘ti’ Amélia, dona de uma tasquinha no coração da aldeia de Sistelo.

Com cerca de 270 habitantes, esta localidade nos limites do Parque Nacional da Peneda-Gerês tornou-se famosa pelos seus socalcos, os campos em forma de escadas que foram escavados nas montanhas em torno da aldeia, para permitir o cultivo e assegurar a agricultura de subsistência.

Durante largos anos, a população local viveu desse trabalho nos campos, mas foi a emigração em massa que permitiu à aldeia sobreviver. Uma boa parte dos sistelenses continua a residir longe da sua terra. E a grande maioria da população que vive na aldeia tem mais de 60 anos, com apenas 3 crianças com menos de 10 anos, relata o presidente da Junta de Freguesia de Sistelo, Sérgio Rodrigues, em declarações à Lusa.

O novo fôlego turístico que a aldeia vive, graças à invasão de visitantes portugueses e espanhóis, é o ímpeto que pode preservar Sistelo como Monumento Nacional, enquanto paisagem cultural evolutiva viva, classificação que lhe foi recentemente atribuída.

“Temos de fazer pela vida e aproveitar a nossa galinha dos ovos de ouro. Se os turistas nos procuram, há que saber prendê-los e fidelizá-los”, diz à Lusa Sérgio Rodrigues.

Sistelo é, actualmente, o grande cartaz turístico de Arcos de Valdevez e do Alto Minho. A aldeia ganhou visibilidade depois de ter sido eleita uma das 7 Maravilhas de Portugal (Aldeia Rural), no concurso da RTP.

Inserido na área da Reserva Mundial da Biosfera da UNESCO, Sistelo começou por ser uma das prioridades dos roteiros turísticos dos amantes da natureza, desde logo por causa dos cerca de dez quilómetros de passadiços que estão integrados na ecovia do rio Vez.

Mas, actualmente, todo o tipo de turistas chega a Sistelo para espanto e desassossego dos locais. Entre os mais velhos, há quem fuja para os campos, para evitar as câmaras fotográficas dos turistas. E se há quem se queixe destes visitantes por invadirem os campos, para roubar fruta, outros desentendem-se na disputa pelos euros dos turistas.

Mas, para os mais jovens, esta é uma oportunidade de ouro para construir um futuro na sua terra.

A ‘ti’ Amélia está a ampliar a sua tasquinha e até o pároco local, Bruno Barbosa, autorizou a instalação de um restaurante na residência paroquial, que vai abrir neste sábado.

A Casa do Castelo, o monumento ex-libris de Sistelo, está a ser transformada num centro interpretativo da paisagem cultural, para acolher os turistas e os “guiar” pelos recantos da aldeia. Também está a ser recuperado um velho moinho e estão previstas obras de ampliação nos passadiços, numa eira de espigueiros e num miradouro.

Enquanto ainda há vacas à solta nos montes e estradas da freguesia, o futuro de Sistelo passa, cada vez menos, pela agricultura e entrega-se às mãos dos turistas.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Burros… ainda se queixam !
    Há quem queira turistas e turismo e não tenha.
    Organizem-se e tirem o melhor proveito dessa dádiva !

  2. Vao desaparecer as tascas e restaurantes com gastronomia local…hamburguerias, pizzerias e kebab houses, estas sim, vao ter muita procura, tal como ja acontece por Lisboa. E o custo medio duma estadia num hotel em Ponte de Lima / Ponte da Barca ou Arcos de Valdevez ja ha muito que utrapassa o valor dum hotel (equiparado em estelas) em Lisboa, tudo por causa dos campos de golfe , piscinas e afins, que um vulgar turista (ou mesmo um Portugues em ferias) estaria disposto/pode pagar. La’ vai a beleza natural que vai ser substitutida por predios sem interesse paisagista.

  3. Lá vão estes ter de ir morar para a periferia de Sistelo, para os inúmeros bairros suburbanos dessa grande metrópole que é o Sistelo. E no dia-a-dia vai ser bonito ver a população a deslocar-se em força para o centro de Sistelo. Problemas de acesso, de estacionamento,… Vai ser necessário metro.
    Mas o Costa resolve. Já decretou um programa de rendas controladas para o centro histórico de Sistelo de forma evitar a debandada dos atuais moradores.

  4. Sistelo vai precisar de GNR para que não roubem os pomares, suguem o leite às vacas e apareçam os carteiristas de turistas.

  5. Lisboa, Porto, Funchal, Albufeira e Fátima são o que há de melhor e mais genuíno em Portugal, por favor senhor turista mantenha-se focado e resista as tentações de procurar para lá dessas regiões lindas e maravilhosas – Usem, abusem, esbanjem e destruam a vontade! Mas se por acaso tropeçarem ou encalharem no resto do país esqueçam o que viram e partilhem apenas aos vossos netos em histórias para fazer sonhar “era uma vez um país encantador para lá daqueles excessos…”

RESPONDER

Juiz Carlos Alexandre está em isolamento profilático

O juiz Carlos Alexandre encontra-se em isolamento profilático depois de ter participado, no final de junho, numa busca a uma agência bancária em que estiverem envolvidas três pessoas infetadas com covid-19. De acordo com a RTP, …

Jogo de loucos em Itália. Milan de Ibrahimovic derrota Juve de CR7 com golo português

Cristiano Ronaldo fez o 2-0 para a Juventus em casa do AC Milan, porém, o campeão perdeu 4-2 e desperdiçou a oportunidade de ampliar para 10 os pontos de vantagem para a Lazio, derrotada em …

A maior promessa do futebol alemão pede para sair. Chelsea prepara 100 milhões de euros

O internacional alemão Kai Havertz pediu à direção do Leverkusen para sair este verão. O Chelsea é o principal candidato à contratação do médio, tendo de desembolsar 100 milhões de euros. Kai Havertz é provavelmente a …

"A sombra de Sarkozy" e a filha de imigrantes cabo-verdianos. Novo Governo de Macron vira à direita

É um "Governo mais à direita do que nunca". O desabafo é do líder dos socialistas franceses, Olivier Faure, numa crítica ao Presidente Emmanuel Macron pelas escolhas que fez para o novo Governo do país. …

Trincão ainda não pôs os pés em Camp Nou e já tem pretendentes

O português Francisco Trincão, contratado em março passado pelo Barcelona ao Sporting de Braga, ainda não colocou os pés em Camp Nou e já tem clubes interessados na sua compra ao clube catalão. O negócio que …

Costa e Conte perfeitamente alinhados. Previsões de Bruxelas exigem um acordo europeu imediato

Os primeiros-ministros de Portugal e de Itália defenderam que o agravamento das previsões negativas da economia da Comissão Europeia impõe um acordo entre os 27 Estados-membros já na próxima reunião do Conselho Europeu. Esta posição comum …

Novo Banco vendeu ativos com 70% de desconto a fundo com ligações ao seu chairman

O chairman do Novo Banco, Byron Haines, liderou um banco detido pelo fundo norte-americano Cerberus. Foi precisamente este fundo a que o Novo Banco vendeu quase 200 imóveis com um desconto de 70%. O Novo Banco …

As antigas águas da Austrália estavam cheias de escorpiões gigantes predadores

As antigas águas em redor da Austrália podem ter estado cheias de enormes escorpiões marinhos predadores que mediam 2,5 metros de comprimento. Conhecidos como Eurypterida, estes animais ferozes foram os maiores predadores marinhos a aparecer no …

Siza Vieira sobre Efacec: Estado está a salvar uma empresa viável e não os bancos que financiaram Isabel dos Santos

O ministro da Economia esclareceu esta terça-feira que o Estado está a “salvar uma empresa” e não “os financiadores e os acionistas” da Efacec e que o valor da indemnização não será suficiente para saldar …

Casos de covid-19 encerram Câmara de Paços de Ferreira. Presidente está infetado

A Câmara Municipal de Paços de Ferreira, distrito do Porto, anunciou esta quarta-feira que o seu edifício sede se encontra temporariamente encerrado depois de terem sido detetado casos positivos de covid-19 entre os trabalhadores. "A …